Passagens e imagens do ateliê de Paulo Bruscky vistos através da contemporaneidade da bienal

Palavras-chave: Educação e arte-ensaios

Resumo

Pensar em Bienal leva-nos a imaginar trajetos e várias ações voltadas para a organização e exposição de objetos e instrumentos que serão vistos por várias pessoas em determinado período. Nessas exposições vale também apresentar não somente objetos, mas locais, casas, edificações e até mesmo ateliê de arte em sua estrutura e posição original, que é o caso do ateliê apresentado neste ensaio sobre Paulo Bruscky. Será apresentar neste ensaio, uma descrição dos locais, ou melhor, dizer, partes da casa doa artista, trazida de Recife (PE) para ser mostrada ao público o seu trabalho e como ele é organizado em várias perspectivas...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gildenir Carolino Santos, Universidade Estadual de Campinas

Bacharel em Biblioteconomia pela PUC-Campinas; Mestre e Doutor pela Faculdade de Educação/UNICAMP; Diretor da Biblioteca Joel Martins-Faculdade de Educação/UNICAMP; Editor Científico da revista RDBCI.

Referências

AUMONT, J. A imagem. 2.ed. Campinas: Papirus, 1995.

FABRIS, A. Identidades virtuais: uma leitura do retrato fotográfico. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2004.

HOUAISS, A. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

Publicado
2008-11-12
Como Citar
Santos, G. C. (2008). Passagens e imagens do ateliê de Paulo Bruscky vistos através da contemporaneidade da bienal. ETD - Educação Temática Digital, 6(2), 181-191. https://doi.org/10.20396/etd.v6i2.780

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >>