Meninas peraltas: formação feminina em livros de literatura infantil

Autores

  • Priscila Kaufmann Corrêa Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
  • Maria do Carmo Martins Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v18i2.8637338

Palavras-chave:

Literatura infantil. Escolarização. Ensino religioso. História Cultural.

Resumo

Este artigo é uma reflexão histórica sobre os livros infantis Que Amor de Criança!, da escritora francesa Condessa de Ségur e Clarita no Colégio, da escritora brasileira Maria Clarice Marinho Villac. Em Que Amor de Criança!. A Condessa de Ségur apresenta Giselle, uma menina mimada que não respeita os pais. Já Maria Clarice nos apresenta Clarita, criança peralta que é protegida pelos avós. Em ambos os casos as meninas são enviadas ao internato, tendo esta decisão consequências diferentes. Busca-se analisar o papel da escola na formação das meninas, a capacidade de legitimação social da escolarização pelo viés literário e refletir sobre o ensino da moral religiosa na formação feminina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Priscila Kaufmann Corrêa, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Doutoranda em Educação na FE UNICAMP, linha de pesquisa Educação e História Cultural; membro do GP Memória, História e Educação. e-mail: prikco2gmail.com

Maria do Carmo Martins, Universidade Estadual de Campinas

Profa. Dra. do DELART FE UNICAMP; coordenadora do GP Memória, História e Educação. e-mail:  carminhapousa@gmail.com

Referências

ALMEIDA, Jane Soares de. Mulher e educação: a paixão pelo possível. São Paulo: UNESP, 1998. Disponível em: <http://goo.gl/JzQOT3>. Acesso em: 20 jun. 2015, p. 119.

BEAUSSANT, Claudine. La comtesse de ségur ou l’enfance de l’art. Paris: Éd. R. Lafont, 1988.

CASTORIADIS, Cornelius. A instituição imaginária da sociedade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

COELHO, Nelly Novaes. Panorama histórico da literatura infantil juvenil. São Paulo: Ática, 1991, p. 241.

COMTESSE DE SÉGUR. Quel amour d'enfant!. Paris: Hachette, 2010.

CORRÊA, Priscila Kaufmann. O ensino religioso no Colégio Progresso Campineiro: entre prescrições e práticas (1900 - 1937). 2010. 241 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2010. Disponível em: < http://goo.gl/eZC7TU>. Acesso em: 20 jun. 2015, p. 46.

FARIA FILHO, Luciano Mendes de; VIDAL, Diana Gonçalves. Os tempo e espaços escolares no processo de institucionalização da escola primária no Brasil. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, RJ, n. 14, p. 19-34. mai./ago. 2000. Disponível em: <http://goo.gl/62TSGv>. Acesso em: 20 jun. 2015. ISSN 1809-449X.

HEYWOOD, Sophie. The Comtesse de Ségur: catholicism, children’s literature, and the culture wars‟ in nineteenth century France. 2008. 319 f. Tese (Doutorado em Filosofia da História) - Universidade de Edinburgh, Reino Unido, 2008. Disponível em: < https://goo.gl/MqKrMN>. Acesso em: 20 jun. 2015, p. 51-166.

JULIA, Dominique. A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, Rio de Janeiro, RJ, v. 01, p. 09-43. jan./jun. 2001. ISSN 1809-449X, p. 14.

LAJOLO, Marisa, ZILBERMAN, Regina. Um Brasil para crianças: para conhecer a literatura infantil brasileira. São Paulo: Global, 1993, p. 126-132.

PAPIEAU, Isabelle. La comtesse de ségur et la maltraitance des enfants. Paris: L’Harmattan, 1999, p. 77-85.

PARINET, Elisabeth. Les bibliothèques de gare, un nouveau réseau pour le livre. Romantisme, 1993, vol. 23, n. 80, p. 95-106. 1993. Disponível em: <http://goo.gl/K1M1um>. Acesso em: 20 jun. 2015.

SANTOS, Helder Azevedo. O pensamento político de Cornelius Castoriadis. 2010. 78 f. Dissertação (Mestrado em) – Universidade do Porto, 2010. Disponível em: <https://goo.gl/noC1Ww>. Acesso em: 20 jun. 2015, p. 35.

SANTOS, Manuel Isaú Ponciano dos. Luz e sombras: internatos no Brasil. São Paulo: Salesiana Dom Bosco, 2000, p. 416.

VIOLETA MARIA. (Maria Clarice Marinho Villac). Clarita da pá virada São Paulo: Revista dos Tribunais, 1939.

VIOLETA MARIA. (Maria Clarice Marinho Villac). Clarita no colégio. São Paulo: Cristo-Rei, 1945.

VINCENT, Guy; LAHIRE, Bernard; THIN, Daniel. Sobre a história e a teoria da forma escolar. Educação em Revista, Belo Horizonte, MG, n. 33, p. 07-47. jun. 2001. Disponível em: <http://goo.gl/bH177o>. Acesso em: 20 jun. 2015. ISSN 1982-6621, p. 13-30.

Downloads

Publicado

2016-07-05

Como Citar

Corrêa, P. K., & Martins, M. do C. (2016). Meninas peraltas: formação feminina em livros de literatura infantil. ETD - Educação Temática Digital, 18(2), 296–312. https://doi.org/10.20396/etd.v18i2.8637338