Banner Portal
A cultura da liberdade de criação e o cerceamento tecnológico e normativo: potencialidades para a autoria na educação
PDF

Palavras-chave

Tecnologias digitais
cerceamento tecnológico e normativo
cultura da liberdade
autoria e educação
tic e educação
direito autoral.

Como Citar

VELOSO, Maristela Midlej Silva de Araujo; BONILLA, Maria Helena Silveira; PRETTO, Nelson De Luca. A cultura da liberdade de criação e o cerceamento tecnológico e normativo: potencialidades para a autoria na educação. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 18, n. 1, p. 43–59, 2016. DOI: 10.20396/etd.v18i1.8639486. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8639486. Acesso em: 17 jun. 2024.

Resumo

O texto discute os processos que se articula em torno do acesso ao conhecimento e à infraestrutura básica comum, a qual envolve toda a cadeia da produção desses bens, formada por três camadas: a física, a lógica e a de conteúdo. Considera que as tecnologias digitais e a abundância de informações disponíveis no ciberespaço vêm, cada vez mais, ampliando as possibilidades de autoria dos professores e dos alunos no cotidiano escolar (do ensino fundamental à universidade). No entanto, sem aqueles elementos (acesso comum e infraestrutura) que são indispensáveis para a implantação na educação da autoria, ela não se viabilizaria. Assim, considera que a produção de conteúdo no contexto da cibercultura está condicionada pela infraestrutura tecnológica e pelos usos, trocas e meios de criação de conhecimentos. Por fim, a partir do referencial teórico sobre a temática em questão e de nossas pesquisas e vivências em contextos escolares e universitários, conclui-se que a cultura da construção coletiva e colaborativa em rede de textos, imagens e sons só poderá ser concretizada se for permitido a todos o direito e a liberdade de usufruir dos bens imateriais produzidos pela humanidade.

https://doi.org/10.20396/etd.v18i1.8639486
PDF

Referências

BENKLER, Yochai. A economia política dos commons. In: SILVEIRA, Sérgio Amadeu da; BENKLER, Yochai; WERBACH, Kevin; BRANT, João; GINDRE, Gustavo (Org.). Comunicação digital e a construção dos commons: redes virais espectro aberto e as novas possibilidades de regulação. São Paulo: Perseu Abramo, 2007. p.11-20.

BONILLA, Maria Helena Silveira. Software livre e formação de professores: para além da dimensão técnica. In: FANTIN, Monica; RIVOLTELLA, Pier Cesare (Org.). Cultura digital e escola: pesquisa e formação de professores. Campinas: Papirus, 2012. p. 253-281.

BIIHRER, Rafael Arrais. A cultura do remix: hibridismo e cibercultura. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Comunicação Social – Habilitação em Publicidade e Propaganda). Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 2010.

CASTELLS, Manoel. A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

GANDELMAN, Henrique. O que você precisa saber sobre direitos autorais. Rio de Janeiro: Senac Nacional, 2004.

GERBASE, Carlos. A fabricação da verdade no debate sobre direitos autorais no Brasil. In: PRETO, Nelson de Luca; SILVEIRA, Sérgio Amadeu da (Org.). Além das redes de colaboração: internet, diversidade cultural e tecnologias do poder. Salvador: EdUFBA, 2008. p. 133-153. Disponível em: < http://goo.gl/iqmeua>. Acesso em: 01 out. 2013.

HIMANEN, Pekka. Etica del hacker y el espiritu de la era de la informacción. Barcelona: Destino, 2004.

LAPASSADE, Georges. Da multirreferencialidade como “bricolagem”. In: BARBOSA, Joaquim Gonçalves (Coord.). Multirreferencialidade nas ciências e na educação. São Carlos: EdUFSCar, 1998. p. 126-148.

LEMOS, André. Ciber-cultura-remix. Apresentado ao Seminário “Sentidos e Processos” dentro da mostra Cinético Digital, no Centro Itaú Cultural. São Paulo: Itaú Cultural. ago. 2005. Disponível em: <http://goo.gl/UW7eMR>. Acesso em: 24 abr. 2010.

LEMOS, André. Cibercultura como território recombinante. In: TRIVINHO, Eugênio; CAZELOTO, Edilson (Org.) A cibercultura e seu espelho [recurso eletrônico]: campo de conhecimento emergente e nova vivência humana na era da imersão interativa, São Paulo: ABCiber, 2009a. p. 38-46.

LEMOS, André. Arte e mídia locativa no Brasil. In: LEMOS, André; JOSGRILBEG, Fabio (Org.). Comunicação e mobilidade: aspectos socioculturais das tecnologias móveis de comunicação no Brasil. Salvador: EdUFBA, 2009b. p. 89-108.

LEMOS, André; LÉVY, Pierre. O futuro da internet: em direção a uma ciberdemocracia planetária. São Paulo: Paulus, 2010.

LESSIG, Lawrence. Cultura livre: como a grande mídia usa a tecnologia e a lei para bloquear a cultura e controlar a criatividade. São Paulo: Trama, 2005. Disponível em: <http://goo.gl/ImQ2xv>. Acesso em: 13 ago. 2013.

LÉVY, Pierre. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. 4. ed. São Paulo: Loyola, 2003.

MARTINS, Beatriz Cintia. Autoria em rede: um estudo dos processos autorais interativos de escrita nas redes de comunicação. 2012. 155 f. Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 2012. Disponível em: <https://goo.gl/YPRT02>. Acesso em: 01 out. 2013.

PARANAGUÁ, Pedro; BRANCO, Sérgio. Direitos autorais. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009.

PRETTO, Nelson de Luca. Professores-autores em rede. In: SANTANA, Bianca; ROSSINI, Carolina; PRETTO, Nelson de Luca (Org.). Recursos educacionais abertos: práticas colaborativas e políticas públicas. Salvador: EdUFBA; São Paulo: Casa de Cultura Digital, 2012. Disponível em: <http://goo.gl/9zMpj2>. Acesso em: 13 set. 2013.

SANTOS, Manoel Joaquim Pereira dos. Principais tópicos para a revisão da lei de direitos autorais. In: WACHOWICZ, Marcos; SANTOS, Manoel Joaquim Pereira dos (Org.). Estudos de direito de autor: a revisão da lei de direitos autorais. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2010. p. 55-72. Disponível em: < http://goo.gl/ycpjZH>. Acesso em 01 out. 2013.

SILVEIRA, Sérgio Amadeu da. Software livre: a luta pela liberdade do conhecimento. São Paulo: Perseu Abramo, 2004.

SILVEIRA, Sérgio Amadeu. Redes virais e espectro aberto: descentralização e desconcentração do poder comunicacional. In: SILVEIRA, Sérgio Amadeu et al. Comunicação digital e a construção dos commons: redes virais, espectro aberto e as novas possibilidades de regulação. São Paulo: Perseu Abramo, 2007. p. 21-55.

SILVEIRA, Sérgio Amadeu. Para além da inclusão digital: poder comunicacional e novas assimetrias. In: PRETTO, Nelson de Luca; BONILLA, Maria Helena Silveira (Org.). Inclusão digital: polêmica contemporânea. Salvador: EdUFBA, 2011. p.49-59.

SILVEIRA, Sérgio Amadeu da. Formatos abertos. In: SANTANA, Bianca; ROSSINI, Carolina; PRETTO, Nelson de Luca. Recursos educacionais abertos: práticas colaborativas e políticas públicas. Salvador: EdUFBA; São Paulo: Casa da Cultura Digital, 2012. Disponível em: <http://goo.gl/lFHFHQ>. Acesso em: 11 ago. 2015.

SIMON, Imre; VIEIRA, Miguel Said. A propriedade intelectual diante da emergência da produção social. Social Science Research Network. 2007. Disponível em:

<http://goo.gl/yiS0IK>. Acesso em: 01 out. 2013. ISSN 0049-089X.

SIMON, Imre; VIEIRA, Miguel Said. O rossio não rival. In: PRETTO, Nelson de Luca; SILVEIRA, Sérgio Amadeu da. Além das redes de colaboração: internet, diversidade cultural e tecnologias do poder. Salvador: EdUFBA, 2008. p. 15-30.

WACHOWICZ, Marcos; SANTOS, Manoel Joaquim Pereira dos (Org.). Estudos de direito de Autor: a revisão da lei de direitos autorais. Florianópolis: Boiteux, 2010. p.73-101.

WACHOWICZ, Marcos; PRONER, Carol (Org.). Movimentos rumo a sociedade democrática do conhecimento. In: WACHOWICZ, Marcos; PRONER, Carol (Org.). Inclusão tecnológica e direito a cultura: movimentos rumos à sociedade democrática do conhecimento. Florianópolis: Boiteux, 2012. p. 15-38. Disponível em:

< http://goo.gl/Rf8daA>. Acesso em: 11 ago. 2015.

WACHOWICZ, Marcos (Org.). Por que mudar a lei de direito autoral? Estudos e pareceres. Florianópolis: Editora FUNJAB, 2011. Disponível em: < http://goo.gl/lLGzx4>. Acesso em: 11 ago. 2015.

VALOIS, Djalma. Copyleft. In: SILVEIRA, Sérgio Amadeu; Cassino, João (Org.). Software livre e inclusão digital. São Paulo: Conrad do Brasil, 2003. p.287-317.

A ETD - Educação Temática Digital utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.