Marcos legais para os Cursos de Graduação em Pedagogia no Brasil: análise das atribuições do pedagogo

Autores

  • Rosana Sousa Pereira Lopes Universidade Estadual de Londrina
  • Luciane Guimarães Batistella Bianchini Universidade Estadual de Londrina
  • Nelson Pedro Silva Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v16i3.1309

Palavras-chave:

Docência. Gestão da escola. Função. Políticas públicas em educação.

Resumo

As Diretrizes Curriculares Nacionais atuais estabelecem como parâmetros para os cursos de Pedagogia a formação de docentes e de profissionais para a realização de atividades de apoio escolar (gestão) e pesquisas educacionais. Nosso objetivo foi o de analisar as atribuições do pedagogo, desde 1930. Para tal, realizamos análise documental das principais leis que nortearam as atividades realizadas por este profissional. Buscamos demonstrar como o pedagogo se transformou: de “velho” mestre-escola (1854-1880) em professor de instrução primária (final dos séculos XIX e XX) e, hodiernamente, em um “faz tudo” nas escolas e nas instâncias de administração dessas instituições. Esperamos, com tais análises, contribuir para a definição das atribuições do pedagogo na atualidade e oferecer conhecimentos para reflexão aos alunos dos cursos de graduaçãoem Pedagogia no Brasil, auxiliando na formação desses futuros profissionais. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosana Sousa Pereira Lopes, Universidade Estadual de Londrina

Pedagoga formada pela UEL- Mestre em Educação pela- UNIMEP - Piracicaba - SP, Doutorado em Educação e Currículo - PUC-SP.

Luciane Guimarães Batistella Bianchini, Universidade Estadual de Londrina

Psicopedagoga e Pedagoga formada pela UEL- Mestre em Educação pela UEL, Doutora em Psicologia do Desenvolvimento Humano– UNESP/Assis. Pós Doutoranda em Psicologia do Desenvolvimento Humano– UNESP/Assis.

Nelson Pedro Silva, Universidade Estadual Paulista

Psicólogo formado pela UNESP, Mestre em Psicologia da Educação pela PUC-SP, Doutor em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela USP-SP. Especialista em Psicopedagogia e em Psicologia Ética e Moral. Ex-Editor da Revista Vertentes– publicação científica do Departamento de Psicologia Evolutiva da UNESP

Referências

AGUIAR, Márcia ngela da Silva et. al. Diretrizes Curriculares do Curso de Pedagogia no Brasil: disputas de projetos no campo da formação do profissional da educação. Educação e Sociedade, Campinas, SP, v.27, n. 96, p. 819-842, out. 2006.

AGUIAR, Márcia; SCHEIBE, Leda. Formação de profissionais da educação no Brasil: o curso de Pedagogia em questão. Educação e Sociedade, Campinas, SP, v.20, n. 68, p. 220-238, dez. 1999.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei n. 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as diretrizes e bases da educação nacional. Documenta, Brasília, DF, n.1, 1962.

BRASIL. Conselho Federal de Educação. Parecer n. 252/1969. Estudos pedagógicos superiores. Mínimos de conteúdos e duração para o curso de graduação em Pedagogia. Relator: Valnir Chagas. Documenta, DF, Brasília, n.100, p. 101-179, 1969.

BRASIL. Decreto-Lei n. 1.190, de 4 de abril de 1939. Organização da Faculdade Nacional de Filosofia. Diário Oficial da União, Brasília, DF, Diário oficial da União, 6 abr. 1939. Seção 1, p. 7.929.

BRASIL. Decreto-Lei n. 8.558, de 4 de janeiro de 1946. Cria cargos isolados de provimento efetivo, no Quadro Permanente do Ministério da Educação e Saúde e dá outras providências. 1946. (Mimeog.).

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer 05/2005. Estabelece as diretrizes curriculares nacionais para o curso de Pedagogia. Ministério da Educação, 2005. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/pcp05_05.pdf. Acesso em: 3 nov. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei 5.540, de 28 de novembro de 1968. Fixa normas de organização e funcionamento do ensino superior e sua articulação com a escola média e dá outras providências. Ministério da Educação, 1968. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l5540.htm. Acesso em: 3 nov. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Ministério da Educação, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 3 nov. 2014.

BRASIL. Resolução CNE/CP 1/2006. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Pedagogia. Diário Oficial da União, Brasília, DF, n. 92, 2006. Seção 1, p. 11-12. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_06.pdf. Acesso em: 3 nov. 2014.

BREZEINSKI, Iria. Pedagogia, pedagogos e formação de professores: busca e movimento. Campinas, SP: Papirus, 1996.

CAMPOS, Roselane. A definição das diretrizes para o curso de Pedagogia. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANFOPE, 12., 2004, Brasília, DF. Anais... Brasília, DF: ANFOPE, 2004. Disponível em: http:// www. anped.org.br. Acesso em: 18 set. 2014.

DOWBOR, Ladislau. Tendências da gestão social. Saúde e Sociedade, São Paulo, SP, v. 8, n. 1, p. 3-16, fev. 1999. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v8n1/02.pdf. Acesso em: 10 nov. 2014.

EVANGELISTA, Olinda. A formação universitária do professor: o Instituto de Educação da Universidade de São Paulo (1934-1938). Florianópolis: NUP/CED/UFSC/Cidade Futura, 2002.

FURET, François; OZOUF, Jacques. Lire et écrire. Paris: Minuit, 1977.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

KÜENZER, Acacia Zenaide; RODRIGUES, Marli de Fátima. As diretrizes curriculares para o curso de Pedagogia: uma expressão da epistemologia da prática. In: SILVA, A. M. et al. (Org.). Novas subjetividades, currículo e questões pedagógicas na perspectiva da inclusão social. Recife: Bagaço, 2006. p. 185-202. Disponível em: http://ced.ufsc.br. Acesso em: 10 nov. 2011.

LIB NEO, José Carlos. Formação dos profissionais da educação: visão crítica e perspectivas de mudança. In: PIMENTA, S. G. Pedagogia e pedagogos: caminhos e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2006. p. 11-57.

NÓVOA, Antonio. Os professores e a sua formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1992.

PIMENTA, Selma Garrido. Pedagogia e pedagogos: caminhos e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2006.

SAVIANI, Demerval. Da nova LDB ao Fundeb: por uma outra política educacional. Campinas, SP: Autores Associados, 2007a.

SAVIANI, Demerval. Pedagogia: o espaço da educação na universidade. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, SP, v. 37, n. 130, p. 99-134, 2007b. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742007000100006. Acesso em: 3 nov. 2014.

SCHEIBE, Leda; DURLI, Zenilde. Curso de Pedagogia no Brasil: olhando o passado, compreendendo o presente. Educação em Foco, Belo Horizonte, v.14, n. 17, p. 79-109, jul. 2011. Disponível em: http://www.uemg.br/openjournal/index.php/educacaoemfoco/article/view/104. Acesso em: 25 out. 2014.

SILVA, Carmem Silvia Bissolli da. Curso de pedagogia no Brasil: história e identidade. Campinas, SP: Autores Associados, 1999.

Downloads

Publicado

2014-12-16

Como Citar

Lopes, R. S. P., Bianchini, L. G. B., & Silva, N. P. (2014). Marcos legais para os Cursos de Graduação em Pedagogia no Brasil: análise das atribuições do pedagogo. ETD - Educação Temática Digital, 16(3), 458–474. https://doi.org/10.20396/etd.v16i3.1309