Políticas públicas em educação: ensino de artes e de filosofia em educação inclusiva

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v18i1.8634868

Palavras-chave:

Ensino de Artes. Ensino de Filosofia. Educação Inclusiva

Resumo

Este artigo tem por objetivo discutir as políticas públicas de inclusão na perspectiva do ensino de Artes e de Filosofia. Do ponto de vista do método foi realizada uma revisão de literatura na base Scielo utilizando-se unitermos que viessem a favorecer os achados pertinentes à investigação, configurando-se um levantamento das produções acadêmicas a respeito do ensino de Artes e de Filosofia em educação inclusiva. Concluiu-se que ainda são poucas as publicações contemplando a temática de interesse do estudo, justificando-se a necessidade de seu desenvolvimento na medida em que as disciplinas de Artes e de Filosofia, enquanto fomentadoras da autossuperação do sujeito, são fundamentais para se pensar em uma perspectiva de educação inclusiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samuel Mendonça, PUC Campinas

Samuel Mendonça é Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2. Concluiu o doutorado em Educação (Filosofia da Educação) - Universidade Estadual de Campinas, em 2009. Bacharel e Licenciado em Filosofia (PUC Campinas). Atualmente é Professor Pesquisador e Coordenador do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação da PUC Campinas, docente das Faculdades de Educação e Filosofia da PUC Campinas; Vice-Coordenador do Forpred nacional (2014/2015); Consultor do Comitê Assessor Especial da Coordenação Geral de Cooperação Internacional da CAPES; Assessor Científico da FAPESP - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo; Presidente da Associação Latinoamericana de Filosofia da Educação (ALFE); Membro do GT 17 - Filosofia da Educação da ANPEd; do INPE - International Network of Philosophers of Education, do PES - Philosophy of Education Society e da SOFIE - Sociedade Brasileira de Filosofia da Educação. Lecionou Filosofia na rede pública estadual do Estado de São Paulo (Ensino Médio) e na rede particular de ensino (ensino fundamental II). É orientador de Mestrado e de Iniciação Científica nos seguintes temas: política educacional, ensino de filosofia, fundamentos da educação e filosofia da educação.

Mariana Baruco Machado Andraus, Universidade Estadual de Campinas

Docente do Departamento de Artes Corporais e do Programa de Pós-Graduação em Artes da Cena da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Educação da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (bolsa CAPES, 2013-2014). Doutora em Artes da Cena pela Universidade Estadual de Campinas (bolsa CAPES, 2010-2012). Mestre em Artes pela Universidade Estadual de Campinas (bolsa FAPESP, 2002-2004). Bacharel e Licenciada em Dança pela Universidade Estadual de Campinas (conclusão em 2000; bolsa de iniciação científica FAPESP, 1998-1999). Diretora Científica da Coleção "Artes da Cena: Atuação e Ensino", Editora Prismas, Curitiba-PR. Áreas de interesse: produção de conhecimento em dança, epistemologia da dança, improvisação, coreologia, artes marciais chinesas, dança indiana, ensino de artes em educação inclusiva, videodança.

Referências

ALMEIDA, Rogério Miranda de. A cultura, o estado e a educação nos “escritos trágicos” de Nietzsche. Filosofia & Educação, Campinas, SP, v. 06, n. 01, p. 110-133. fev. 2014. Disponível em: < http://goo.gl/L7GXrX>. Acesso em: 05 mai. 2015. ISSN 1984-9605.

ALMEIDA, Rogério Miranda de. A fragmentação da cultura e o fim do sujeito. São Paulo: Loyola, 2012.

ALMEIDA, Rogério Miranda de. Eros e Tânatos: a vida, a morte e o desejo. São Paulo: Loyola, 2007.

ANDRAUS, Mariana Baruco Machado. Arte marcial na formação do artista da cena. Jundiaí: Paco Editorial, 2014.

ASPIS, Renata Pereira Lima. O professor de filosofia: o ensino de filosofia no ensino médio como experiência filosófica. Caderno Cedes, Campinas, SP, v. 24, n. 64, p. 305-320. set./dez. 2004. Disponível em: <http://goo.gl/3dc1sm>. Acesso em: 05 mai. 2015. ISSN 1678-7110.

BARONI, Alexandre Carvalho. Prefácio. In: BRASIL. A convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência comentada / Coordenação de Ana Paula Crosara Resende e Flavia Maria de Paiva Vital. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos. CNIPPD. 2008.

BEZERRA, Giovani Ferreira, ARAÚJO, Doracina Aparecida de Castro. Filosofia e educação inclusiva: reflexões críticas para a formação docente. Inter-Ação, Goiânia, GO, v. 37, n. 02, p. 267-285. jul./dez. 2012. Disponível em: <http://goo.gl/26LHXt>. Acesso em: 05 mai. 2015. ISSN 1981-8416.

BRANDÃO, Marisa Teresa, FERREIRA, Marco. Inclusão de crianças com necessidades educativas especiais na educação infantil. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, SP, v. 19, n. 04, p. 487-502. out./dez. 2013. Disponível em: <http://goo.gl/QwhwhZ>. Acesso em: 05 mai. 2015. ISSN 1413-6538.

BRASIL. Lei n. 9.394/1996. Disponível em: < http://goo.gl/oXee3>. Acesso em: 9 set. 2013a.

BRASIL. Lei n. 12.287/2010. Disponível em: < http://goo.gl/8x5Cea>. Acesso em: 9 set. 2013b.

BRASIL. Lei n. 11.769/2008. Disponível em: < http://goo.gl/LX6VaU>. Acesso em: 9 set. 2013c.

BRASIL. Mensagem n. 622 de 18 de agosto de 2008. Disponível em:

< http://goo.gl/LHuCST>. Acesso em: 9 set. 2013d.

BRASIL. Lei n. 11.684/2008. Disponível em: < http://goo.gl/Cpze4c>. Acesso em: 9 set. 2013e.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Plano Nacional de Pós-Graduação – PNPG 2011-2020. Brasília: CAPES, 2010. Disponível em: < https://goo.gl/0zbbtu>. Acesso em: 29 mar. 2014.

BUBER, Martin. Eu e tu. 8.ed. São Paulo: Cortez e Moraes, 2004.

BUENO, José Geraldo Silveira. Crianças com necessidades educativas especiais, política educacional e a formação de professores: generalistas ou especialistas? Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, SP, v. 05, p. 7-25. 1999. Disponível em:

<http://goo.gl/6Rn8fd>. Acesso em: 05 mai. 2015. ISSN 1980-5470.

BAPTISTA, Marisa Todescan Dias da Silva. O estudo de identidades individuais e coletivas na constituição da história da psicologia. Memorandum, Belo Horizonte, MG, v. 02, p. 31-38. abr. 2002. Disponível em: <http://goo.gl/dDF2FR>. Acesso em: 14 mai. 2012. ISSN 1676-1669.

CIAMPA, Antonio da Costa. A estória do Severino e a história da Severina: um ensaio de psicologia social. São Paulo: Brasiliense, 1986.

CORDEIRO, Mariana Prioli, SCOPONI, Renata de Souza, FERREIRA, Solange Leme; VIEIRA, Camila Mugnai. Deficiência e teatro: arte e conscientização. Psicologia Ciência e Profissão, Brasília, DF, v. 27, n. 01, p. 148-155. mar. 2007. Disponível em:

<http://goo.gl/x3hPmC>. Acesso em: 05 mai. 2015. ISSN 1414-9893.

FERREIRA, Norma Sandra de Almeida. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 23, n. 779. ago. 2002. Disponível em: <http://goo.gl/HlmXV6>. Acesso em: 19 dez. 2013. ISSN 1678-4626.

FREITAS, Neli Klix; TEIXEIRA, Rosanny Moraes de Morais. O ensino da arte como um tecido inclusivo na escola contemporânea. Revista Científica da FAP, Curitiba, PR, v. 07, p. 251-265. jan./jun. 2011. Disponível em: <http://goo.gl/9awUEv>. Acesso em: 05 mai. 2015. ISSN 1980-5071.

GOMES, Camilla Graciella Santos. Autismo e ensino de habilidades acadêmicas: adição e subtração. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, SP, v. 13, n. 03, p. 345-364. 2007. Disponível em: <http://goo.gl/nMXl66>. Acesso em: 05 mai. 2015. ISSN 1980-5470.

INCLUSÃO JÁ. Principais dispositivos, por ordem cronológica. Disponível em:

<http://goo.gl/fppmXC>. Acesso em 08 jan. 2014.

MANTOAN, Maria Teresa Égler. O direito de ser, sendo diferente, na escola. Conferência proferida no Seminário sobre Direito da Educação, realizado pelo Centro de Estudos Judiciários do Conselho da Justiça Federal. jun. 2004. Disponível em:

<http://goo.gl/fSbMP6>. Acesso em: 05 mai. 2015.

MARQUES, Lilia Pinto. Artigo 2 - Definições. In: BRASIL. A convenção sobre direitos das pessoas com deficiência comentada. Coordenação de Ana Paula Crosara Resende e Flavia Maria de Paiva Vital. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos. CNIPP, 2008.

MENDONÇA, Samuel. Objeções à igualdade e à democracia: a diferença como base da educação aristocrática. ETD – Educação Temática Digital. Campinas, SP, v. 14, n. 01, p. 332 – 350. jan./jun. 2012. Disponível em: <http://goo.gl/F7uReX>. Acesso em: 05 mai. 2015. ISSN 1676-2592.

MENDONÇA, Samuel. Massificação humana e a educação aristocrática em Nietzsche. ETD – Educação Temática Digital. Campinas, SP, v. 13, n. 01, p. 17-26. jul./dez. 2011. Disponível em:

<http://goo.gl/YjALF0>. Acesso em: 05 mai. 2015. ISSN 1676-2592.

MENDONÇA, Samuel. Educação Aristocrática em Nietzsche: perspectivismo e auto-superação do sujeito. 2009. 155 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2009. Disponível em:

<http://goo.gl/mR0zqL>. Acesso em: 05 mai. 2015.

MENDONÇA, Samuel, ANDRAUS, Mariana Baruco Martins. The concept of truth the concept of truth in philosophy teaching: aesthetic dimension in discussion. Philosophy of Education, n. 08. 2014.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Atendimento Educacional Especializado: deficiência mental. SEESP/SEED/MEC. Brasília, 2007. Disponível em: <http://goo.gl/yY2g0w>. Acesso em: 13 jan. 2014.

MURPHY, A. Criando um filho portador de deficiência. In: PUESCHEL, Siegfried. (Org.). Síndrome de Down: guia para pais e educadores. Tradução de Lucia Reily. 7. ed. Campinas: Papirus, p. 33-44. 1993.

NIETZSCHE, Friedrich. Kritische Studienausgabe in 15 Bänden. Berlin/New York: De Gruyter, 1999.

NIETZSCHE, Friedrich. Aurora. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

NIETZSCHE, Friedrich. Morgenröte. Gedanken über die moralischen Vorurteile. Berlin: Goldmann, 1999.

SALDANHA, Gilda Maria Maia Martins; SIMÕES, Regina Rovigati. Educação escolar hospitalar: o que mostram as pesquisas? Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, SP, v. 19, n. 03, p. 447-464. 2013. Disponível em: <http://goo.gl/z7YpxB>. Acesso em: 05 mai. 2015. ISSN 1413-6538.

SANTOS, Márcio José Possari dos, AGUIAR, Sandra Maria Herondina Coelho Ávila de. Art in the inclusion of children with special needs in dentistry. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, RJ, v. 16, n. 01, p. 747-753. 2011. Disponível em: <http://goo.gl/OA9M43>. Acesso em: 05 mai. 2015. ISSN 1413-8123.

SILVA, Vagner da. A educação pulsional em Nietzsche. 2011. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2011. Disponível em: < http://goo.gl/peChbF>. Acesso em: 05 mai. 2015.

STRAZZACAPPA, Márcia. Dança na educação: discutindo questões básicas e polêmicas. Pensar a Prática, Goiânia, GO, v. 06. 2003. Disponível em: <http://goo.gl/AgmTNL>. Acesso em: 05 mai. 2015. ISSN 1980-6183.

WEBER, José Fernandes; MENDONÇA, Samuel, SILVA, Vagner da. Editorial Nietzsche e a Educação. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 06, n. 01, p. 01-05. fev. 2014. Disponível em: < http://goo.gl/74B5Tz>. Acesso em: 29 mar. 2014. ISSN 1984-9605.

Downloads

Publicado

2016-04-06

Como Citar

Mendonça, S., & Andraus, M. B. M. (2016). Políticas públicas em educação: ensino de artes e de filosofia em educação inclusiva. ETD - Educação Temática Digital, 18(1), 3–22. https://doi.org/10.20396/etd.v18i1.8634868