Banner Portal
Fatores motivacionais para desenvolvimento de mobile serious games com foco no público da terceira idade: uma revisão de literatura
PDF

Palavras-chave

Terceira idade. Jogos sérios. Motivação. Idoso.

Como Citar

CARVALHO, Roberta Nogueira Sales de; ISHITANI, Lucila. Fatores motivacionais para desenvolvimento de mobile serious games com foco no público da terceira idade: uma revisão de literatura. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 15, n. 1, p. 16–32, 2013. DOI: 10.20396/etd.v15i1.1292. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/1292. Acesso em: 28 maio. 2024.

Resumo

Serious games têm sido estudados com o objetivo de fornecer formas de aprendizagem aliando educação/conhecimento e entretenimento. No Brasil sabe-se que uma pequena parte dos idosos tem acesso a computadores, e que uma parte maior já tem acesso aos aparelhos celulares. Diante disso, realizou-se um levantamento bibliográfico para identificar os itens que mobile serious games devem ter para despertar o interesse e a motivação do público da terceira idade em jogá-los. Foram estudadas as necessidades, preferências e interesses desse público com relação aos jogos digitais em smartphones e os fatores motivacionais que influenciam o uso de serious games em smartphones,. Após o estudo, concluiu-se que a usabilidade é fator essencial para que os idosos utilizem os jogos digitais e que restrições decorrentes da idade devem ser consideradas no desenvolvimento dos softwares. Porém, considerar somente aspectos de usabilidade não é fator suficiente para garantir a utilização dos jogos pelos idosos. É necessário despertar a motivação do usuário, ou seja, é necessário que o usuário perceba os benefícios que o jogo lhe proporcionará. A partir dessa revisão de literatura, será possível desenvolver mobile serious games mais adequados ao público idoso.

https://doi.org/10.20396/etd.v15i1.1292
PDF

Referências

COMITÊ GESTOR DA INTERNET NO BRASIL. TIC domicílios e usuários - pesquisa sobre o uso das tecnologias da informação e da comunicação no Brasil. Disponível em: http://cetic.br/usuarios/tic/2010/apresentacao-tic-domicilios-2010.pdf. Acesso: 12 dez. 2011.

CSIKSZENTMIHALYI, M. A descoberta do fluxo: a psicologia do envolvimento com a vida cotidiana. São Paulo: Rocco, 1999.

DANTAS, S.K.W.; BUBLITZ, M.F.; QUEIROZ, R.E.J. Desenvolvimento de Serious Games Centrado nos Usuários. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GAMES, 10, 2011, Salvador. Proceedings... Salvador: SBC, 2011.

DONDI, C.; MORETTI, M. A methodological proposal for learning games selection and quality assessment. British Journal of Educational Technology, v. 38, n. 3, p. 502–512, 2007.

EUROPEAN COMMISSION. Lifelong learning. 2003 Disponível em: http://ec.europa.eu/education/policies/lll/life/what_islll_en.html. Acesso em: 10. dez. 2011.

FLORES, E. et al. Improving Patient Motivation in Game Development for Motor Deficit Rehabilitation. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON ADVANCES IN COMPUTER ENTERTAINMENT TECHNOLOGY, 2008, Yokohama. Proceedings... New York: ACM, 2008.

FOX, S. Wired Seniors: A fervent few, inspired by family ties. Pew Internet & American life project. 2001.

FU, Fong-Ling; SU, Rong-Chan; YU, Sheng-Chin. EGameFlow: A scale to measure learners’ enjoyment of e-learning games. Computers & Education, v. 52, n. 1, p. 101–112, Jan. 2009.

GAJADHAR, B.J. et al. Out of sight, out of mind: co-player effects on seniors' player experience. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON FUN AND GAMES, 3, 2010, New York. Proceedings ... New York: ACM, 2010.

GATTO, S.L.; TAK, S.H. Computer, Internet, and E-mail Use Among Older Adults: Benefits and Barriers. Educational Gerontology, v. 34, n. 9, p.800 -811, 2008.

GERLING, M.K.; SCHILD, J. e MASUCH, M. Exergame design for elderly users: the case study of Silver Balance. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON ADVANCES IN

COMPUTER ENTERTAINMENT TECHNOLOGY, 7, 2010, New York. Proceedings… New York: ACM, 2010. IBGE. Síntese de Indicadores Sociais. 2010.

IJSSELSTEIJN, W.A. et al. Digital game design for elderly users. In: PROCEEDINGS OF FUTUREPLAY, 2007, Toronto. Proceedings... Toronto: ACM, 2007. p. 17-22

KIM, Y. S. Reviewing and critiquing computer learning and usage among older adults. In: Educational Gerontology, v.34, p.709-753, 2008.

MASSARELLA, F. L.; WINTERSTEIN, P. J. A motivação intrínseca e o estado mental flow em corredores de rua. Revista Movimento, Porto Alegre, v. 15, n. 2, p. 45-68, abr./jun.2009.

MELO, M.A; BARANAUSKAS, C.C.M. Design para a Inclusão: Desafios e Proposta. In: BRAZILIAN SYMPOSIUM ON HUMAN FACTORS IN COMPUTING SYSTEMS, 7., 2006, Natal. Proceedings... Natal: ACM, 2006.

MENDONÇA, L.R.; MUSTARO, N.P. Elementos imersivos e de narrativa como fatores motivacionais em serious games. In: PROCEEDINGS OF SBGAMES, 2011, Salvador. Proceedings... Salvador: SBC, 2011.

MOL, M.A. Recomendações de usabilidade para interface de aplicativos para smartphones com foco na terceira idade. 2011. Dissertação (Mestrado) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Programa de Pós-Graduação em Informática, Belo Horizonte, 2011.

NAP, H.H.; KORT, Y.A.W. e IJSSELSTEIJN, W.A. Senior Gamers: Preferences, Motivations and Needs. Gerontechnology, n.8, p.247-262, 2009a.

NAP, H.H.; KORT, Y.A.W. e IJSSELSTEIJN, W.A. Age Differences in Associations with Digital Gaming. In: DIGITAL GAMES RESEARCH ASSOCIATION CONFERENCE, 2009, London. Proceedings... London: Brunel University, 2009b.

PANDELIEV, T.V; BAECKER, M.R. A Framework for the Online Evaluation of Serious Games. In: INTERNATIONAL ACADEMIC CONFERENCE ON THE FUTURE OF GAME DESIGN AND TECHNOLOGY, 2010, New York. Proceedings... New York: ACM, 2010.

PEARCE, C. The truth about baby boomer gamers: A study of over-forty computer game players. Games and Culture, n.3, 2008. p.142-174.

PRENSKY, M. Types of learning and possible game styles, digital game-based learning. New York: McGraw-Hill, 2001.

SALES, M. B. de; CYBIS, W. de A. Development of a checklist for the evaluation of the web accessibility for the aged users. In: LATIN AMERICAN CONFERENCE ON HUMAN-COMPUTER INTERACTION, 2003, New York. Proceedings... New York: ACM, 2003.

SCHUTTER, B. de. Never too old to play: the appeal of digital games to an older audience. Journal of Interactive Media, 2010. Disponível em: http://www.sagepublications.com. Acesso em: 2 jan. 2012.

SCHUTTER, B. de; ABEELE, V. Meaningful Play in Elderly Life. In: ICA: COMMUNICATION FOR SOCIAL IMPACT, Montreal, 2008. Proceedings... Montreal: [s.n.], 2008.

SCHUTTER, B. de; ABEELE, V. Designing meaningful play within the psycho-social context of older adults. In: PROCEEDINGS OF THE 3RD INTERNATIONAL CONFERENCE ON FUN AND GAMES, 2010, New York. Proceedings... New York, NY, USA, ACM, 2010.

TAMBASCIA, C; AVILA, I; PICCOLO, L; MELO, M.A. Usabilidade, acessibilidade e inteligibilidade aplicadas em interfaces para analfabetos, idosos e pessoas com deficiência. In: BRAZILIAN SYMPOSIUM ON HUMAN FACTORS IN COMPUTING SYSTEMS, 7., 2008, Porto Alegre. Proceedings... Porto Alegre: SBC, 2008.

VIEIRA, C.M.; SANTAROSA, C.M.L. O uso do computador e da Internet e a participação em cursos de informática por idosos: meios digitais, finalidades sociais. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO, 20., 2009, Florianópolis. Proceedings... Florianópolis: SBC, 2009.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: O desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

YEE, Y. C.L.S; DUH, B.L.H; QUEK, F. Investigating narrative in mobile games for seniors. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON HUMAN FACTORS IN COMPUTING SYSTEMS, 28, 2010, New York. Proceedings... New York: ACM, 2010.

YEE, N; DUCHENEAUT, N; NELSON, L. Online Gaming Motivations Scale: Development and Validation. In: ACM ANNUAL CONFERENCE ON HUMAN FACTORS IN COMPUTING SYSTEMS, 2012, Texas. Proceedings... Texas:ACM, 2012.

WEINBERG, R. S.; GOULD, D. Fundamentos da psicologia do esporte e do exercício. Porto Alegre: Artmed, 2001.

A ETD - Educação Temática Digital utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.