Promoção de reflexividade na formação inicial docente: o papel do professor orientador de pesquisa

Autores

  • Rita Buzzi Rausch Fundação Regional de Blumenau
  • Ana Maria Falcão de Aragão Sadalla Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v9i2.825

Palavras-chave:

Formação inicial de professores. Reflexividade. Iniciação à pesquisa. Papel do orientador de pesquisa.

Resumo

A formação inicial de professores, comumente, propõe princípios da prática investigativa como abordagem metodológica docente, constituindo-se em aprendizagem e construção reflexiva do professor. Nesta perspectiva, muitas instituições incluíram no currículo o Trabalho de Conclusão de Curso. Nesta atividade, investigamos os principais atributos do professor orientador ao desenvolvimento da reflexividade dos orientandos. Os sujeitos foram sete acadêmicas de Pedagogia. Os encontros de orientação foram gravados e transcritos e a apresentação oral da pesquisa videogravada. Foi solicitado para que cada acadêmica registrasse em portfólios, o processo de pesquisa vivenciado. Na realização de sua primeira pesquisa verificamos que as acadêmicas foram dependentes, apresentando medos e inseguranças frente ao novo. Os principais atributos da orientação à promoção da reflexividade das acadêmicas foram: mediação do conhecimento; auxílio na definição e compreensão da teoria; sinalização da necessidade de um olhar crítico frente ao fenômeno estudado; indicação de cuidados éticos à pesquisa; assunção de uma atitude indagativa; sinalização da incerteza do processo de pesquisa; animação do processo de aprendizagem das acadêmicas; inserção das acadêmicas em eventos científicos e solicitação do registro da pesquisa em portfólio. Este resultado vem ressaltar a importância da figura do orientador no processo de pesquisa à promoção da reflexividade docente. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rita Buzzi Rausch, Fundação Regional de Blumenau

Pedagoga. Doutora em Educação. Atua como docente e pesquisadora no curso de Pedagogia na Fundação Regional de Blumenau (FURB) – SC.

Ana Maria Falcão de Aragão Sadalla, Universidade Estadual de Campinas

Psicóloga. Doutora em Educação. Docente do Departamento de Psicologia Educacional da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Referências

ALARCÃO, I. (Org.). Formação reflexiva de professores: estratégias de supervisão. Porto: Editora Porto, 1996.

ALARCÃO, I. (Org.). Escola reflexiva e nova racionalidade. Porto Alegre: Artes Médicas, 2001.

ALARCÃO, I. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. São Paulo: Cortez, 2004.

ANDRÉ, M. O papel da pesquisa na formação de professores. In: REALI, A.M.R.; MIZUKAMI, M.G.N. Formação de professores, tendências atuais. São Carlos: EDUFSCAR, 1994.

ANDRÉ, M. Pesquisa, formação e prática docente. In: ANDRÉ, M. ; LÜDKE, M., O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores (Org.). Papirus: São Paulo, 2001.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Proposta de diretrizes para a formação inicial de professores da educação básica em cursos de nível superior. 2001.

CARR, W.; KEMMIS, S. Teoria crítica de la enseñanza: la investigación-acción en la formación del professorado. Barcelona: Martínez Roca, 1988.

ELLIOT, J. El cambio educativo desde la investigaciós-acción. Madri: Morata, 1996.

GERALDI, C.M.G.; FIORENTINI, D.; PEREIRA, E.M. de A. (Org.). Cartografias do trabalho docente. Campinas: Mercado das Letras, 1998.

LOIZOS, P. Vídeo, filme e fotografias como documentos de pesquisa. In: BAUER, M. W; GASKELL, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2003.

LÜDKE, M. A pesquisa e o professor da escola básica: que pesquisa, que professor? In: CANDAU, V. M. (Org.). Ensinar e aprender: sujeitos, saberes e pesquisa. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

LÜDKE, M. et al. O professor e a pesquisa. Campinas: Papirus, 2001.

LÜDKE, M. Investigando sobre o professor e a pesquisa. In ROMANOWSKI, J.; MARTINS, P.; JUNQUEIRA, S. (Org.). Conhecimento local e conhecimento universal: pesquisa, didática e ação docente. Curitiba, Champagnat, 2004.

MARQUES, M. O. Escrever é preciso: o princípio da pesquisa. Ijuí: Unijuí, 2001.

NÓVOA, A. O espaço público da educação: imagens, narrativas e dilemas. In: PROST, A. et al. Espaços de educação: tempos de formação. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2002.

RAUSCH, R. B. A reflexividade promovida pela pesquisa na formação inicial de professores. 180f. 2008. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

SÁ-CHAVES, I. Formação, conhecimento e supervisão. Contributos nas áreas da formação de professores e de outros profissionais. Aveiro: Universidade de Aveiro, 2000.

SÁ-CHAVES, I. Informação, formação e globalização: novos ou velhos paradigmas? In: ALARCÃO, I. (Org). Escola reflexiva e nova racionalidade. Porto Alegre: Artes Médicas, 2001.

SÁ-CHAVES, I. A construção de conhecimento pela análise reflexiva da práxis. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian ; Ministério da Ciência e da Tecnologia, 2002.

SÁ-CHAVES, I; PAIXÃO, F; CACHAPUZ, A. Desafios da complexidade e novas tendências de reconceptualização curricular. Série Estudos – UCDB, Campo Grande , n.15, p. 11-36, jan/jun, 2003.

SÁ-CHAVES, I. Formação de professores: encruzilhadas e desafios. Conferência proferida no Curso Desenvolvimento profissional e competência reflexiva: estratégias metacognitivas de co-construção de conhecimento. Promoção GEPEC: UNICAMP, 11 a 15 de julho de 2005a.

SÁ-CHAVES, I. Formação e desenvolvimento pessoal e profissional: o uso de portfolio reflexivo. Conferência proferida no Curso Desenvolvimento profissional e competência reflexiva: estratégias metacognitivas de co-construção de conhecimento. Promoção GEPEC: UNICAMP, 11 a 15 de julho de 2005b.

SÁ-CHAVES, I. (Org.). Os “portfolios” reflexivos (também) trazem gente dentro: reflexões em torno do seu uso na humanização dos processos educativos. Porto: Porto Editora, 2005c.

SÁ-CHAVES, I. Notas de orientação individual. Pós-doutoramento de Ana M. F. de Aragão Sadalla. Aveiro: Universidade de Aveiro, abril e maio de 2007.

SADALLA, A.M.F. de A. Construindo uma escola reflexiva: o que a psicologia tem a ver com isso? In. VICENTINI, A. A. F.; SANTOS, I. H. dos; ALEXANDRINO, R. (Org.). O coordenador pedagógico: práticas, saberes e produção de conhecimentos. Campinas: UNICAMP/FE, 2006.

SADALLA, A. M. F. De A. Constituição da reflexividade docente: indícios de

desenvolvimento profissional coletivo. Relatório pós-doutoral. Aveiro: Universidade de Aveiro, 2007.

SCHÖN, D. The reflective practitioner. Londres: Temple Smith, 1983.

SCHÖN, D. Educando o profissional reflexivo. Porto Alegre: Artes Médicas, 1987.

SILVERMAN, D. Interpreting qualitative data. SAGE Publications, 1994.

STENHOUSE, L. An introduction to curriculum research and development. London: Heinemann, 1975.

ZEICHNER, K. M. A formação reflexiva de professores: idéias e práticas. Lisboa: Educa, 1993.

Downloads

Publicado

2008-11-11

Como Citar

RAUSCH, R. B.; SADALLA, A. M. F. de A. Promoção de reflexividade na formação inicial docente: o papel do professor orientador de pesquisa. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 9, n. 2, p. 170-188, 2008. DOI: 10.20396/etd.v9i2.825. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/825. Acesso em: 31 out. 2020.