Os sentidos dos silêncios na educação: representações sociais de professores formadores da Universidade Federal de Uberlândia – MG.

Autores

  • Vanessa Bueno Campos Universidade Federal de Uberlândia
  • Fernanda Duarte Araújo Silva Universidade Federal de Uberlândia
  • Graça Aparecida Cicillini Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v17i2.8635725

Palavras-chave:

Representação social. Educação. Silêncio. Justiça social. Formação de professores.

Resumo

As reflexões sobre os silêncios na educação apresentadas nesse artigo foram organizadas a partir de uma pesquisa realizada na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), como um dos sentidos e significados das representações sociais, de docentes que atuam em cursos de licenciaturas, sobre Educação para a Justiça Social. Apoiamo-nos na abordagem teórico-metodológica da Teoria das Representações Sociais (TRS) e na técnica de livre associação de palavras (ABRIC, 2001) para definir os procedimentos da pesquisa e elaborar os instrumentos de coleta de dados. Aplicamos um questionário com o uso da técnica livre associação de palavras, instigadas a partir de um conjunto de 13 imagens junto a 100 professores universitários. As palavras mais escolhidas, a partir desse conjunto de imagens, representam a abrangência de inserção do trabalho docente em diferentes contextos: espaços temporais, sociais, econômicos e culturais. Para este artigo selecionamos discutir as representações de docentes relacionadas a uma das 13 imagens, denominada “Retratos silenciosos” (CÂMARA, 1975). As representações dos professores, relativas a esta imagem, referem-se às condições de aprendizagem e permanência na escola para o enfrentamento da exclusão social e cultural, destacando a necessidade de uma educação política com vistas ao exercício da Educação em Direitos Humanos. Em linhas gerais, percebemos que essa imagem despertou nos sujeitos sentimentos contraditórios movidos pela compreensão das violências, da indignação ou da aversão à situação e à tentativa de libertação destas formas de representação. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Bueno Campos, Universidade Federal de Uberlândia

Graduação em Ciências Biológicas - UNESP/Rio Claro, SP e Graduação em Pedagogia - FACED/UFU. Mestrado em Educação - PPGED/UFU e Doutrado em Educação - USP/São Paulo. Professora vinculada a Faculdade de Educação e ao Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade de Federal de Uberlândia, MG.

Fernanda Duarte Araújo Silva, Universidade Federal de Uberlândia

Graduação em Pedagogia - FACED/UFU. Mestrado em Educação - PPGED/UFU. Doutoranda em Educação - PPGED/UFU. Professora vinculada a Faculdade de Educação da Universidade de Federal de Uberlândia, campus Pontal, MG.

Graça Aparecida Cicillini, Universidade Federal de Uberlândia

Graduação em Ciências Biológicas - USP/Ribeirão Preto, SP e Graduação em Pedagogia - Barão de Mauá, Ribeirão Preto, SP. Mestrado em Educação e Doutrado em Educação - UNICAMP/São Paulo. Professora vinculada a Faculdade de Educação e ao Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade de Federal de Uberlândia, MG.

Referências

ABRIC, Jean-Claude. A abordagem estrutural das representações sociais. In: MOREIRA, Antônia Silvia Paredes (Org.); OLIVEIRA, Denise Cristina de (Org.). Estudos interdisciplinares de representação social. 2. ed. Goiânia: AB, 2001.

ARENDT, Hannah. Sobre a violência. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2010.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Características da investigação qualitativa. In: BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988. Disponível em: http://www.mec.gov.br. Acesso em: 1 jul. 2013.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 21 dez. 1996.

CÂMARA, João. Retratos silenciosos. 1975. Litografia, 54,2 x 38,1 cm. Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães, adquirido pela Prefeitura do Recife, PE. Foto: Fritz Simons.

CARVALHO, Antonio. Exclusão e violência: reflexões preliminares. In: Sociedade civil e educação. Campinas: Papirus Cedes; São Paulo: Ande-Anped, 1992.

CONFERÊNCIA MUNDIAL SOBRE EDUCAÇÃO PARA TODOS. Declaração mundial sobre educação para todos: Satisfação das Necessidades Básicas de Aprendizagem. Jomtien, 1990. UNESCO, 1998. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org Acesso em: 18 jan. 2011.

CONFERÊNCIA MUNDIAL SOBRE NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS. Declaração de Salamanca sobre princípios, política e práticas na área das necessidades educativas especiais, de 10 de junho de 1994. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org Acesso em: 25 nov. 2009.

DALARI, Dalmo. A. Direitos humanos e cidadania. São Paulo: Moderna, 2004.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo dicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

FRANCO, Maria Laura Puglisi Barbosa. Análise do conteúdo. Brasília: Liber Livro, 2007.

FREIRE, Ana Maria Araújo. Educação para a paz segundo Paulo Freire. Educação, Porto Alegre, n. 2 (59), p. 387 – 393, mai./ago. 2006. Disponível em: http://goo.gl/ydwe7W ISSN: 1981-2582.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 10. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1980.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 3. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1994.

FREIRE, Paulo. A educação na cidade. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2000a.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Editora da Unesp, 2000b.

FREIRE, Paulo. Política e educação. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

GATTI, Bernadete Angelina. Grupo focal na pesquisa em ciências sociais e humanas. Brasília: Líber Livro, 2005.

GIROUX, Henry; MCLAREN, Peter. Formação do professor como uma contra-esfera pública: a pedagogia radical como uma forma de política cultural. In: MOREIRA, Antônio Flávio (Org.); SILVA. Tomaz Tadeu (Org.). Currículo, cultura e sociedade. São Paulo: Cortez, 1995.

LOURO, Guacira Lopes. Currículo, gênero e sexualidade. Porto: Porto Editora, 2000.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 1989.

MOREIRA, Antônio. Flávio Barbosa; CANDAU, Vera Maria. Educação escolar e cultura(s): construindo caminhos. Revista Brasileira de Educação: Rio de Janeiro: mai./jun./jul./ago., n. 23, 2003. p.156-168. Disponível em: http://goo.gl/LfPdZ0 Acesso em: 05 mai. 2015. ISSN: 1809-449X.

MOSCOVICI, Serge. A representação social da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis: Vozes, 2007.

ORLANDI, Eni Pulcinelli As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. 6. ed. Campinas: Ed. Unicamp, 2007.

SILVA, Tomaz Tadeu da. A escola cidadã no contexto da globalização: uma introdução. In: SILVA, Luiz Heron da (Org.). A escola cidadã no contexto da globalização. Petrópolis: Vozes, 1998.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Currículo e identidade social: territórios contestados. In: SILVA, Tomaz Tadeu (Org.). Alienígenas na sala de aula: uma introdução aos estudos culturais em educação. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

SPÓSITO, Marília Pontes. A instituição escolar e a violência. Caderno de Pesquisa, São Paulo, n.104, p. 58-75, 1998. Disponível em: http://goo.gl/aAQxHz Acesso em: 05 jun. 2015. ISSN: 1980-5314.

SPOSATI, Aldaíza de Oliveira. Mapa da exclusão/inclusão social na cidade de São Paulo. São Paulo: EDUC, 1996.

VÈRGES, Pierre. Conjunto de programas que permitem a análise de evocações: EVOC (manual). Versão 5. Aix en Provence: [S. n.] 2002.

ZEICHNER, Kenneth. Formando professores reflexivos para uma educação centrada no aluno: possibilidades e contradições. In: BARBOSA, Raquel Lazzari Leite (Org.) Formação de educadores: desafios e perspectivas. São Paulo: UNESP, 2003.

Downloads

Publicado

2015-08-31

Como Citar

Campos, V. B., Silva, F. D. A., & Cicillini, G. A. (2015). Os sentidos dos silêncios na educação: representações sociais de professores formadores da Universidade Federal de Uberlândia – MG. ETD - Educação Temática Digital, 17(2), 442–462. https://doi.org/10.20396/etd.v17i2.8635725