A relação professor-aluno não existe: corpo e imagem, presença e distância

Autores

  • Rinaldo Voltolini Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v8i0.695

Palavras-chave:

Relação professor-aluno. Discurso. Objeto.

Resumo

O recente e crescente uso de recursos áudio-visuais e de informática no ensino recolocou para muitos a questão da necessidade da presença do professor. Longe de ser apenas um recurso que vem prolongar o que já está no universo escolar, sua entrada modifica a dinâmica da relação professor-aluno. As condições que permitiram esta entrada parecem corresponder aquilo que Lacan elucida em sua teoria dos Discursos quando se pergunta: os gadgets vencerão? A mudança das relações entre o sujeito e o objeto, características deste novo discurso contemporâneo, o do Capitalista, no qual o objeto parece predominar sobre o sujeito, podem ser lidas em vários âmbitos. O objetivo deste estudo é analisar as vicissitudes desta mudança no interior das práticas educativas, particularmente em torno do que esta questão sobre a necessidade da presença do professor ilustra sobre ela. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rinaldo Voltolini, Universidade de São Paulo

Psicanalista, Professor Doutor em Psicologia, leciona Psicologia e Psicanálise na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (Brasil), Departamento de Filosofia e Ciências da Educação e Laboratório de estudos e pesquisas psicanalíticas e educacionais sobre a infância (LEPSI).

Referências

ARENDT, H. Condition de l’homme moderne. Paris: Calmann-Lévy, 1994, [1958].

BOLLE, A. B. M. Chico Buarque de Hollanda: seleção de textos, notas, estudo biográfico, histórico e crítico, exercícios. São Paulo: Abril Educação, 1980. p. 28-29.

CANGUILHEM, G. Qu’est-ce que la psychologie? Ètudes d’histoire et de philosophie des ciences. Paris: Vrin, 1968.

FOUCAULT, M. L’ordre du discours. Paris: Gallimard, 1971

FREUD, S. O mal-estar na civilização. [1930] Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago Editora,1996, v. 21

GORI, R.; DEL VOLGO M. J. La santé totalitaire: essai sur la médicalisation de l’existence. Paris: Denoël, 2005. p. 264.

LACAN, J. Escritos. O estádio do espelho como formador da função do eu. Rio de Janeiro: J.Z.E, 1998a, [1966], p. 938.

LACAN, J. Escritos. O tempo lógico e a asserção da certeza antecipada. Rio de Janeiro: J.Z.E., 1998b, [1966], p.938.

LACAN, J. O seminário. Livro 17: o avesso da psicanálise. Rio de Janeiro: J.Z.E., 1998c, [1969-1970], p. 210.

LACAN, J. O Seminário. Livro 20: Mais ainda. Rio de Janeiro: J.Z.E., 1985, [1972-73], p.201.

LEBRUN, J. P. Um mundo sem limite: ensaio para uma clínica psicanalítica do social. Rio de Janeiro: Companhia de Freud Editora, 2004, p.218. 2001: uma odisséia no espaço. Direção: Stanley Kubrick. São Paulo: Metro-Goldwyn-Mayer, 1968. 141 min., color, legendado. (Tradução de 2001: A Space Odyssey – Fita de vídeo – VHS/NTSC. Ficção).

Downloads

Publicado

2008-11-26

Como Citar

Voltolini, R. (2008). A relação professor-aluno não existe: corpo e imagem, presença e distância. ETD - Educação Temática Digital, 8, 119–139. https://doi.org/10.20396/etd.v8i0.695