Pesquisa-Ação Pedagógica: práticas de empoderamento e de participação

  • Maria Amélia Santoro Franco Universidade Católica de Santos
Palavras-chave: Formação de professores. Pesquisa-ação pedagógica. Empoderamento

Resumo

Para reconfigurar uma ação pedagógica, na dimensão de prática colaborativa, é fundamental que pesquisadores e professores engajem-se em processos mútuos de aprender-ensinar; de estranhar-compreender (FRANCO). É preciso tempo e espaço para que professores/pesquisadores e sujeitos da prática sejam, ao mesmo tempo, participantes e protagonistas. Considerar esse mútuo protagonismo é viabilizar a construção do processo de conscientização na perspectiva freireana, qual seja a criação de circunstâncias que produzam rupturas e tensões na consciência ingênua, criando possibilidades de contrapontos construtivos na direção de consciência crítica. O trabalho pauta-se em pesquisas-ações realizadas nesta perspectiva e que subsidiam a proposta aqui delineada de construir os princípios de uma pesquisa-ação pedagógica que produza empoderamento nos docentes, a partir da questão problema: Como os professores, alijados historicamente do papel de participantes ativos e inseridos em sua maioria em processos de pauperização da profissão, podem encontrar forças e caminhos para constituírem-se como atores sociais, críticos e comprometidos com uma nova concepção de vida e mundo? A metaanálise realizada a partir de pesquisas-ações antecedentes (FRANCO) através da hermenêutica crítica (THOUARD) indica que a organização de dispositivos pedagógicos como estruturantes de um universo comum de conhecimentos, na perspectiva de Paulo Freire, pode funcionar como fundamento para processos de conscientização. Tais dispositivos parecem agilizar uma triangulação praxiológica que contribui para a articulação entre teorias, práticas e valores de todos os participantes.

Palavras-chave: pesquisa-ação pedagógica. Formação de professores. Empoderamento. Consciência crítica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Amélia Santoro Franco, Universidade Católica de Santos
Pós-doutora em Pedagogia ( 2011), com supervisão de Bernard Charlot; doutora em Educação pela USP (2001) com orientação de Selma Pimenta; Mestre em Psicologia da Educação pela PUC-SP( 1996); graduada e licenciada em Pedagogia pela PUCCAMP (1968). É pesquisadora 2 do CNPq; pesquisadora do GEPEFE (Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Formação do Educador) na USP e pesquisadora na Universidade Católica de Santos. É coordenador de publicação na Cortez Editora e Livraria, coordenando a série Saberes Pedagógicos. É vice-cordenadora do PPGE UNISANTOS. Integra o Comitê Científico da ANPED. Tem experiência na área de Educação, investigando a formação de professores a partir dos seguintes recortes: a cientificidade da Pedagogia; modelos colaborativos (formativos) de investigação educacional; epistemologia da prática pedagógica e da pratica docente. Tem se dedicado a pesquisas sobre a epistemologia da pesquisa-ação e suas possibilidades na compreensão/transformação da prática docente. Tem vários livros publicados.

Referências

BARBIER, René. A pesquisa-ação. Brasília: Plano, 2002.

BORDA, Orlando Fals. Investigating reality in order to transform it the Colombian experience. Dialectical Anthropology, v. 04, n. 01, p. 33-55. mar. 1979. Disponível em:

< https://goo.gl/X8MmMM>. Acesso em: 01 jul. 2015. ISSN 1573-0786.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues; STRECK, Danilo Romeu. Pesquisa participante: o saber da partilha. Aparecida: Ideias & Letras, 2006.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues; STECK, Danilo Romeu. Participar-pesquisar. In: BRANDÃO, Carlos Rodrigues (Org.). Repensando a pesquisa participante. São Paulo: Brasiliense, 1999, p. 07-14.

CANDAU, Vera Maria. Educação em Direitos Humanos no Brasil: realidades e perspectives. In: CANDAU, Vera Maria; SACAVINO, Suzana (Org.). Educar em direitos humanos, construir democracia. Rio de Janeiro: DP&A, 2000, p.72-99.

CARR, Wilfred; KEMMIS, S. T. Teoria crítica de la enseñansa. Barcelona: Martinez Roca, 1988.

CARR, Wilfred; KEMMIS, S. T. Becoming critical education; knowledge and action research. London: The Palmer, 1995.

CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber às práticas educativas. São Paulo. Cortez. 2013.

CHARLOT, Bernard. Les sciences de l’éducation; un enjeu, um défi. Paris: ESF, 1995.

CHARLOT, Bernard. Relação com o saber, formação de professores e globalização: questões para a educação hoje. Porto Alegre: Artmed, 2005.

CONTRERAS, José Domingo. Autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.

CONTRERAS, José Domingo. La investigación en la acción. Cuadernos de Pedagogía, Barcelona, ES, p. 07-19. abr. 1994.

ELLIOT, Jhon. La investigación-acción en educación. Madri: Morata, 1990. Disponível em: <http://goo.gl/B8vj4Q>. Acesso em: 01 jul. 2015.

FRANCO, Maria Amélia Santoro; PIMENTA, Selma Garrido (Org.). Pesquisa em Educação: possibilidades investigativo-formativas da pesquisa-ação. 2. ed. São Paulo: Loyola, 2010.

FRANCO, Maria Amélia Santoro; BETTI, Mauro. Verbete: pesquisa-ação. In: GONZÁLEZ; FENSTERSEIFER. Critical dictionary of physical education. 3. ed. Ijuí: Editora Inijuí, 2014, p. 502-510.

FRANCO, Maria Amélia Santoro; PIMENTA, Selma Garrido. Profissionalization et travail enseignant: la recherche-action collaborative. In: COLLOQUE INTERNATIONAL, 21., 2011, Lyon, França. Anais eletrônicos... Lyon, 2011. Disponível em: <http://goo.gl/3n9nM5>. Acesso em: 01 jul. 2015.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Observatório da prática docente: um espaço para compreensão/transformação da prática docente. Projeto de pesquisa e Relatório de Pesquisa Capes/CNPQ. São Paulo. 2007; 2011b; 2013. Disponível em: <http://goo.gl/y9Ysy2>. Acesso em: 01 jul. 2015.

FRANCO, Maria Amélia Santoro; LISITA, Verbena Soares de Sousa. Action research: limits and possibilities in teacher education. British Education Index, Brotherton Library - University, p. 01-15. 2004. Disponível em: <http://goo.gl/u5nFnV>. Acesso em: 01 jul. 2015.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Por um currículo de formação de pedagogos: indicativos. In: Pimenta, Selma Garrido. (Org.). Pedagogia e pedagogos: caminhos e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2002, p. 99-128.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. A pedagogia como ciência da Educação. Campinas: Papirus, 2003.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. A pedagogia como ciência da Educação: por entre praxis e epistemologia. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 2001.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. A pedagogia da pesquisa-Ação. Educação e Pesquisa, São Paulo, SP, v. 31, n. 03, p. 483-502. set./dez.2005. Disponível em: <http://goo.gl/mBbgRd>. Acesso em: 01 jul. 2015. ISSN 1678-4634.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Pedagogia como ciência da educação. Campinas: Cortez, 2008.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Pedagogia e prática docente. São Paulo: Cortez, 2013.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Pesquisa-ação e prática docente: possibilidades de descolonização do saber pedagógico. In: Diálogos interculturais: descolonizar o saber e o poder. Florianópolis: UFSC, 2009, p.1-21.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Pesquisa-ação: a produção partilhada de conhecimento In: Pesquisa-ação: uma alternativa à práxis. Uberlândia: UDUFU, 2012b, p. 51-70.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Pesquisa-ação: balizando princípios metodológicos. In: STRECK, Danilo Romeu; SOBOTTKA, Emil Albert; EGGERT, Edla. (Org). Pesquisa-ação e pesquisa participante em diálogo internacional. Curitiba: CRV, 2014a.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Práticas colaborativas na escola: as possibilidades da pesquisa-ação pedagógica. In: TOMASIELLO, Maria Guiomar Carneiro; MARIN, Alda Junqueira; PIMENTA, Selma Garrido et al. (Org.). Didática e práticas de ensino na realidade escolar contemporânea: constatações, análises e proposições. Araraquara: Junqueira e Marin, 2012c, p. 883-900.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Práticas pedagógicas nas múltiplas redes sociais. In: LIBÂNEO, José Carlos; ALVES, Nilda. Doze temas da pedagogia: as contribuições do pensamento em currículo e em didática. São Paulo: Cortez, 2012d, p. 169-189.

FRANCO, Maria Amélia Santoro; NOVAES, Marcos Bidart; PONTES, Rosana Aparecida Ferreira. Facing resignation and silence: a transforming action-research experience in Brazil. International Journal of Action Research, Alemanha, v. 05, n. 02. 2009. Disponível em: <http://goo.gl/VCB7tj>. Acesso em: 01 jul. 2015. ISSN 1861-9916.

FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

FREIRE, Paulo. Criando métodos de pesquisa alternativa: aprendendo a fazê-la melhor através da ação. In: BRANDÃO, Carlos Rodrigues (Org.). Pesquisa participante. São Paulo: Brasiliense, 1999, p. 34-41.

FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Cortez, 2008.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 27. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2003.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984; 2005.

GARCIA, Carlos Marcelo. O pensamento prático do professor – a formação do professor como profissional reflexivo. In: NÓVOA, António. Os professores e sua formação. Porto: Porto Editora, 1992.

GARCIA, Carlos Marcelo. Formação de professores – Para uma mudança educativa. Porto: Porto, 1999.

GERALDI, Corinta Maria Grisolia; FIORENTINI, Dario; PEREIRA, Elisabete Monteiro de Aguiar (Org.). Cartografias do trabalho docente. Campinas: Mercado das Letras, 1998.

GIROUX, Henry. Os professores como intelectuais: rumo a uma aprendizagem crítica da aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 1997.

GÓMEZ, Pérez. A função e a formação do professor no ensino para a compreensão: diferentes perspectivas. In: SACRISTÁN, Gimeno; GÓMEZ, Pérez. Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

GÓMEZ, Pérez. O pensamento prático do professor: a formação do professor como profissional reflexivo. In: NÓVOA, António. (Org.). Os professores e a sua formação. Portugal: Dom Quixote, 1992.

IMBERT, Francis. Para uma práxis pedagógica. Brasília: Plano Editora, 2003.

KEMMIS, Stephen. Action research. International Encyclopedia of Education. Oxford: Pergamon, 1984, p. 35-42.

KINCHELOE, Joel. A formação do professor como compromisso político: mapeando o pós-moderno. Porto Alegre: Artmed, 1997.

LAVOIE, L.; MARQUIS, D.; LAURIN, P. La recherché-action: théorie et pratique. Canadá: Presses de l’Université du Québec, 1996.

LEWIN, Kurt. Problemas de dinâmica de grupos. São Paulo: Cultrix, 1970.

LIMA, Lauro de Oliveira. Método Paulo Freire: processo de aceleração de alfabetização de adultos. In: LIMA, Lauro de Oliveira. Tecnologia, educação e democracia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

LIPOVETSKY, Noêmia. Ensino e formação de professores: as representações de professores do curso de pedagogia da Faculdade de Educação da UFG. 2001. 187 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO, 2001.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A sagrada família. São Paulo, Boitempo, 2003.

MORIN, André. Recherche-action en éducation: de la pratique à la théorie. Rapport: Canadá: Université de Montreal, 1985.

NÓVOA, António. (Org.). Os professores e a sua formação. Portugal: Dom Quixote, 1992.

OLIVEIRA-FORMOSINHO, Júlia., KISHIMOTO, Tizuko Morchida; PINAZZA, Monica Appezzato (Orgs.). Pedagogia(s) da infância: dialogando com o passado construindo o futuro. Porto Alegre: Artmed. 2007.

PIMENTA, Selma Garrido; GHEDIN, Evandro (Org.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

PIMENTA, Selma Garrido. Professor: formação, identidade e trabalho docente. In: PIMENTA, Selma Garrido. (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 1999, p. 15-34.

ROSA, Dalva Gonçalves. Investigação-ação colaborativa sobre práticas docentes na formação continuada de formadores. 2003. 201 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba, SP, 2003.

SACRISTÁN, Gimeno; GÓMEZ, Pérez. Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre: Artmed, 1998.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para ampliar o cânone democrático. In: SANTOS, Boaventura de Sousa (Org.). Democratizar a democracia: os caminhos da democracia participativa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Os processos da globalização. In: SANTOS, Boaventura de Sousa. (Org.). Globalização: fatalidade ou utopia. Porto: Afrontamento, 2001.

SAVIANI, Demerval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações, Campinas: Autores Associados, 2000.

SCHÖN, Donald. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SMYTH, John. Teachers’ work and the politics of reflection. American Educational Research Journal, v. 29, n. 02, p. 267-300. 1992. Disponível em: <http://goo.gl/rP8tJt>. Acesso em: 30 jun. 2015. ISSN 0002-8312.

STENHOUSE, Lawrence. Investigatión y desarollo del curriculum. Madrid: Morata, 1994.

SUOJANEN, U. Action research – a strategy for empowerment. In: K. Turkki (Org.). New approaches to the study of everyday life. Helsinki: Finland Publications 4, 1999.

THOUARD, Denis. Qu’est-ce qu’une herméneutique critique. Methodos, n. 02. 2002. Disponível em : <http://goo.gl/rMPoJX>. Acesso em: 21 mai. 2015.

WILSON, P. Empowering the self-directed team. Great Britain: Gower Publishing Limited, 1996.

ZEICHNER, Kenneth. A formação reflexiva de professores - ideias e práticas. Lisboa: Educa, 1993.

ZEICHNER, Kenneth. Tradução de Cristina Antunes. Políticas de formação de professores nos Estados Unidos: como e por que elas afetam vários países no mundo. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

Publicado
2016-07-05
Como Citar
Franco, M. A. S. (2016). Pesquisa-Ação Pedagógica: práticas de empoderamento e de participação. ETD - Educação Temática Digital, 18(2), 511-530. https://doi.org/10.20396/etd.v18i2.8637507