A leitura em dispositivos digitais móveis

Palavras-chave: Mobile learning. Leitura. Ensino. Telefone celular.

Resumo

A presença das novas tecnologias digitais de informação e comunicação (NTDIC) na sociedade contemporânea é um fato indubitável. Vivenciamos o desenvolvimento e o firmamento cada vez mais amplo da cultura digital. As telas digitais vêm reconfigurar as relações com a informação e respectivamente com processos de ensino e aprendizagem. O fenômeno da leitura passa a ocorrer agora também em outros suportes, como os próprios dispositivos móveis digitais, concretizando práticas de multiletramentos e trazendo novos comportamentos sociais que refletem na formação de leitores. Este artigo encontra-se ancorado na pesquisa realizada com uma turma de acadêmicos do curso de graduação de Licenciatura em Letras de uma Universidade Federal, com metodologia de caráter participante e com abordagem qualitativa, apresenta o objetivo de analisar a viabilidade da leitura em dispositivos móveis digitais, com foco no telefone celular, a partir dos resultados apresentados. As práticas de ensino observadas, com viés de participação e construção coletiva, reconhecem valores em processos multidisciplinares relacionados a mobile learning, assim como demonstram que a leitura no suporte móvel telefone celular é uma recorrência passível de relevantes apontamentos pedagógicos e observações diversas no campo das linguagens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julio Cesar Oliveira Bernardo, Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Licenciado em Letras. Especialista em ensino de língua portuguesa. Mestre em educação.
Acir Mario Karwoski, Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Licenciado em Letras. Mestre em Linguistica Aplicada. Doutor em letras - Estudos Linguísticos. Professor adjunto no curso de Letras da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) em Uberaba - MG. Pós-Doutor em Educação.

Referências

ADAMI, E.; KRESS, G. The social semiotics of convergent mobile devices: new forms of composition and the transformation of habitus. In: KRESS, G. Multimodality: a social semiotic approach to contemporary communication. London: Routledge, 2010. P. 184-197.

ANATEL. Telefonia móvel: acessos. 2015. Disponível em: http://www.anatel.gov.br/dados/index.php?option=com_content&view=article&id=270. Acesso em: 20 dez. 2015.

ANDRÉ, M. E. D. A. Etnografia da prática escolar. 14. ed. Campinas: Papirus, 2008.

BERNARDO, J.C.O. Leitura em dispositivos móveis digitais na formação inicial de professores. 2015. 138 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, 2015.

CARR, N. A geração superficial: o que a internet está fazendo com os nossos cérebros. Tradução de Mônica Gagliotti Fortunato Friaça. Rio de Janeiro: Agir, 2011.

COSTA, G. S. Mobile learning: Explorando potencialidades com o uso do celular no ensino-aprendizagem de língua inglesa como língua estrangeira com alunos da escola pública. 2013. 201 f. Tese (Doutorado em Linguística) - Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Pernambuco, Recife, 2013.

GABRIEL, M. Educ@r: a (r)evolução digital na educação. São Paulo: Saraiva, 2013.

GALVÃO, E. C. F.; PÜSCHEL, V. A. A. Aplicativo multimídia em plataforma móvel para o ensino da mensuração da pressão venosa central. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 8, p. 107-115, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v46nspe/16.pdf. Acesso em: 21 dez. 2015.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

ITU. ICT: facts e figures. Disponível em: http://www.itu.int/en/ITU-D/Statistics/Documents/facts/ICTFactsFigures2015.pdf. Acesso em: 24 dez. 2015.

KEARSLEY, G. Educação on-line: aprendendo e ensinando. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

LAKATOS, M. E.; MARCONI, M. A. Metodologia do trabalho científico. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

LEITE, B. S. M-Learning: o uso de dispositivos móveis como ferramenta didática no Ensino de Química. Revista Brasileira de Informática na Educação. v. 22, n. 3, 2014, p. 55-68.

MANGEN, A.; KUIKEN, D. Lost in the iPad: narrative engagement on paper and tablet. 2014. Disponível em: https://stavanger.academia.edu/AnneMangen. Acesso em: 27 dez. 2015.

MARTIN, L. S. N. Entre a apropriação e a proibição: trânsito dos dispositivos móveis em escolas públicas. 2014. 145 f. Dissertação (Mestrado em Processos Educativos, Linguagem e Tecnologias) – Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Educação, Linguagem e Tecnologias, Universidade do Estado de Goiás, Anápolis, 2014.

PINHEIRO, R. C.; RODRIGUES, M. L. O uso do celular como recurso pedagógico nas aulas de Língua Portuguesa. Revista Philologus, Ano 18, n. 52. Rio de Janeiro: CiFEFiL, Jan./Abr., 2012, p. 122 – 133.

POLLARA, P. Mobile learning in higher education: a glimpse and a comparison of student and faculty readiness, attitudes and perceptions. 2011. 153 f. Tese (Doutorado em Filosofia) – Lousiana State University, Lousiana, USA, 2011. Disponível em: http://etd.lsu.edu/docs/ava

ilable/etd-11042011-105812/unrestricted/PollaraFinalDissertation.pdf. Acesso em: 27 dez. 2015.

PRENSKY, M. What can you learn from a cell phone? Almost anything! 2004. Disponível em: http://thinkingmachine.pbworks.com/f/Prensky-What_Can_You_Learn_From_a_Cell_Phone-FINAL.pdf. Acesso em: 20 dez. 2015

PRIBERAM. Rolezinho. 2015. In: Dicionário Priberam da Língua Portuguesa. 2015. Disponível em: http://www.priberam.pt/dlpo/rolezinho. Acesso em: 27 dez. 2015.

RIBEIRO, A. E. F. Letramento digital: um tema em gêneros efêmeros. Revista ABRALIN, Belém, v. 8, n. 1, p. 15-38, jan./jun. 2009. Disponível em: http://www.abralin.org/revista/RV8N1/ANA.pdf. Acesso em: 26 dez. 2015.

SANTAELLA, L. Desafios da ubiquidade para a educação: novas mídias e o ensino superior. Revista Ensino Superior UNICAMP, Campinas, 2013. Disponível em: http://www.revistaensinosuperior.gr.unicamp.br/edicoes/edicoes/ed09_abril2013/NMES_1.pdf. Acesso em: 19 dez. 2015.

THE NEW LONDON GROUP. A pedagogy of multiliteracies: designing social futures. The Harvard educational review, v. 1, n. 66, p. 60-92, 1996. Disponível em: http://www.static.kern.org/filer/blogWrite44ManilaWebsite/paul/articles/A_Pedagogy_of_Multiliteracies_Designing_Social_Futures.htm. Acesso em: 23 dez. 2015.

UNESCO. Policy guidelines for mobile learning. 2013. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0021/002196/219641e.pdf. Acesso em: 23 dez. 2015.

UNESCO. Activando el aprendizage móvil en América Latina: iniciativas ilustrativas e implicaciones políticas. 2012a. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0021/002160/216080s.pdf. Acesso em: 24 dez. 2015.

UNESCO. Turning on mobile learning in Asia: illustrative initiatives and policy implications. 2012b. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0021/002162/216283E.pdf. Acesso em: 22 dez. 2015.

VILAÇA, M. L. C. Pesquisa e ensino: considerações e reflexões, “e-scrita”. Revista do Curso de Letras da UNIABEU, Nilópolis, v. 1, n. 2, maio/ago. 2010.

Publicado
2017-10-06
Como Citar
Bernardo, J. C. O., & Karwoski, A. M. (2017). A leitura em dispositivos digitais móveis. ETD - Educação Temática Digital, 19(4), 795-807. https://doi.org/10.20396/etd.v19i4.8646355