A perspectiva epistemológica em Antonio Gramsci e a pesquisa de políticas educacionais

Autores

  • Maria de Lourdes Pinto de Almeida Universidade do Oeste do Estado de Santa Catarina
  • Sidney Reinaldo da Silva Instituto Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v17i1.8634816

Palavras-chave:

Epistemologia educacional. Políticas públicas. Pesquisa de políticas educacionais. Educação e teoria gramsciana.

Resumo

O presente texto busca apresentar a investigação das políticas nos marcos da obra de Gramsci, para se debater certos desafios que “pesquisa educacional” deve enfrentar. Pressupõe-se que a pesquisa em educação é também uma forma de relação pedagógica/hegemônica não podendo ser neutra em relação a cultura, mas, sobretudo, como produtora de cultura e visão de mundo mais elaboradas. Estudar questões ligadas à epistemologia de Gramsci exige a explicitação do que o autor compreendia por intelectual orgânico e práxis investigativa. O pensamento de Antonio Gramsci retoma o princípio marxista da totalidade para se compreender a atividade intelectual. Perante sua concepção de práxis a categoria de intelectual ganhou outro significado. Sua definição de intelectual orgânico tornou-se fundamental para se investigar a pesquisa das políticas educacionais e não apenas as políticas educacionais propriamente ditas. Nesse sentido, se a política educacional for tomada como uma ciência particular, ela merece a mesma crítica que Gramsci faz à sociologia e à economia, isto é, produz verdades parciais que devem ser reapropriadas no âmbito da totalidade da investigação operada pela filosofia da práxis. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria de Lourdes Pinto de Almeida, Universidade do Oeste do Estado de Santa Catarina

Pedagoga formada pela UNICAMP. Mestre e Doutora pelo DEFHE na FE da UNICAMP. Pós doutora em Politica, Ciencia e Tecnologia sob a supervisão de Renato Dagnino, IG da UNICAMP.

Sidney Reinaldo da Silva, Instituto Federal do Paraná

Filósofo formado pela PUCCAMPINAS, Mestre e Doutor em Filosofia política pelo IFCH da UNICAMP. Pós doc em Educação pela FE da UNICAMP.

Referências

COUTINHO, Carlos. Marxismo e política: a dualidade dos poderes e outros ensaios. São Paulo, SP: Cortez, 2008.

DIAS, Edmundo. Política brasileira em debate: embates de projetos hegemônicos. São Paulo, SP: Instituto José Luís; Rosa Sundermann, 2006.

GRAMSCI, Antonio. Concepção dialética da história. Rio de Janeiro, RJ: Civilização Brasileira, 1995b.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. 9. ed. Rio de Janeiro, RJ: Civilização Brasileira. 1995 a.

GRAMSCI, Antonio. Maquiavel, a política e o estado moderno. 8. ed. Rio de Janeiro, RJ: Civilização Brasileira, 1991.

GRAMSCI, Antonio. Quaderni del cárcere. Torino: Enaldi Editore, 1975. v.1-2.

PORTELLI, Henrique. Gramsci e o bloco histórico. São Paulo, SP: Paz e Terra, 1991.

TELLO, Cesar; ALMEIDA, Maria de Lourdes Pinto de. Estudos epistemológicos no campo da pesquisa em política educacional. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2013.

TELLO, Cesar. Epistemologias de la política educativa: posicionamientos, perspectivas y enfoques. Campinas, SP: Mercado de Letras. 2013.

Downloads

Publicado

2015-04-29

Como Citar

ALMEIDA, M. de L. P. de; SILVA, S. R. da. A perspectiva epistemológica em Antonio Gramsci e a pesquisa de políticas educacionais. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 17, n. 1, p. 27–41, 2015. DOI: 10.20396/etd.v17i1.8634816. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8634816. Acesso em: 2 dez. 2021.