Saúde mental na formação do psicólogo

Autores

  • Maria Helena Melhado Stroili Pontíficia Universidade Católica de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v8i2.662

Palavras-chave:

Saúde mental. Interdisciplinaridade. Formação do psicólogo.

Resumo

Este artigo propõe um debate sobre o Campo da Saúde Mental, sua estruturação no Brasil, seus conceitos e postulados. A partir dos dados obtidos em teses, dissertações de mestrado, artigos de periódicos, relatórios oficiais e de associações analisados na tese de doutorado da autora, debate-se a articulação da produção do conhecimento, o pensamento e o movimento no interior do Campo da Saúde Mental e suas implicações na formação do psicólogo, com especial destaque à interdisciplinaridade. Põe também em discussão o conceito de saúde e doença mental. As bases teóricas apoiam-se na teoria de Campo de Pierre Bourdieu e na metodologia da Arqueologia do saber de Michel Foucault.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Helena Melhado Stroili, Pontíficia Universidade Católica de Campinas

Psicóloga e Psicopedagoga de crianças e de adolescentes Docente da Faculdade de Psicologia da PUC-Campinas e da FAM Faculdades de Americana.

Referências

ADIB, J. A. D. Saúde mental: esvaziamento de uma trama conceitual. Revista Psicologia em Estudo, v.2 n.1, p. 41-70, 1997.

ALMEIDA FILHO, N. Cultura e psicopatologia. Revisão da literatura epidemiológica Latino-Americana. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, v. 34, n.6, p. 357-364, 1985.

AMARANTE, P. Loucos pela vida: a tragetória da reforma psiquiátrica no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: Fiocruz,1998

BASTIDE, R. Sociologia das doenças mentais. Trad. Ramiro Fonseca. Lisboa: Europa América, 1965.

BASÁGLIA, F. - A psiquiatria alternativa contra o pessimismo da razão, o otimismo da prática. Conferências no Brasil. São Paulo: Ed. Brasil Debates, 1979.

BOURDIEU, P. - A economia das trocas simbólicas. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1987, p. 99-181.

CAMPOS, F. C. B.; SPINK, M. J. (Org.). Psicologia e saúde: representando práticas. São Paulo: Hucitec, 1992. v.6, Série Saúde Loucura.

CAPLAN, G. Princípios de la psiquiatria preventiva. Buenos Aires: Paidos, 1967.

CARVALHO, A.M.A. Onde estão e o que fazem nossos mestres e doutores? Uma reflexão sobre os critérios de avaliação da pós-graduação. Psicologia Ciência e Profissão, Brasília, ano 19 n.2, p. 54-63. 1999.

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA. Trancar não é tratar: liberdade o melhor remédio. São Paulo, 1997.

CONTINI, M. L. J. Discutindo o conceito de promoção de saúde no trabalho do psicólogo que atua na educação. Psicologia Ciência e Profissão, Brasília, v.20, n.2, p.46-59, 2000.

FOUCAULT, M. - Doença mental e psicologia. Trad. Lilian R. Shalders. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro 1975. (Coleção Biblioteca Tempo Universitário).

FOUCAULT, M. - A arqueologia do saber. Trad. Luiz Felipe B. Neves, Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1987, p. 239, 4o Ed. (Coleção Campo Teórico).

GONZÁLEZ, F.REY - Psicologia Saúde: Desafios atuais in Psicologia e Crítica. Porto Alegre, 1997, v. 10 n.2 p. 275-288.

JAPIASSU, H. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro, Imago, 1976.

LILAC, S. Literatura latina americana em ciência da saúde. BIREME (Sistema Latino Americano e do Caribe), Brasília, 2001. Disponível em: http://www.bireme.br/php/index.php.

LUZ, M. As instituições médicas no Brasil. Rio de Janeiro: Graal, 1986.

MARÇAL RIBEIRO, P. R. Saúde mental: dimensão histórica e campos de atuação. São Paulo: Ed. Pedagógica Universitária, 1996.

MARSIGLIA, R. G. et al. Saúde mental e cidadania. São Paulo: Hucitec, 1995. (Coleção Saúde em Debate).

MINAYO, M. CECÍLIA, O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 4.ed. São Paulo: Hucitec, 1996.

NUNES, E. D. A questão da interdisciplinaridade no Estudo da Saúde Coletiva e o papel das ciências sociais. In: CANESQUI, A . M. (Org.). Desafios e dilemas das ciências sociais na saúde coletiva. São Paulo: Hucitec, 1995. p. 95-113.

NUNES, E. D. As ciências sociais em saúde e reflexões sobre as origens e a construção de um campo de conhecimento. Saúde e Sociedade, v.1, n.1, p. 59-84, 1992.

PITTA, A. M. Limites e possibilidades de saúde mental em saúde pública. São Paulo: Mineo, 1984.

SPINK, M. J. (Org.). O conhecimento no cotidiano: representações sociais na perspectiva da psicologia social. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1993.

STROILI, M.; HELENA M. Saúde mental no Brasil: uma análise da estruturação e do desenvolvimento do campo. 2002. Tese (Doutorado) – Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2002.

VASCONCELOS, E. M. - Desinstitucionalização e interdisciplinaridade em saúde mental, Cadernos do IPUB, n.7. Rio de Janeiro: UFRJ, 1997

Downloads

Publicado

2008-12-03

Como Citar

Stroili, M. H. M. (2008). Saúde mental na formação do psicólogo. ETD - Educação Temática Digital, 8(2), 278–294. https://doi.org/10.20396/etd.v8i2.662