Banner Portal
Políticas nacionais de ação afirmativa e ambientais: gestão no ambiente de uma instituição de educação profissional
PDF

Palavras-chave

Educação transdisciplinar. Tecnologia. Sociedade. Meio ambiente.

Como Citar

NOVAES, Diva Valério; BRYAN, Newton Antonio Paciulli. Políticas nacionais de ação afirmativa e ambientais: gestão no ambiente de uma instituição de educação profissional. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 17, n. 1, p. 11–26, 2015. DOI: 10.20396/etd.v17i1.8634815. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8634815. Acesso em: 15 abr. 2024.

Resumo

Este artigo é parte de uma pesquisa que estuda a gestão do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), que, fundado em 1909, tem hoje 38 campi no estado de São Paulo e segue em expansão. Oferece Educação Profissional e Tecnológica, desde a formação básica até a pós-graduação, incluindo formação de professores. A lei 11.892/2008, que rege as recentes mudanças propostas para essa formação, expressa interesse em questões sociais e ambientais, em articulação com outras políticas nacionais. Há no IFSP espaço favorável à concretização dessas mudanças, que se refletem na preparação de futuros técnicos, tecnólogos, engenheiros e professores. Esta pesquisa discute como essas questões são percebidas pelo corpo administrativo e a maneira como permeiam o currículo e o ambiente escolar no IFSP. A produção dos alunos e entrevistas conduzidas com gestores, servidores técnico-administrativos e professores embasam as análises. Em perspectiva transdisciplinar, discute-se a ampliação do conceito de respeito difundido na legislação nacional de políticas afirmativas e ambientais, para todos os ambientes de convivência humana, tendo-se em conta que melhorar o relacionamento homem–natureza pressupõe melhorar o relacionamento humano, para que uma constante atitude de respeito por tudo seja extrapolada para os recursos naturais. A atuação com políticas afirmativas revelou-se significativamente menor que com políticas ambientais. O estudo identifica as dificuldades para essa atuação e também divulga o trabalho didático e a produção científica dos que estão engajados com essas questões.

https://doi.org/10.20396/etd.v17i1.8634815
PDF

Referências

BATANERO, Carmen. Didáctica de la estatística. Granada: Univ. de Granada. 2001.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial da União, 28 abr. 1999, p.1.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e tecnologia e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 30 dez. 2008. seção 1, p.1.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Concepções e diretrizes: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia. Brasília, DF: MEC, 2008.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 12.288, de 20 de Julho de 2010. Institui o Estatuto da Igualdade Racial. Diário Oficial da União, Brasilia, DF, 21 jul. 2010. p. 1.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010. Define Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 14 jul. 2010. Seção 1, p. 824.

CARVALHO, Isabel Cristina Moura. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

FARIAS, Talden Queroz. Aspectos gerais da política nacional do meio ambiente: comentários sobre a Lei no 6.938/81. Âmbito Jurídico, Rio Grande, v. 9, n. 35, dez. 2006. Disponível em: http://www.ambitojuridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=1544. Acesso em: 10 nov. 2013.

GIROUX, Henry A. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Tradução de Daniel Bueno. Porto Alegre: Artmed, 1997.

MATUS, Carlos. Política, planejamento & governo. Brasília, DF: IPEA, 1993. Tomo I.

O’SULLIVAN, Edmund. Aprendizagem transformadora: uma visão educacional para o século XXI. Tradução de Dinah A. Azevedo. São Paulo: Cortez; Instituto Paulo Freire, 2004.

SILVA, Aida Maria Monteiro; TAVARES, Celma. A formação cidadã no ensino médio. São Paulo: Cortez, 2012.

A ETD - Educação Temática Digital utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.