Modelo aberto de educação ambiental

Autores

  • Lucia Ceccato de Lima Universidade do Planalto Catarinense

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v15i1.1300

Palavras-chave:

Modelo aberto. Percepção ambiental. Educação ambiental. Observação ambiental

Resumo

O planejamento e a implantação de unidades legais de gestão ambiental tem sido conflituosas, gerando impasses sociais e econômicos. Esses conflitos geram movimentos cognitivos, emocionais e afetivos que de alguma forma contribuem para o aprender com o operar. A Educação ambiental, como um processo mediador, possibilita a construção coletiva do processo de desenvolvimento sustentável para os setores produtivos, com uma proposta metodológica aberta, cujo modelo é gerar soluções a partir da participação social. Neste sentido, entende-se que a educação ambiental é um processo de práxis educativa, que tem por finalidade a construção de valores, atitudes, conceitos, habilidades, normas, saberes e práticas partilhadas para a construção de um estilo de pensamento que contribua para a cidadania ambiental. Buscando compreender e contribuir com essa dinâmica social foram realizadas inúmeras e múltiplas ações pedagógicas de educação ambiental na região serrana de Santa Catarina de 2001 a 2006. Esse movimento resultou na elaboração de um modelo aberto de educação ambiental que é mediado pela percepção ambiental dos atores sociais envolvidos, entendendo percepção como a integração das dimensões biológicas, psicológicas e sociais. Assim, a proposição do Modelo Aberto de Educação Ambiental, com o paradigma da abertura transdisciplinar mediado pela percepção ambiental dos atores sociais envolvidos resultará na construção coletiva das soluções para os problemas ambientais locais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucia Ceccato de Lima, Universidade do Planalto Catarinense

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação - UNIPLAC Pesquisadora do Projeto Rede Guarani Serra Geral - Educação Ambiental

Referências

ATKINSON, Rita L. et al. Introdução à psicologia. 11.ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

BRANCO, Sandra. Educação ambiental: metodologia e prática de ensino. Rio de Janeiro: Dunya, 2003.

BRASIL. Lei no 6.513, de 20 de dezembro de 1977. Dispõe sobre a criação de Áreas Especiais e de Locais de Interesse Turístico. Brasília, DF: Presidência da República, 1977. In: MADAUAR, Odete. (Org.). Constituição federal, coletânea de legislação e direito ambiental. 8. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2009.

BRASIL. Lei no 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, regulamentada pelo Decreto 99.274 de 6 de junho de 1990.In: MADAUAR, Odete. (Org.). Constituição federal, coletânea de legislação e direito ambiental. 8. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2009.

BRASIL. Lei no 9.433, de 8 de janeiro de 1997. Institui a Política Nacional dos Recursos Hídricos. 1997.In: MADAUAR, Odete. (org.). Constituição federal, coletânea de legislação e direito ambiental. 8. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2009.

BRASIL. Lei no 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre Educação Ambiental e Institui a Política Nacional de Educação Ambiental. 1999. In: MADAUAR, Odete. (Org.). Constituição federal, coetânea de legislação e direito ambiental. 8. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2009.

BRASIL. Lei no 9.985 de 18 de julho de 2000. Unidades de Conservação que institui o Sistema Nacional de Unidade de Conservação da Natureza – SNUC. Brasília. DF: Presidência da República, 2000.In: MADAUAR, Odete. (Org.). Constituição federal, coetânea de legislação e direito ambiental. 8. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2009.

BRASIL. Lei no 10.257 de 10 de julho de 2001, Estatuto da Cidade, 2001. In:MADAUAR, Odete. (Org.). Constituição federal, coletânea de legislação e direito ambiental. 8. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2009.

CAPRA, Frijot. As conexões ocultas: ciência para uma vida sustentável. São Paulo: Cultrix, 2002.

CARVALHO, A. M. P.; GIL-PÉREZ, D. A formação dos professores de ciências: tendências e inovações. São Paulo: Cortez, 1998.

DELIZOICOV, Demétrio. Conhecimento, tensões e transições. 213 f. 1991. São Paulo. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo. 1991.

DIAS, G. F. Educação ambiental: princípios e práticas. 9. ed. São Paulo: Gaia, 2004.

FERNANDES, Roosevelt S. et al. Uso da percepção ambiental como instrumento de gestão em aplicação ligadas às áreas educacional, social e ambiental. Disponível em: www.rebea.org.br. Acesso em: 15 set. 2003.

LAGES (SC). Lei complementar n° 59 de 04 junho de 1997, cria o Parque Ecológico Municipal João José Theodoro da Costa em Lages (SC). Gabinete do Prefeito, 1997. In: LAGES (SC). Plano de Manejo Participativo do Parque Natural Municipal João José Theodoro da Costa Neto. Lages (SC): PROSUL, 2006.

MATURANA, Humberto. Cognição, ciência e vida cotidiana. Belo Horizonte: UFMG, 2001.

MATURANA, Humberto; VARELA, Francisco. A árvore do conhecimento. São Paulo: Palas Athena, 2001.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. 3.ed. Lisboa: Instituto Piaget, 2001.

NICOLESCU, Basarab. O manifesto da transdisciplinaridade. São Paulo: TRIOM, 2001.

REIGOTA, M. Meio ambiente e representação social. 8.ed. São Paulo: Cortez, 2010.

SCHÄFER, L.; SCHNELLE, T. Los fundamentos de la visión sociológica de Ludwik Fleck e la teoría de la ciencia. In: FLECK, L. La génesis y el desarrollo de un hecho científico. Madri: Alianza Editorial, 1986.

SILVA, Daniel. J. Uma abordagem cognitiva ao planejamento estratégico do desenvolvimento sustentável (PEDS). 240 f. 1998. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia da Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 1998.

Downloads

Publicado

2013-02-27

Como Citar

Lima, L. C. de. (2013). Modelo aberto de educação ambiental. ETD - Educação Temática Digital, 15(1), 161–178. https://doi.org/10.20396/etd.v15i1.1300

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)