Michel Foucault e o “cuidado de si”: a invenção de formas de vida resistentes na educação

  • Alexandre Simao Freitas Universidade Federal de Pernambuco
Palavras-chave: Michel Foucault. Cuidado de si. Formação humana.

Resumo

O objetivo principal da reflexão aqui proposta é explorar uma face ainda pouco abordada, pelo campo educacional, da experiência intelectual do pensador francês Michel Foucault: o cuidado de si e a criação de novas formas de vida. A questão problematizada corresponde aos processos de subjetivação por meio das chamadas “práticas de si”, contribuindo para elucidar alguns aspectos das condições de formação do ser humano na contemporaneidade. A analítica do cuidado de si, no âmbito da leitura foucaultiana do texto “Alcibíades”, no curso Hermenêutica do Sujeito, é apontada como uma potência instituinte imanente à vida, evidenciando como a experiência ética que o sujeito faz de si mesmo é inseparável do processo político de sua formação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Simao Freitas, Universidade Federal de Pernambuco
Pedagogo, Mestre em Educação, Doutor em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco. Professor Adjunto do Departamento de Administração Escolar e Planejamento Educacional e professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPE.

Referências

ALVES, K.V. Os discursos da plenitude em educação: uma arquegenealogia das práticas intelectuais universitárias hoje. Recife: PPGE; UFPE, 2008 (Projeto de Pesquisa para Qualificação no Curso de Doutorado).

ARANTES, O.; ARANTES, P. Sentido da formação: três estudos sobre Antonio Candido, Gilda de Mello e Souza e Lúcio Costa. Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra, 1997.

BAUDELAIRE, C. Meu coração desnudado. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

BERGER, P. L.; LUCKMANN, T. Modernidade, pluralismo e crise de sentido. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

BLANC, G.; TERREL, J. Foucault au Collège de France: un itinéraire. Bordeaux: Presses Universitaires de Bordeaux, 2003.

BOLLE, W. A idéia de formação na modernidade. In: GUIRALDHELI JR. P. Infância, escola e modernidade. São Paulo, SP: Cortez, 1997.

BURCHELL, G.; GORDON; C.; MILLER; P. The Foucault effect: studies in governmentality. Chicago: University of Chicago Press, 2007.

CAILLÉ, A.; LAZZERI, C.; SENELLART, M. (Org.). História argumentada da filosofia moral e política: a felicidade e o útil. São Leopoldo: Unisinos, 2001.

CANDIOTTO, C. Foucault e a crítica da verdade. Belo Horizonte: Autêntica; Curitiba: Champagnat, 2010

CANDIOTTO, C. Subjetividade e verdade no último Foucault. Revista Trans/Form/Ação, Marília, v. 31, n. 1, 2008.

CARVALHO, A.F. Foucault e a função-educador: sujeição e experiências de subjetividades ativas na formação humana. Ijuí: Unijuí, 2010.

DALBOSCO, C.A. O cuidado como conceito articulador de uma nova relação entre filosofia e pedagogia. Revista Educação & Sociedade, Campinas, v. 27, n. 97, set./dez. 2006.

DEAN, M. Governamentality power and rule in modern society. London: Sage Publications, 2007.

ÉVRARD, F. Michel Foucault et l’histoire du sujet en Occident. Paris: Bertrand-Lacoste, 1995.

FOUCAULT, M. A hermenêutica do sujeito. São Paulo, SP: Martins Fontes, 2004.

FOUCAULT, M. Historia da sexualidade: o cuidado de si. Rio de Janeiro, RJ: Edições Graal, 1985.

FOUCAULT, M. História da sexualidade : a vontade de saber. 13. ed. Rio de Janeiro, RJ: Graal, 1999. (v.1)

FOUCAULT, M. Le gouvernement de soi et des autres: cours au Collège de France, 1982-1983. Paris: Seuil/Gallimard, 2008b.

FOUCAULT, M. Segurança, território, população. São Paulo, SP: Martins Fontes, 2008a.

FOUCAULT, M. Repensar a política: ditos e escritos. Rio de Janeiro, RJ: Forense Universitária, 2010. (v.4)

GADAMER, H-G. La educación es educarse. Buenos Aires: Paidós, 2000.

GROS, F. Situação do curso. In: FOUCAULT, M. Hermenêutica do sujeito. SP: Martins Fontes, 2004.

GROS, F.; LÉVY, C. Foucault y la filosofia antigua. Buenos Aires: Nueva Visión, 2003. HADOT, P. Refléxions sur la notion de “culture de soi”. In: GROS, F. Michel Foucault: philosophe. Paris: Seuil, 1999.

JAEGER, W. Paidéia: a formação do homem grego. 4. ed. São Paulo, SP: Martins Fontes, 2001.

LEFORT, C. Desafios da escrita política. Trad. Eliana de Melo Sousa. São Paulo, SP: Discurso Editorial, 1999.

MAUSS, M. Ensaios de sociologia. São Paulo, SP: Perspectiva, 2001.

PETERS, M.A. Educational research: “games of truth” and the ethics of subjectivity. Journal of Educational Enquiry, Scotland, v. 5, n. 2, 2004.

PLATÃO. Alcibiade. 2. ed. Paris: GF Flammarion, 2000.

PETERS, M. A.; BESLEY, T. Introdução. In: PETERS, M. A.; BESLEY, T. Por que Foucault? Novas diretrizes para a pesquisa educacional. Porto Alegre: Artmed, 2008. p. 12-24.

PRADO FILHO, K. Considerações acerca do cuidado de si mesmo contemporâneo. In: TEDESCO, S.; NASCIMENTO, M. L. (Org.). Ética e subjetividade: novos impasses no contemporâneo. Porto Alegre: Sulina, 2009.

REVUE DU MAUSS. Penser la crise de l’école. Paris: La Découverte; MAUSS, 2006.

REDEKER, R. Um Foucault surpreendente. Lê Monde Diplomatique, ago. 2001.

RODRIGUES, C.; TEDESCO, S. Por uma perspectiva ética das práticas de cuidado no contemporâneo In: TEDESCO, S.; NASCIMENTO, M. L. (Org.). Ética e subjetividade: novos impasses no contemporâneo. Porto Alegre: Sulina, 2009.

ROMILLY, J. Alcibíades. Rio de Janeiro, RJ: Ediouro, 1996.

SOUZA, J. (Org.). Atualidade de Max Weber. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2000.

VALLE, L. Modelos de cidadania e discursos sobre a educação. In: VALLE, L. Os enigmas da educação: a paidéia democrática entre Platão e Castoriadis. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

VALLE, L. Teorias da formação humana. 2005. Disponível em: www.ppfh.uerj.br/currículodoutorado.htm. Acesso em: 28 ago. 2007.

Publicado
2010-11-18
Como Citar
Freitas, A. S. (2010). Michel Foucault e o “cuidado de si”: a invenção de formas de vida resistentes na educação. ETD - Educação Temática Digital, 12(1), 167-190. https://doi.org/10.20396/etd.v12i1.847