Guattari e a topografia da máquina escolar

Autores

  • Alexandre Filordi de Carvalho Universidade Federal de São Paulo
  • André Campos de Camargo Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v17i1.8634821

Palavras-chave:

Interação homem máquina. Escola. Subjetividade. Sociedade capitalista.

Resumo

O objetivo do artigo consiste em analisar a produção da máquina escolar em sua topografia. A hipótese é dupla. De um lado, a análise dessa produção conduz o pensamento a entender como um conjunto de condições pelas quais a escola opera suas finalidades está forçosamente ligado à uma produção maquínica de subjetividade capitalística. Na escola encontra-se uma subjetividade sujeitada aos componentes e aos circuitos de como a máquina escolar produz e opera os seus sujeitos. De outro lado, acessa-se a uma série de problematizações que instiga e convoca o pensamento a agir com o intuito de curto-circuitar o estado atual da máquina escolar. A partir da própria escola, de sua topografia, ativam-se rupturas e atopias, produzem-se outros fios de agenciamento com a experiência escolar e educativa, criam-se outras derivações que potencializam o campo da subjetividade considerando os processos de singularização. Para tanto, as análises concentram-se no pensamento de Guattari.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Filordi de Carvalho, Universidade Federal de São Paulo

Professor do departamento de Educação da Universidade Federal de São Paulo UNIFESP

André Campos de Camargo, Universidade Estadual de Campinas

Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisa em Diferenaças e Subjetividades - DiS - UNICAMP

Referências

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O Anti-Édipo: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Ed. 34, 2010.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 1987.

FOUCAULT, Michel. O poder psiquiátrico. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

GUATTARI, Félix. Caosmose: um novo paradigma estético. São Paulo: Ed. 34, 1992.

GUATTARI, Félix. Psychanalyse et tranversalité. Paris: F. Maspero, 1974.

GUATTARI, Félix. Revolução Molecular: pulsações políticas do desejo. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 1987.

GUATTARI, Félix. Psicanálise e transversalidade. Aparecida: Ideias e Letras, 2004.

GUATTARI, Félix. Lignes de fuite: pour un autre monde de possibles. La Tours d’Aigues: L’aube, 2011a.

GUATTARI, Félix. L’inconscient machinique: essais de schizo-analyse. Paris: Éd. Recherche, 2011b.

GUATTARI, Félix; ROLNIK, Suely. Micropolíticas: cartografias do desejo. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2005.

MARX, Karl. Para a crítica da economia política. São Paulo: Nova Cultura, 1999.

ZOLA, Émile. Como se casa, como se morre. São Paulo: Ed. 34, 2000.

Downloads

Publicado

2015-04-29

Como Citar

CARVALHO, A. F. de; CAMARGO, A. C. de. Guattari e a topografia da máquina escolar. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 17, n. 1, p. 107-124, 2015. DOI: 10.20396/etd.v17i1.8634821. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8634821. Acesso em: 26 nov. 2020.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)