Três tecnologias de subjetivação para pensar o ensino de dança na escola

  • Maria Falkembach Universidade Federal de Pelotas Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Gilberto Icle Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS
Palavras-chave: Dança, Escola, Movimento, Corpo, Michel Foucault, Rudolf Laban

Resumo

Este texto pretende propor o ensino de dança na escola de Educação Básica como tecnologia que envolve três possibilidades: disciplina; biopolítica e técnica de si. São apresentadas as relações entre ensino de dança e as formas disciplinares de conduta de professoras e professores, e de alunas e alunos. Problematiza-se a biopolítica como tecnologia que trama o movimento e o movimentar-se à produção da vida, especialmente, por intermédio da mídia e de outras tecnologias. Discute-se a dança como tecnologia de si, como inquietude, mostrando a articulação entre movimento e modos de subjetivação. A reflexão aqui empreendida parte da produção filosófica de Michel Foucault, amalgamando-se aos estudos sobre o movimento de Rudolf Laban. Este texto enfatiza a relação entre a produção de movimento na Escola e três modos distintos de subjetivação, dando visibilidade à trama ambígua produzida pelo ensino da dança na Escola: subjetivar-se e assujeitar-se.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Falkembach, Universidade Federal de Pelotas Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Graduada em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Mestre em teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina e doutoranda no Programa de Pós-graduação em Educação da Universidae Federal do Rio Grande do Sul. Professora no curso de graduação em Dança da Universidade Federal de Pelotas.
Gilberto Icle, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS
Graduado em Artes Cênicas, mestre e doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Pós-doutorado em Etnocenologia pela Université Paris 8, na França. É professor permanente no Programa de Pós-graduação em Educação da Univetrsidae Federal do Rio Grande do Sul e professor colaborador no Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas na Universidade de Brasília. É coordenador da Rede Internacional de Estudos da Presença. Editor-associado da revisa Educação & Realidade e editor-chefe da Revista Brasileira de Estudos da Presença. Coordenador do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2015-2016).

Referências

ASSUMPÇÃO, Andréa Cristhina Rufino. Dança na escola: o trabalho criador que emerge das contradições na práxis educativa. 2005. 148 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Setor de Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, 2005. Disponível em:

< http://goo.gl/QrvkWb>. Acesso em: 04 dez. 2015.

CÂMARA DOS DEPUTADOS. Câmara aprova dança e teatro como disciplinas obrigatórias da educação básica. 2015. Disponível em: <http://goo.gl/0xH7se>. Acesso em: 05 ago. 2015.

CAMOZZATO, Viviane Castro. Entre a pedagogia legisladora e as pedagogias intérpretes. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, RJ, v. 20, n. 61, p. 501-520. abr./jun. 2015. Disponível em: <http://goo.gl/uo2axz>. Acesso em: 02 mai. 2015. ISSN 1809-449X.

CAMOZZATO, Viviane Castro; COSTA, Marisa Vorraber. Da pedagogia como arte às artes da pedagogia. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 24, n. 03 (72), p. 161-182. set./dez. 2013. Disponível em: <http://goo.gl/8r8D5f>. Acesso em: 04 dez. 2015. ISSN 1980-6248.

CARNEIRO, Natalia Martins. A dança no processo formativo do educando: elementos para um entendimento da dança na/da escola. 2003. 152 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, 2003. Disponível em: <http://goo.gl/WUfJnv>. Acesso em: 04 dez. 2015.

CASTRO, Eduardo. Vocabulário de Foucault: um percurso pelos seus temas, conceitos e autores. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

CAZÉ, Clotildes Maria de Jesus Oliveira. Corpos que dançam aprendem: análise do espaço da dança na rede pública estadual de Salvador/BA. 2008. 124 f. Dissertação (Mestrado em Dança) – Escola de Dança, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, 2008. Disponível em: <http://goo.gl/mhuvL0>. Acesso em: 04 dez. 2015.

CHAVES, Virgínia Maria Rocha. Dança: uma estratégia para revelação e reelaboração do corpo no ensino público fundamental. 2002. 162 f. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) – Escola de Teatro, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, 2002.

CORRÊA, Josiane Franken. Dança na escola e a construção do co(por)letivo: respingos sobre um processo educativo que dança (dançante que educa?). 2012. 139 f. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) – Instituto de Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2012.

DELEUZE, Gilles. Foucault. São Paulo: Brasiliense, 1988.

DELEUZE, Gilles. Conversações. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

FALKEMBACH, Maria Fonseca. Quem disse que não tem espaço pra dança na escola? In: FERREIRA, Taís; FALKEMBACH, Maria Fonseca. Teatro e dança nos anos iniciais. Porto Alegre: Mediação, 2012, p. 59-129.

FERNANDES, Ciane. Sobre corpos vivos: pulsões de uma autenticidade em movimento. Encontro Teatro, Goiânia, GO, n. 03. No prelo.

FERNANDES, Ciane. Quando o todo é mais que a soma das partes: somática como campo epistemológico contemporâneo. Revista Brasileira de Estudos da Presença, Porto Alegre, RS, v. 05, n. 01, p. 09-38. 2015. Disponível em: <http://goo.gl/up4mxq>. Acesso em: 01 out. 2015. ISSN 2237-2660.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade 2: o uso dos prazeres. Rio de Janeiro: Graal, 1998.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

FOUCAULT, Michel. O poder psiquiátrico. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

FOUCAULT, Michel. Segurança, território, população: curso dado no Collège de France (1977-1978). São Paulo: Martins Fontes, 2008.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. Petrópolis: Vozes, 2004.

FOUCAULT, Michel. O sujeito e o poder. In: DREYFUS, Hubert; RABINOW, Paul. Michel Foucault uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010. p. 273-295.

FOUCAULT, Michel. Sobre a genealogia da ética: um panorama do trabalho em curso. In: DREYFUS, Hubert; RABINOW, Paul. Michel Foucault uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010a. p. 296-327.

FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos V: ética, sexualidade, política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

GADELHA, Sylvio. Biopolítica: no que isso interessa aos educadores? In: DIAS, Rosimeri de Oliveira. (Org.). Formação inventiva de professores. Rio de Janeiro: Lamparina, 2012. p. 74-81.

GADELHA, Sylvio. Biopolítica, governamentalidade e educação: introdução e conexões a partir de Michel Foucault. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

GARCIA, Maria Manuela Alves. Didática e trabalho ético na formação docente. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, SP, v. 39, n. 136, p. 225-242. jan./abr. 2009. Disponível em: <http://goo.gl/93Q21n>. Acesso em: 10 nov. 2014. ISSN 1980-5314.

GARCIA, Maria Manuela Alves. Políticas educacionais contemporâneas: tecnologias, imaginários e regimes éticos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, RJ, v. 15, n. 45, p. 445-591. set./dez. 2010. Disponível em: <http://goo.gl/pN6t96>. Acesso em: 10 nov. 2014. ISSN 1809-449X.

GARCIA, Maria Manuela Alves. O sujeito emancipado nas pedagogias críticas. Educação & Realidade, Porto Alegre, RS, v. 26, n. 02, p. 31-50. jul./dez. 2001. Disponível em: <http://goo.gl/yGrRem>. Acesso em: 15 fev. 2015. ISSN 2175-6236.

GORE, Jennifer M. Foucault e educação: fascinantes desafios. In: SILVA, Tomaz Tadeu da. Sujeito da educação: estudos foucaultianos. Petrópolis: Vozes, 2002. p. 09-20.

HARDT, Michael; NEGRI, Antonio. A produção biopolítica. In: PARENTE, André. Tramas da rede: novas dimensões filosóficas, estéticas e políticas da comunicação. Porto Alegre: Sulina, 2010. p. 161-173.

LABAN, Rudolf. Dança educativa moderna. São Paulo: Ícone, 1990.

LABAN, Rudolf. Domínio do movimento. São Paulo: Summus, 1978.

LARROSA, Jorge. In: SILVA, Tomaz Tadeu da. Sujeito da educação: estudos foucaultianos. Petrópolis: Vozes, 2002. p. 35-86.

LAZZARATO, Maurizio. Para uma definição do conceito de “bio-política”. Lugar Comum, Rio de Janeiro, RJ, n. 05-06, p. 81-96. 1999. Disponível em: <http://goo.gl/jVNkhi>. Acesso em: 04 set. 2014. ISSN 1415-8604.

LOMAKINE, Luciana. (Re)descobrindo a dança em tempos pós-modernos. 1999. 204 f. Dissertação (Mestrado em Artes) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 1999.

MALETIC, Vera. Body – Space – Expression: the development of Rudolf Laban’s movement and dance concepts. Berlin; New York; Amsterdam: Mouton de Gruyter, 1987.

MARQUES, Isabel A. Dançando na escola. São Paulo: Cortez, 2007b.

MARQUES, Isabel A. Ensino de dança hoje: textos e contextos. São Paulo: Cortez, 2007a.

MARQUES, Isabel A. Linguagem da dança: arte e ensino. São Paulo: Digitexto, 2010.

MARQUES, Isabel A. Parecer técnico - Projeto de Doutorado “Práticas da Dança na Educação Básica: um estudo com professoras da rede pública no sul do Brasil. ” – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS.

MATOS, Lúcia. Dança e diferença: cartografia de múltiplos corpos. Salvador: EdUFBA, 2012.

MIRANDA, Regina. Corpo-espaço: aspectos de uma geofilosofia do corpo em movimento. Rio de Janeiro: 7Letras, 2008.

MIRANDA, Regina. A escola Laban. In: VAN HELDEN, Maria Waleska; FREIRE, Ana Luiza Gonçalves. Anais eletrônicos... I CONDANÇA: qual o futuro da dança. Porto Alegre: Condança, 2001. p. 48-55. Disponível em: <http://goo.gl/bV1OvJ>. Acesso em: 04 dez. 2015.

NEGRI, Antonio. Para uma definição ontológica da multidão. Lugar Comum, Rio de Janeiro, RJ, n. 19-20, p. 15-26. 2009. Disponível em <http://goo.gl/iOW2mi>. Acesso em: 04 set. 2014. ISSN 1415-8604.

PÁL PELBART, Peter. Biopolítica. Sala Preta, São Paulo, SP, n. 07, p. 57-65. 2007. Disponível em: <http://goo.gl/0zxyy5>. Acesso em: 15 out. 2014.

PÁL PELBART, Peter. Poder sobre a vida, potência da vida. Lugar Comum, Rio de Janeiro, RJ, n. 17, p. 33-43. 2008. Disponível em: <http://goo.gl/BfNqEu>. Acesso em: 15 out. 2014. ISSN 1415-8604.

PRESTON-DUNLOP, Valerie. Extracts from “Dance is a Language isn’t it?”. London: Laban Centre for Movement and Dance, 1992.

PRIMO, Rosa. Ligações da dança contemporânea nas sociedades de controle. In: PEREIRA, Roberto; SOTER, Silvia. (Org.) Lições de Dança 5. Rio de Janeiro: UniverCidade, 2005. p. 107-122.

SANTOS, Airton Ricardo Tomazzoni dos. Lições de dança no baile da pós-modernidade: corpos (des)governados na mídia. 2009. 267 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2009. Disponível em: < http://goo.gl/yy5Gul>. Acesso em: 04 dez. 2015.

SCARPATO, Marta Thiago. O corpo cria, descobre e dança com Laban e Freinet. 1999. 83 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 1999. Disponível em: <https://goo.gl/6NEu2n>. Acesso em: 04 dez. 2015.

SILVA, Edna Christine. A dança na rede municipal de ensino de juiz de fora. Anais eletrônicos... III CONGRESSO NACIONAL DE PESQUISADORES EM DANÇA (ANDA), 2014. Disponível em: <http://goo.gl/RgEPT2>. Acesso em: 05 ago. 2015.

SILVA, Edna Christine. Corpomídia na escola: uma proposta indisciplinar. 2012. 92 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Semiótica) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP, 2012. Disponível em: <https://goo.gl/trmNkL>. Acesso em: 04 dez. 2015.

STRAZZACAPPA, Márcia Maria Hernández; MORANDI, Carla. Entre a arte e a docência: a formação do artista da dança. Campinas: Papirus, 2006. Disponível em: <https://goo.gl/93bAcP>. Acesso em: 04 dez. 2015.

VALLE, Flavia Pilla do. Contraconduta da Criação: um estudo com alunos da graduação em dança. 2012. 157 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2012. Disponível em: <http://goo.gl/AO2577>. Acesso em: 04 dez. 2015.

VEIGA-NETO, Alfredo. Foucault & a Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

Publicado
2016-08-30
Como Citar
Falkembach, M., & Icle, G. (2016). Três tecnologias de subjetivação para pensar o ensino de dança na escola. ETD - Educação Temática Digital, 18(3), 628-650. https://doi.org/10.20396/etd.v18i3.8642170