Banner Portal
Assunção de responsabilidade e reflexão dirigida no curso de pedagogia: implicações para a adaptação e formação no ensino superior
PDF

Palavras-chave

Curso de Pedagogia. Ambiente acadêmico. Assunção de responsabilidade. Reflexão dirigida.

Como Citar

MORAIS, Alessandra de; BATAGLIA, Patricia Unger Raphael; LEPRE, Rita Melissa; DIAS, Carmen Lucia; OLIVEIRA, Rogério Eduardo Cunha de. Assunção de responsabilidade e reflexão dirigida no curso de pedagogia: implicações para a adaptação e formação no ensino superior. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 19, n. 2, p. 482–509, 2017. DOI: 10.20396/etd.v19i2.8644128. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8644128. Acesso em: 21 jun. 2024.

Resumo

Um ambiente acadêmico favorável à aprendizagem relaciona-se ao provimento de oportunidades de assunção de responsabilidade e de reflexão dirigida, as quais se referem à possibilidade de aplicar o conhecimento em circunstâncias diversificadas e de respectiva reflexão orientada. Objetivou-se identificar essas oportunidades em um curso de Pedagogia, na percepção de alunos e professores. Foram realizados grupos focais e os dados foram tratados por meio de análise de conteúdo, com o auxílio do software ALCESTE©.  Os resultados demonstraram que o curso oferece diversas oportunidades para a participação ativa de seus alunos, no entanto os estudantes do período noturno apresentam dificuldades para as usufruírem, não sendo disponibilizados serviços e propostas que atendam suas necessidades. Quanto às possibilidades de reflexão dirigida, deflagraram-se problemas no modo como o estágio curricular está configurado, resultando em lacunas importantes na formação dos graduandos.

https://doi.org/10.20396/etd.v19i2.8644128
PDF

Referências

ALCESTE© version 4.8 pour Windows. Toulouse: Image, 2005. 1 CD-Rom.

ALMEIDA, Leandro S. Questionário de vivências acadêmicas para jovens universitários: estudos de construção e de validação. Revista Galego-Portuguesa de Psicoloxía e Educación, Coruña, ano 3, vol. 3, p. 113-130, 1998. Disponível em: http://ruc.udc.es/dspace/handle/2183/ 6662. Acesso em: 27 nov. 2012.

ANDRADE, Cleide L. de; SPOSITO, Marilia P. O aluno do curso superior noturno. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 57, p. 3-19, maio 1986.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: edições 70, 2000.

BARREIRO, Iraíde M. de F.; TERRIBILI FILHO, Armando. Educação superior no período noturno no Brasil: políticas, intenções e omissões. Ensaio: Avaliação Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v.15, n.54, p. 81-102, jan./mar. 2007.

BATAGLIA, Patrícia U.R. Um estudo sobre o juízo moral e a questão ética na prática da Psicologia. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social) – Universidade de São Paulo, IP-USP, São Paulo, SP, 1996.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9394, 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 24 dez. 1996. Disponível em URL:http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/tvescola/leis/lein9394.pdf . Acesso em: 10 novembro de 2014.

CAMARGO, Brígido. V. ALCESTE: Um programa informático de análise quantitativa de dados textuais. In: PAREDES, Antonia. S. P. M.; CAMARGO, Brígido. V.; JESUÍNO, Jorge. C.; NÓBREGA, Sheva. M. (Orgs.). Perspectivas teórico-metodológicas em representações sociais. 1 ed. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2005. p. 511-539.

FRANCO, Maria. L. P. B. Análise do conteúdo. 3. ed. Brasília: Liberlivro, 2008.

GATTI, Bernadete A.; NUNES, Marina M.R. (Orgs.). Formação de professores para o ensino fundamental: estudo de currículos das licenciaturas em pedagogia, língua portuguesa, matemática e ciências biológicas. São Paulo: FCC/DPE, 2009.

GERK, Eliane; CUNHA, Silvia. M. As habilidades sociais na adaptação de estudantes ao ensino superior. In: BANDEIRA, Marina; DEL PRETTE, Zilda. A. P.; DEL PRETTE, Almir. (Orgs.). Estudos sobre habilidades sociais e relacionamento interpessoal. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006. p. 181-196.

GUERREIRO-CASANOVA, Daniela.; POLYDORO, Soely. Integração ao ensino superior: relações ao longo do primeiro ano de graduação. Psicologia: Ensino & Formação, Brasília, v. 1, n. 2, 2010. Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2177-20612010000200008&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 04 dez. 2014.

IGUE, Érica A.; BARIANI, Isabel C. D.; MILANESI, Pedro V. B. Vivência acadêmica e expectativas de universitários ingressantes e concluintes. Psico-USF, Itatiba, v.13, n. 2, p.155-164, 2008.

LEPRE, Rita. M.; MORAIS-SHIMIZU, Alessandra; BATAGLIA, Patrícia. U. R.; GRACIO, Maria C.C. ; CARVALHO, S. M. R. ; OLIVEIRA, J. B. A formação ética do educador: competência e juízo moral de graduandos de Pedagogia. Educação e Cultura Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 11, p. 113-137, 2014.

LIND, Georg. O significado e medida da competência moral revisitada: um modelo de duplo aspecto da competência moral. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 13, n. 3, p. 399-416, 2000.

MARCELO, Carlos. Pesquisa sobre a formação de professores. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro: ANPEd; Campinas: Autores Associados, n. 9, p. 51-75, set/out/nov/dez, 1998.

MARCELO, Carlos; VAILLANT, Denise. Ensinando a ensinar: as quatro etapas de uma aprendizagem. Curitiba: Ed UTFPR, 2012.

MIZUKAMI, Maria da G. N. Aprendizagem da docência: algumas contribuições de L. S. Shulman. Educação Santa Maria, Santa Maria, v.29, n.2, p.33-49, 2004. Disponível em http://www.ufsm.br/ce/revista. Acesso em: 02 mar. 2015.

NASCIMENTO, Adriano R. A.; MENANDRO, Paulo R. M. Análise lexical e análise de conteúdo: uma proposta de utilização conjugada. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, v. 6, n. 2, p.72-88, 2006.

POWELL, Richard A.; SINGLE, Hellen M. Focus groups. International Journal of Quality in Health Care, v.8, n.5, p. 499-504, 1996.

REGO, Sergio T. A. A formação ética dos médicos: saindo da adolescência com a vida (dos outros) nas mãos. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2003.

REINERT, Max. Alceste: Manuel d’utilisation. Version 4.8 pour Windows. Toulouse: Societé IMAGE, 2005.

ROLDÃO, Maria do C. N. Profissionalidade docente em análise-especificidades dos ensinos superior e não superior. Nuances: estudos sobre educação, Presidente Prudente, ano XI, v.12, n.13, p. 105- 126, jan./dez. 2005.

ROLDÃO, Maria do C. Função docente: natureza e construção do conhecimento profissional. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro: ANPEd; Campinas: Autores Associados, v.12, n.34, p. 94-103, jan./abr. 2007.

SÃO PAULO. Constituição do Estado de São Paulo, São Paulo. 1989.

SAVIANI, Dermeval. Os saberes implicados na formação do educador. In: BICUDO. Maria Aparecida Viggiani; SILVA JUNIOR, Celestino Alves (Orgs.). Formação do educador: dever do Estado, tarefa da Universidade. São Paulo: UNESP, 1996.

SCHILLINGER, Márcia. Learning environment and moral development: How university education fosters moral judgment competence in Brazil and two German-speaking countries. Aachen: Shaker Verlag, 2006.

SILVA, Maria C. R.; BATAGLIA, Patrícia U. R.; APRILE, Maria. R. A ética na formação do professor: uma investigação a respeito da construção da competência moral. 2008. Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, 2008.

VARGAS, Hustana M.; PAULA, Maria de F. C. de. A inclusão do estudante-trabalhador e do trabalhador-estudante na educação superior: desafio público a ser enfrentado. Avaliação, Campinas, Sorocaba , v. 18, n. 2, jul. 2013. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.phpscript=sci_arttext&pid=S1414-40772013000200012&lng=pt&nrm=iso. Acesso: em 27 jan. 2015.

A ETD - Educação Temática Digital utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.