A reconstrução de memórias da alimentação na formação inicial de professores de ciências: um reencontro com saberes, sabores, aromas e afetos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v18i3.8645410

Palavras-chave:

Alimentação. Memórias. Narrativas. Formação de professores.

Resumo

Neste texto discutimos diversos aspectos vinculados à alimentação a partir da análise de narrativas produzidas por estudantes do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, no marco de uma intervenção didática que envolveu o trabalho com a memória. Essa intervenção tinha como principal objetivo propiciar uma aproximação aos atributos socioculturais da alimentação, tanto em seus aspectos subjetivos coletivos como individuais. As narrativas foram submetidas à análise temática do conteúdo articulada a referencial sobre memória e práticas alimentares. Assim, foi possível identificar alguns aspectos relevantes que caracterizam as práticas alimentares rememoradas: a infância como momento marcante na aquisição de hábitos alimentares, resignificada à luz do momento atual; a comensalidade reconhecida como valor; diferentes formas de expressar a subjetividade em relação aos alimentos; o protagonismo das avós na memória gustativa e afetiva, e, finalmente, a introdução de mudanças nos hábitos alimentares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Marcela Bogado, Departamento de Metodologia de Ensino, Universidade Federal de São Carlos

Doutora em Sociologia pelo Programa de Pós-graduação em Sociologia da Universidade Federal de São Carlos (PPGS/UFSCar). Atualmente realiza pós-doutorado no Departamento de Metodologia de Ensino (DME/UFSCar), no PNPD Institucional da CAPES.

Denise de Freitas, Professora Associada no Departamento de Metodologia de Ensino da Universidade Federal de São Carlos.

Concluiu o doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (1998) e pós-doutoramento pela Universidade de Lisboa ? Portugal (2005). Atualmente é Professora Associada da Universidade Federal de São Carlos e Assessora do Setor de Biologia do Centro de Divulgacão Científico e Cultural USP-SC. Graduou-se em Ciências Biológicas ? licenciatura e bacharelado - pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras Barão de Mauá de Ribeirão Preto (1979). Fez Especialização em Ensino de Ciências pela Universidade Estadual de Campinas (1987). Concluiu o mestrado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (1988). Atua como docente e pesquisadora junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação da UFSCar orientando pesquisas no mestrado e doutorado. Em sua trajetória acadêmica tem atuado em cursos de formação inicial e continuada de professores de ciências e realizado estudos de investigação neste âmbito. As pesquisas desenvolvidas no campo da Educação centram-se nas subáreas: i) formação de professores de Ciências; ii) processos de ensino e aprendizagem; iii) ensino de Ciências e Biologia; iv) educação ambiental.

Referências

ALVES, Hayda Josiane; BOOG, Maria Cristina Faber. Comportamento alimentar em moradia estudantil: um espaço para promoção da saúde. Revista Saúde Pública, São Paulo, SP, v. 41, n. 02, p. 197-204, 2007. Disponível em: <http://goo.gl/6gmscK>. Acesso em: 29 abr. 2016. ISSN 1518-8787.

ASSUNÇÃO, Viviane Kraieski. Comida de mãe: notas sobre alimentação e relações familiares. Anais eletrônicos... In: REUNIÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA, 26., 2008, Porto Seguro, BA. Disponível em: <http://goo.gl/5yNnkg>. Acesso em: 12 jan. 2016.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: edições 70, 1977. 226 p.

BOOG, Maria Cristina Faber. Contribuições da educação nutricional à construção da segurança alimentar. Saúde em Revista, Piracicaba, SP, v. 06, n.13, p. 17-23. 2004. Disponível em: <http://goo.gl/kkS60U>. Acesso em: 29 abr. 2016.

CORÇÃO, Mariana. Memória gustativa e identidade: de Proust à cozinha contemporânea. Curitiba, 2006. Disponível em: <http://goo.gl/7KvJuf>. Acesso em: 03 fev. 2016.

CUNHA, Maria Isabel da. Conta-me agora! As narrativas como alternativas pedagógicas na pesquisa e no ensino. Revista da Faculdade de Educação, São Paulo, SP, v. 23, n. 01-02, p. 185-195. jan./dez. 1997. Disponível em: <http://goo.gl/G6d1XW>. Acesso em: 29 abr. 2016. ISSN 0102-2555.

DIEZ GARCIA, Rosa Wanda. A antropologia aplicada às diferentes áreas da nutrição. In: CANESQUI, Ana Maria; DIEZ GARCIA, Rosa Wanda (Orgs.). Antropologia e nutrição: um diálogo possível. Rio de Janeiro: Ed. FIOCRUZ, 2005, p. 275-286.

FARIA, Roberta. Receita de família. Sorria, São Paulo, SP, n. 28, p. 17-18. 2012.

JELIN, Elizabeth. Los trabajos de la memoria. Madrid: Siglo XXI, 2002. 146 p. Disponível em: <http://goo.gl/pCSgd1>. Disponível em: 29 abr. 2016.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2006. 222 p.

KERBRAT-ORECCHIONI, Catherine. La enunciación. De la subjetividad enel lenguaje. Buenos Aires: Edicial, 1993.307 p. Disponível em: <http://goo.gl/ltFX3y>. Acesso em: 29 abr. 2016.

LOIOLA, Rita. Comida de mãe. Sorria, São Paulo, n. 31, p. 16-17. 2013.

MACIEL, Maria Eunice. Cultura e alimentação ou o que têm a ver os macaquinhos de Koshima com Brillant-Savarin? Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, RS, v. 07, n. 16, p. 145-156. dez. 2001. Disponível em: <http://goo.gl/la511B>. Acesso em: 29 abr. 2016. ISSN 1806-9983.

MINTZ, Sidney. Comida e antropologia. Uma breve revisão. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, SP, v.16, n. 47, p. 31-41. out. 2001. Disponível em: <http://goo.gl/yZMWzj>. Acesso em: 29 abr. 2016. ISSN 1806-9053.

POLLAK, Michael. Memória e identidade social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, RJ, v. 05, n. 10, p. 200-212. 1992. Disponível em: <http://goo.gl/g1vItF>. Acesso em: 29 abr. 2016. ISSN 2178-1494.

SANTO AGOSTINHO. Confissões. Livros VII, X e XI. Lisboa, 2001. Disponível em: <http://goo.gl/TwA08>. Acesso em: 22 fev. 2016.

SANTOS, Miriam Oliveira; ZANINI, Maria Catarina. Comida e simbolismo entre imigrantes italianos no Rio Grande do Sul (Brasil). Caderno Espaço Feminino, Uberlândia, MG, v. 19, n. 01, p. 255-285. jan./jul. 2008. Disponível em: <http://goo.gl/1SES1T>. Acesso em: 29 abr. 2016. ISSN 1981-3082.

SANTOS, Carlos Roberto Antunes dos. O Império Macdonald e a mcdonalização da sociedade: alimentação, cultura e poder. Anais eletrônicos... In: SEMINÁRIO FACETAS DO IMPÉRIO NA HISTÓRIA, Curitiba, PR, 2006. Disponível em: <http://goo.gl/y82N99>. Acesso em: 04 abr. 2015.

SIMMEL, Georg. Sociologia da refeição. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, RJ, n. 33, p. 159-166, jan./jun. 2004. Disponível em: <http://goo.gl/5vigKt>. Acesso em: 29 abr. 2016. ISSN 2178-1494.

TARDIF, Maurice; RAYMOND, Danielle. Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 21, n. 73, p. 209-244. dez. 2000. Disponível em: <http://goo.gl/i2d1L>. Acesso em: 29 abr. 2016. ISSN 1678-4626.

WOORTMANN, Klass. A comida, a família e a construção do gênero feminino”. Dados, São Paulo, SP, v. 29, n. 01, p. 103-130. 1986. Disponível em: <http://goo.gl/TkQN16>. Acesso em: 20 de abr. 2015.

Downloads

Publicado

2016-08-30

Como Citar

BOGADO, A. M.; FREITAS, D. de. A reconstrução de memórias da alimentação na formação inicial de professores de ciências: um reencontro com saberes, sabores, aromas e afetos. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 18, n. 3, p. 670–689, 2016. DOI: 10.20396/etd.v18i3.8645410. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8645410. Acesso em: 17 set. 2021.