Multiculturalismo e linguagem: literatura surda, o caminho contrário ao esquecimento

Autores

  • Raquel Silva Soares Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v7i2.789

Palavras-chave:

Multiculturalismo. Linguagem. Literatura surda. Surdez.

Resumo

A partir da concepção de diferença lingüística evidenciarei a importância do respeito e conhecimento da literatura produzida por grupos ou comunidades como forma se expressão social e cultural. A exemplo do conto Cinderela que, ao ser recontada por surdos adultos, universitários, sobrevive com o título de Cinderela Surda. A literatura produzida por surdos usuários da língua de sinais evidencia sua inserção nos contos acrescentando a história de sua educação e a história do nascimento das comunidades surdas. Paralelo traçado na forma como o príncipe surdo aprende língua de sinais através de um professor ouvinte sinalizador e Cinderela (no caso plebéia) apropria-se da língua no contato com surdos. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raquel Silva Soares, Universidade Estadual de Campinas

Pedagoga especialista em Educação Especial – PUC-Campinas. Membro do Grupo de Estudos Surdos (GES) – UNICAMP. Professora no Ensino Infantil.

Referências

ANDRESEN, Sophia de M. B., História da Gata Borralheira. In: Histórias de terra e mar. 19. ed. Lisboa: Texto Editora, 2000.

CAPOVILLA, F. C. e RAPHAEL, W. D. Dicionário Enciclopédico Ilustrado Trilíngüe da Língua de Sinais Brasileira, Vol. 1 e 2: Sinais de A à Z. Ilustração: Silvana Marques. 2. ed. São Paulo: EDUSP, 2001.

GOES, M.C.R. Linguagem, surdez e educação. 2. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 1999.

GOES, M.C.R. Com quem as crianças surdas dialogam em sinais? In: LACERDA, C. B. F. de.

GÓES, M. C. R. de (org.) Surdez: processos educativos e subjetividade. São Paulo: LOVISE, 2000.

HESSEL, C.; ROSA, F.; KARNOPP, L. Cinderela surda. Canoas: ULBRA, 2003.

LEMOS, C. de; PEREIRA, M. C. C., O gesto na interação mãe ouvinte-criança-surda. In: CICCONE, Marta, Comunicação Total: introdução, estratégias a pessoa surda. 2. ed. Rio de Janeiro: Cultura Médica, 1996.

OLIVEIRA, Cristiane Madanêlo de. Presença da fada-madrinha nas versões do conto Cinderela. Disponível em: http://www.graudez.com.br/litinf/trabalhos/contosdefadas.htm. Acesso em: 26 nov. 2005.

PERLIN, G. Identidades Surdas e currículo. In: LACERDA, C. B. F. de. GÓES, M. C. R. de (org.) Surdez: processos educativos e subjetividade. São Paulo: LOVISE, 2000.

PERRAULT, Charles, Histórias ou contos de outrora. Trad. Renata Maria Parreira Cordeiro. São Paulo: Landy Editora, 2004.

QUADROS, R. M. de. & KARNOPP, L. B. Língua de sinais brasileira: estudos lingüísticos. Porto Alegre: ARTMED, 2004.

SÁ, N. R. L. de, Educação de surdos: a caminho do bilingüismo. Niterói: EDUFF, 1999.

SANTORO, B. M. R., Contando histórias, programando o ensino: a literatura infantil na pré-escola com alunos surdos. 1994. Dissertação (Mestrado em Educação Especial) Pontifícia Universidade Católica de Campinas, 1994.

SKLIAR, C. B.; LUNARDI, M. L., Estudos surdos e estudos culturais em educação: um debate entre professores ouvintes e surdos sobre o currículo escolar. In: LACERDA, C. B. F. de. GÓES, M. C. R. de (org.) Surdez: processos educativos e subjetividade. São Paulo: LOVISE, 2000.

Downloads

Publicado

2008-11-13

Como Citar

Soares, R. S. (2008). Multiculturalismo e linguagem: literatura surda, o caminho contrário ao esquecimento. ETD - Educação Temática Digital, 7(2), 34–46. https://doi.org/10.20396/etd.v7i2.789