A relação entre sistemas de compensação e motivação: um estudo na Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Autores

  • Degson Ferreira Universidade Federal do Tocantins
  • Tara Keshar Nanda Baidya Universidade do Grande Rio
  • Angilberto Sabino de Freitas Universidade do Grande Rio

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v20i1.8646436

Palavras-chave:

Sistemas de recompensas. Características dos sistemas de recompensas. Motivação Extrínseca. Motivação intrínseca. Universidade Federal do Tocantins.

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo avaliar de que forma um sistema de compensação (remuneração e promoção) exerce influência na motivação dos colaboradores docentes da Universidade Federal do Tocantins (UFT). Para tanto, sistematiza-se um referencial teórico acerca dos aspectos que envolvem a motivação das pessoas, bem como aqueles relacionados às características dos sistemas de recompensas das organizações. A perspectiva de investigação nesta pesquisa é quantitativa de cunho descritivo, adotando-se como procedimento metodológico a realização de uma survey com 290 docentes. Assim, como instrumento de coleta de dados, utilizou-se da aplicação de questionários estruturados. A análise e interpretação dos dados, realizadas com o uso de estatísticas descritivas como a análise múltipla de regressão, permitem destacar que a transparência das oportunidades de progressão e a equidade do sistema de remuneração são variáveis que exercem um efeito positivo estatisticamente significativo tanto na motivação extrínseca quanto na motivação intrínseca dos docentes da UFT. Entre as variáveis independentes que não afetam de forma significativa estatisticamente nenhuma das variáveis dependentes estão transparência do sistema de remuneração e a controlabilidade das oportunidades de progressão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Degson Ferreira, Universidade Federal do Tocantins

Doutorando em Administração pela Universidade do Grande Rio - UNIGRANRIO; Professor efetivo Adjunto I do curso de Logística da Universidade Federal do Tocantins - UFT

Tara Keshar Nanda Baidya, Universidade do Grande Rio

Doutor em Administração de Empresas pela University of California, Berkeley, Estados Unidos (1982); Professor do Doutorado em Administração da Universidade do Grande Rio.

Angilberto Sabino de Freitas, Universidade do Grande Rio

Doutor em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Brasil (2009); Professor do Doutorado em Administração da Universidade do Grande Rio.

Referências

ALBUQUERQUE, Lindolfo Galvão de. Estratégia de recursos humanos e competitividade. In: VIEIRA, Marcelo Milano Falcão; OLIVEIRA, Lúcia Maria Barbosa de (Org.). Administração contemporânea: perspectivas e estratégias. São Paulo: Atlas, 1999.

ALVES, Thiago; PINTO, José Marcelino de Rezende. Remuneração e características do trabalho docente no Brasil: um aporte. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v.41, n. 143, p. 606-639, maio/ago., 2011. Disponível em:

http://www.scielo.br/pdf/cp/v41n143/a14v41 n143.pdf. Acesso em: 03 jan. 2016.

BÉNABOU, Roland; TIROLE, Jean. Intrinsic and extrinsic motivation. Review of Economic Studies, v. 70, n. 3, p. 489-520, 2003.Disponível em:

https://www.princeton.edu/~rbenabou /papers/RES2003.pdf. Acesso em: 04 jan. 2016.

BERGAMINI, Cecília Whitaker. Avaliação de desempenho humano na empresa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1992.

BERGAMINI, Cecília Whitaker. Motivação nas organizações. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

BOHLANDER, George; SNELL, Scott.Administração de recursos humanos.14 ed. São Paulo: Cengage Learning, 2009.

BRYMAN, Alan. Quantity and quality in social research. New York: Routledge, 2004.

CÂMARA, Pedro B. Os sistemas de recompensas e a gestão estratégica de recursos humanos. 3. ed. Porto: Dom Quixote, 2011.

CARDOSO, Maurício Farias; CARDOSO, Janice de Freitas; SANTOS, Simone Rodrigues dos. O impacto da rotatividade e do absenteísmo de pessoal sobre o custo do produto: um estudo em uma indústria gaúcha. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, Salvador, v. 3, n. 1, p. 107-121, jan./abr., 2013. Disponível em: http://www.revistas.uneb.br/index. php/financ/article/view/210. Acesso em: 13 fev. 2016.

CASTRO, Alfredo Pires de. Liderança motivacional: como desenvolver pessoas e organizações, através do coaching e da motivação. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2008.

CAVALCANTI, Vera Lucia et al.. Liderança e motivação. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino. Metodologia científica. 4. ed. São Paulo: Makron Books, 2002.

CHIANG, Flora T.; BIRTCH, Thomas A. An empirical examination of reward preferences within and across national settings. Management International Review, v. 46, n. 5, p. 573-596, 2006.Disponível em: http://link.springer.com/article/10.1007/s11575-006-0116-4. Acesso em: 14 fev. 2016.

DAVIS, Keith; NEWSTROM, John. Comportamento humano no trabalho. São Paulo: Pioneira, 1998.

DECI, Edward L.The effects of contingent and non contingent rewards and controls on intrinsic motivation. Organizational Behavior and Human Performance, v. 8, p. 217–229, 1972.Disponível em:

http://selfdeterminationtheory.org/SDT/documents/1972_Deci_OBHP.pdf.Acesso em: 16 fev. 2016.

DECI, Edward L.; RYAN, Richard M.. The “what” and “why” of goal pursuits: human needs and self-determination of behavior. Psychological Inquiry, v 11, n 4, p. 227-268, 2000. Disponível em:

http://users.ugent.be/~wbeyers/scripties2011/artikels/Deci&Ryan_2000. pdf. Acesso em: 06 mar. 2016.

DÖRNYEI, Zoltán. Motivation in action: towards a process-oriented conceptualisation of student motivation. British Journal of Educational Psychology, v. 70, p. 519-538, 2000.Disponível em: http://www.zoltandornyei.co.uk/uploads/2000-dornyei-bjep.pdf. Acesso em: 09 mar. 2016.

DUARTE, Adriana; MELO, Savana Diniz Gomes.Qualidade da educação e política de remuneração docente: quais as implicações dessa relação? Revista Educação em Questão, Natal, v. 46, n. 32, p. 202-225, mai./ago., 2013. Disponível em:

https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/download/5128/4106. Acesso em: 15 abr. 2016.

DURBIN, James R.; WATSON, Geoffrey S. Testing for serial correlation in least squares regression II. Biometrika, v. 38, n. 1-2, p. 159-178, 1951. Disponível em:

http://www. saramitchell.org/tsafall2011.pdf. Acesso em: 07 mar. 2016.

DUTRA, Joel Souza. Gestão de pessoas: modelo, processos, tendências e perspectivas. São Paulo: Atlas, 2002.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Miniaurélio século XXI: o minidicionário da língua portuguesa. 5. ed. Revista e ampliada. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

FIELD, Andy. Descobrindo a estatística usando o SPSS. Tradução: Lorí Viali. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FRANÇA, Ana Cristina Limongi. Práticas de recursos humanos: conceitos, ferramentas e procedimentos. 1. ed. 3. reimpr. São Paulo: Atlas, 2009.

FREY, Bruno S.; JEGEN, Reto. Motivation crowding theory: a survey of empirical evidence. Journal of Economic Surveys, v. 15, n 5, p. 589-611, 2001.Disponível em:

ftp://ster. kuleuven.ac.be/incoming/eva/iewwp049.pdf Acesso em: 12 abr. 2016.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GOMES, Dione Fagundes Nunes; AMORIM, Maria Cristina Sanches. Liderança e programas de recompensas: limites e possibilidades. Revista de Negócios, Blumenau, v. 13, n. 3, p. 26-36, jul./set., 2008. Disponível em:

http://proxy.furb.br/ojs/index.php/rn/article/viewFile/771/868 Acesso em: 18 mai. 2016

HARRIS, Michael. Human resource management. San Diego: The Dryden, 1997.

HELLRIEGEL, Don; SLOCUM JR., John W. Organizational behavior. 10 ed. Mason OH: South-Western, 2004.

JESSUP, Gilbert e Helen. Seleção e avaliação no trabalho. Rio de Janeiro: Zahar, 1977.

KAST, Fremont E.; ROSENZWEIG, James E. Organization and management: a systems approach. Tóquio: McGraw-Hill Kogakusha, 1970.

KIDDER, Louise H. et al. Métodos de pesquisa nas relações sociais. 2. ed. São Paulo: EPU, 1987.

KÖCHE, José Carlos. Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e iniciação à pesquisa. 20. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

LEITE, Francisco Tarciso. Metodologia científica: iniciação à pesquisa científica, métodos e técnicas de pesquisa, metodologia da pesquisa e do trabalho científico (monografias, dissertações, teses e livros). Fortaleza: Universidade de Fortaleza, 2004.

MALHOTRA, Naresh K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 6 ed. Porto Alegre: Bookman, 2012.

MARRAS, Jean Pierre. Administração de recursos humanos: do operacional ao estratégico. 14. ed. São Paulo: Saraiva, 2011.

MARRAS, Jean Pierre. Administração de recursos humanos: do operacional ao estratégico. 3. ed. São Paulo: Futura, 2000.

MEDEIROS, Rochele Kaline Reis de; ALVES, Rafaela da Cunha; RIBEIRO, Sidney Roberto S. Turnover: uma análise dos fatores que contribuem para a decisão de sair da empresa dos colaboradores da Alfa Comércio Ltda. Revista Científica da Escola de Gestão e Negócios (Connexio), v. 2, n. 1, p. 115-126, 2012. Disponível em:

https://repositorio.unp. br/index.php/connexio/article/view/222. Acesso em: 23 mai. 2016.

MENARD, Scott W..Applied logistic regression analysis. Sage universisty paper series on quantitative applications in the social sciences. Thousand Oaks (CA): Sage, p. 7-106, 2002.

MEYERS, Raymond H. Classical and modern regression with applications. Boston (MA): Duxbury Press, 1990.

MILES, Raymond E. Theories of management: implications of organizational behavior and development. Tokyo: McGraw-Hill, 1975.

MITCHELL, Terence R. Motivation: new direction for theory, research and practice. Academy of Management Review, v. 7, n. 1, p. 80-88, 1982. Disponível em:

http://www. jstor.org/stable/257251?origin=crossref&seq=1#page_scan_tab_contents. Acesso em: 12 abr. 2016.

PETRI, Herbert L. Motivation: theory, research and applications. Pacific Grove, CA: Brooks/Cole Publishing Company, 1996.

RICHARDSON, Roberto Jarryet al. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

SALGADO, Léo. Motivação no trabalho. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2005.

STONER, James; FREEMAN, Edward. Administração. 5. ed. Rio de Janeiro: Prentice Hall do Brasil, 1985.

TAMAYO, Alvaro; PASCHOAL, Tatiane. A relação da motivação para o trabalho com as metas do trabalhador. Revista de Administração Contemporânea (RAC),v. 7, n. 4, p. 33-54, out./dez., 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rac/v7n4/v7n4a03.pdf. Acesso em: 13 abr. 2016.

VAN HERPEN, Martinus Franciscus Marcellis. Pay, promotions, and performance: essays on personnel economics. 2007, 187 f. Tese (Doutorado em Economia). Universidade de Groningen, 2007.

VIEIRA, Lívia Fraga; OLIVEIRA, Tiago Grama. As condições do trabalho docente na educação infantil no Brasil: alguns resultados de pesquisa (2002-2012). Revista Educação em Questão, Natal, v. 46, n. 32, p. 131-154, maio/ago., 2013. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/download/5125/4103. Acesso em: 20 jul. 2016.

VIEIRA, Lívia Maria Fraga; SOUZA, Gizele de. Trabalho e emprego na educação infantil no Brasil: segmentações e desigualdades. Educar em Revista (Número Especial), Curitiba, n. 1, p. 119-139, 2010. Disponível em:

http://www.gestrado.net.br/images/publicacoes/14 /Artigo5.pdf. Acesso em: 21 jul. 2016.

WOOD JR., Thomas; PICARELLI FILHO, Vicente. Remuneração estratégica: a nova vantagem competitiva. São Paulo: Atlas, 1999.

Downloads

Publicado

2018-01-15

Como Citar

FERREIRA, D.; BAIDYA, T. K. N.; FREITAS, A. S. de. A relação entre sistemas de compensação e motivação: um estudo na Universidade Federal do Tocantins (UFT). ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 20, n. 1, p. 27–48, 2018. DOI: 10.20396/etd.v20i1.8646436. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8646436. Acesso em: 7 dez. 2021.