Trabalho, política, formação e emancipação humana em Marx e Lukács.

  • Hormindo Pereira Souza Junior Universidade Federal de Minas Gerais
  • Daniel Handan Triginelli Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Trabalho. Formação. Estado. Política. Emancipação humana.

Resumo

Neste artigo discutiremos as categorias trabalho, política, formação e emancipação humana em Marx e Lukács. A partir da categoria trabalho, buscaremos compreender a política, a formação e a emancipação humana como fundamentos necessários à formação do ser social. A partir do salto ontológico produzido pela categoria trabalho, verifica-se historicamente a concretização das condições e possibilidades ao desenvolvimento dos demais complexos fundamentais à formação do ser social. Através do afastamento das barreiras naturais, Lukács, na esteira de Marx, demonstra como a dupla transformação, mediada pelo trabalho no metabolismo do homem com a natureza, se dá na formação material/social/histórica do ser humano, tornando-se a base de toda sua práxis social, portanto, de sua emancipação. Problematizaremos também acerca do “caráter antisocial” da propriedade privada e do Estado, portanto, da política para descortinar a origem dos problemas sociais e de sua essência. A política é, segundo Marx, uma atividade meio, datada historicamente e instrumental. É algo que há de ser superado. Esta concepção da política, e do Estado, recusa o entendimento de que ela constitui uma dimensão do humano e do social de forma permanente e estrutural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hormindo Pereira Souza Junior, Universidade Federal de Minas Gerais

Bacharel e licenciado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Minas Gerais. Mestre em Educação pela UFMG. Doutor em História e Filosofia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Pós-Doutorado em Filosofia Política e Educação pela Universidade Federal Fluminense. Professor Associado da UFMG. Professor do Programa de Pós-Graduação Conhecimento e Inclusão Social em Educação da FAE-UFMG. Desenvolve pesquisas no campo de confluência entre trabalho, política, formação e emancipação humana.

Daniel Handan Triginelli, Universidade Federal de Minas Gerais
Possui graduação em História com licenciatura e bacharelado pelo Centro Universitário de Belo Horizonte - UNI-BH. Especialista em História e Culturas Políticas, pelo Departamento de Pós-Graduação de História da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Mestre, com auxílio de bolsa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil, pelo Programa de Pós-Graduação em Educação: Conhecimento e Inclusão Social da Faculdade de Educação - FAE, da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Doutor, com auxílio de bolsa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil, pelo Programa de Pós-Graduação em Educação: Conhecimento e Inclusão Social da Faculdade de Educação - FAE, da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, realizou estágio doutoral sanduíche supervisionado pelo Professor Dr. Miguel Vedda na Univerdad de Buenos Aires - UBA.

Referências

CHASIN, J. Marx: A determinação ontonegativa da politicidade. Ensaios AD Hominem, Santo André, t.3, p.129-161, 2000a.

CHASIN, J. O futuro ausente: a conscientização da nova politicidade: Niccolò Machiavelli. Ensaios AD Hominem, Santo André, t.3, p.197-243, 2000b.

LUKÁCS, György. Para uma ontologia do ser social I. Tradução, Carlos Nelson Coutinho, Mario Duayer e Nélio Schneider. 1ª edição. São Paulo/SP: Ed. Boitempo, 2012.

LUKÁCS, György. Para uma ontologia do ser social II. Tradução, Nélio Schneider, Ivo Tonet, Ronaldo Vielmi Fortes. 1ª edição. São Paulo/SP: Ed. Boitempo, 2013.

MARX, K. A Questão Judaica. 1a. Ed. São Paulo: Editora Moraes, 1970.

MARX, Karl. Crítica da filosofia do direito de Hegel: 1843. Tradução de Rubens Enderle e Leonardo de Deus. São Paulo: Boitempo, 2005.

MARX, Karl. ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã: crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas (1845-1846). Supervisão editorial, Leandro Konder; tradução, Rubens Enderle, Nélio Schneider, Luciano Cavini Martorano. São Paulo/SP: Ed. Boitempo, 2007.

MARX, Karl. Entrevista com o fundador do socialismo moderno – Chicago Tribune, dezembro de 1878. (Apresentação de Bert Andreas). In: CHASIN, J. (Org). Marx Hoje. Volume 1. Editora Ensaio. São Paulo. 1990.

MARX, Karl. Glosas críticas ao artigo: O rei da Prússia e a reforma social de um Prussiano. Revista Práxis n. 5. Ed. Joaquim de Oliveira, Belo Horizonte. 1995.

MARX, Karl. Manuscritos econômicos-filosóficos. Supervisão editorial, Marcelo Backes. Tradução Jesus Ranieri. São Paulo/SP, Ed. Boitempo, 2009.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política: livro I: o processo de produção do capital. Tradução, Rubens Enderle. São Paulo/SP: Ed. Boitempo, 2013.

MARX, Karl. Observaciones sobre la reciente instrución prussiana acerca de la censura. In: MARX, Carlos, ENGELS, Frederico. Obras fundamentales: Marx – escritos de juventud. México: Fondo de Cultura econômica, 1982, V. 1.

MARX, Karl. Sobre a Questão Judaica. Inclui as cartas de Marx a Ruge publicadas nos Anais Franco-Alemães. Boitempo Editorial, São Paulo. 2010.

MARX, Karl. Sobre a questão judaica. Tradução Nélio Schneider, [tradução de Daniel Bebsaïd, Wanda Caldeira Brant]. São Paulo/SP: Ed. Boitempo, 2010.

Publicado
2017-03-11
Como Citar
Souza Junior, H. P., & Triginelli, D. H. (2017). Trabalho, política, formação e emancipação humana em Marx e Lukács. ETD - Educação Temática Digital, 19(1), 258-282. https://doi.org/10.20396/etd.v18i4.8641638

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)