Cotidiano escolar e políticas curriculares: táticas entre professores e consumidores

Autores

  • Andréa Varsone Carreri Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v8i2.667

Palavras-chave:

Curriculos. Ensino médio. Professores. Narrativa. Competências.

Resumo

Esse trabalho envolve uma investigação acerca de práticas pedagógicas no cotidiano escolar articuladas às políticas curriculares nacionais de ensino médio deflagradas no Brasil, a partir do final da década de 90. O aporte teórico-metodológico da pesquisa está focado nas contribuições dos estudos de Michel De Certeau e Walter Benjamin. Foram entrevistados professore(a)s experientes que narraram como consomem as noções curriculares de "competências e habilidades" nos seus fazeres pedagógicos, especialmente na disciplina escolar química. Os resultados da investigação apontam para os efeitos de uma circularidade de discursos ocasionada pela permanente tensão entre políticas públicas e maneiras de fazer presentes no cotidiano escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andréa Varsone Carreri, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Licenciatura e habilitação em química pela Universidade Metodista de Piracicaba, especialização no ensino de química e mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Atualmente é professora horista do Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio. Tem experiência docente na área de Química geral, Físico-química, Química orgânica, Química analítica e Bioquímica.

Referências

ALVES, N. e OLIVEIRA, E. Uma história da contribuição dos estudos do cotidiano escolar ao campo do currículo. In Currículo: debates contemporâneos. São Paulo: volume 2, Cortez, 2002

AMORIM, A. C. Os olhares do caminhante nos territórios do Ensino de Biologia. Tese de doutorado, UNICAMP, 2000.

ARROYO, M.A. Ofício de mestre: imagens e auto-imagens. Rio de Janeiro: Vozes, 2002.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Ministério da Educação: Secretária da Educação Básica, 1999.

BRASIL. Orientações Curriculares Nacionais para Ensino Médio. Ministério da Educação Secretaria da Educação e Tecnologia, 2004.

BENJAMIN, W. Obras escolhidas I: Magia e Técnica, arte e política, Ensaios sobre a literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1985.

BENJAMIN, W. Obras escolhidas II: Rua de mão única. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BRANDÃO, C. R. A educação como cultura. Campinas: Mercado das letras, 2002.

CANCLINI, N. G. As culturas populares no capitalismo. São Paulo, Brasiliense, 1983.

CARNEIRO, M. e MAIA, E. O Ensino Médio em Questão. São Paulo: Biruta, 2000.

CERTEAU, M. A Invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer. 9ª edição. Petrópolis: Vozes, 2003.

CERTEAU, M. A Cultura no Plural, 3ª edição, Campinas: Papirus, 2003.

COSTA, T. A. A noção de competência enquanto princípio de organização curricular. Revista Brasileira de Educação, ANPED, Rio de Janeiro, nº 29, maio de 2005.

DAYRELL, J. Múltiplos olhares sobre a educação e cultura. Belo Horizonte: UFMG, 2001.

FERRETI, C. J. A reforma do ensino médio: uma critica em três níveis. In: Formação de Educadores – Desafios e perspectivas, Barbosa, R.L.L (org). São Paulo: UNESP, 2003.

FORQUIN, J. C. Escola e Cultura: As bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1993.

GARNICA, A. V. M. O Escrito e o oral: uma discussão inicial sobre os métodos da história. Revista Ciência e Educação, 5(1), 27-35, 1998.

GINZBURG, C. O queijo e os vermes. O cotidiano e as idéias de um moleiro perseguido pela inquisição. 3ª edição, São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

GUIMARÃES. A. M. Poder e Instituições escolares: Novas leituras. Mesa redonda do congresso de Leitura do Brasil, I seminário sobre educação e História na Universidade Estadual de Campinas, 24 de julho de 2003.

JAROUCHE, M. M. (tradutor). Livro das mil e uma noites. São Paulo: Globo, 2005. KUENZER, A. Z. O ensino médio agora é para a vida. Revista Educação e Sociedade, ano XXI, no 70, abril, 2000.

LADEIRA, J. G. As mil e uma noites. São Paulo: Scipione, 1987.

LARROSA, J. Notas sobre a experiência e o saber da experiência. I seminário Internacional de Educação de Campinas, Campinas, 2001.

LAVILLE, C. e DIONE, J. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artmed, 1999.

LOPES, A.C. Ensino de química e conhecimento cotidiano. XX reunião anual da sociedade brasileira de química, Poços de Caldas, 1997.

LOPES, A.C. Conhecimento escolar: ciência e cotidiano. Rio de Janeiro, UERJ, 1999.

LOPES, A.C. Competências na organização curricular da reforma do ensino médio. São Paulo, Boletim senac, volume 27, no 03, 2001.

LOPES, A.C. Políticas curriculares: continuidade ou mudança de rumos? Revista brasileira de educação, Rio de janeiro, número 26, maio/agosto, 2004.

MACEDO, E. Currículo e Competência. In Disciplinas e Integração curricular: Histórias e políticas.

MACEDO, e. LOPES A. C. (orgs.). Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2002. MACEDO, E. Formação de professores e diretrizes curriculares nacionais: para onde caminha a educação? Disponível na internet via: http://www.educacaoonline.pro.br/art_formacao_de_professores.asp. 2001.

MOREIRA, A.F.B. Reflexões sobre o currículo. Revista Química Nova na Escola, nº 09, maio. 1999.

NUNES, C.M.F. Saberes docentes e formação de professores: Breve Panorama da pesquisa Brasileira. Revista Educação e Sociedade, ano XXII, nº 74, abril, 2001.

OLIVEIRA. I.B. Currículos Praticados entre a regulação e a emancipação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

OLIVEIRA, I. B. Criação curricular, autoformação e formação continuada no cotidiano escolar. In: Cotidiano escolar, formação de professores(a)s e currículo. FERRAÇO, C.E. (organizador). São Paulo: Cortez Editora, 2005.

PÉREZ, C. L. V. O lugar da memória e a memória do lugar na formação de professores: a reinvenção da escola como uma comunidade investigativa. GT - formação de professores, nº 8, 26a reunião anual da anped, 2003.

PERRENOUD, Construir competências é virar as costas aos saberes? Faculdade de psicologia e ciências da Educação, Universidade de Genebra, (texto disponível na internet no edereço: www.patiopaulista.sp.go.br), 1999.

ROMANELLI, O. O. História da Educação no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1989.

ROSA, M.I.P. O lugar da Química na escola – movimentos constitutivos da disciplina no contexto escolar. Revista Ciência e Educação, FC/UNESP/Bauru, vol. 11, n. 2, 2005.

SACRISTÁN, J. G. O currículo – Uma reflexão sobre a prática. Porto alegre: Artmed, 2000.

SILVA, T. T. Documentos de identidade – uma introdução às teorias do currículo, 2ªedição, Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

VEIGA, A. N. Foucault & a Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

Downloads

Publicado

2008-12-03

Como Citar

Carreri, A. V. (2008). Cotidiano escolar e políticas curriculares: táticas entre professores e consumidores. ETD - Educação Temática Digital, 8(2), 310–310. https://doi.org/10.20396/etd.v8i2.667

Edição

Seção

Dissertações e Teses em Resumos