Banner Portal
“Ocupa 1º de maio”: ciberdemocracia, cuidado de si e sociabilidade na escola
PDF
PDF

Palavras-chave

Ocupações. Escola pública. Ciberdemocracia. Cuidado de si.

Como Citar

RATTO, C. G.; GRESPAN, C. L.; HADLER, O. H. “Ocupa 1º de maio”: ciberdemocracia, cuidado de si e sociabilidade na escola. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 19, n. 1, p. 99–118, 2017. DOI: 10.20396/etd.v19i1.8647733. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8647733. Acesso em: 1 mar. 2024.

Resumo

O presente artigo tem por objetivo analisar as ocupações das escolas estaduais pelos estudantes do Rio Grande do Sul que ocorreram nos meses de maio e junho de 2016. Tomamos como materialidade analítica a ocupação da Escola Estadual Normal 1º de Maio, localizada na zona norte de Porto Alegre, utilizando os conceitos “ciberdemocracia” de Pierre Lévy e “cuidado de si” de Michel Foucault e o pressuposto que estas mobilizações podem representar uma reativação do movimento estudantil e um novo uso do espaço público. As ocupações no Estado seguiram, em maior ou menor grau, as ocorridas em São Paulo, Rio de Janeiro e Goiás, tanto nas reivindicações contra a privatização do ensino público, da limitação da prática docente ou/e na busca por melhorias de infraestrutura, quanto no formato de organização, um movimento autônomo, autogerido, onde os próprios estudantes realizam o trabalho necessário para o surgimento e consolidação da ocupação e na forma de mobilização através do uso de redes sociais virtuais. A mobilização através da ocupação potencializa o estar junto, visibilizando a necessidade da participação cotidiana para a construção da ação coletiva, através da reapropriação do espaço escolar, da horizontalidade nas interações, do protagonismo, das fruições culturais e do reconhecimento do outro.

https://doi.org/10.20396/etd.v19i1.8647733
PDF
PDF

Referências

AZAMBUJA, Marcos A.; GUARESCHI, Neuza M.F. Devir vírus. Revista do Departamen-to de Psicologia - UFF 19, nº 2, p. 439-454. 2007.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

BUTLER, Judith. O que é a crítica? Um ensaio sobre a virtude de Foucault. Tradução: G. Dalaqua. Cadernos de Ética e Filosofia Política 22, pp. 159-179. FFLCH: USP. 2013.

CAIAFA, Janice. Nosso Século XXI: Notas sobre Arte, Técnica e Poderes. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2000.

CASTELLS, Manuel. A Era da Informação: Economia, Sociedade e Cultura. Vol. 1. A Sociedade em Rede, Ed. Paz e Terra S.A, 1999.

CASTELLS, Manuel. Redes de indignação e esperança. São Paulo: Zahar, 2013.

COSTA, Rogério. Por um novo conceito de comunidade: redes sociais, comunidades pesso-ais, inteligência coletiva. Interface (Botucatu) 9. 17, pp. 235-248. 2005.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Vol.I. São Paulo: Ed.34, 1995.

DERRIDA, Jacques. Filosofia em tempo de terror. Diálogos com Habermas e Derrida. In: Giovanna Borradori (Org.) Rio de Janeiro: Jorge Zahar editor, 2003.

FOUCAULT, Michel. A escrita de si. In: O que é um autor?. Lisboa: Passagens. p. 129-160. 1992.

FOUCAULT, Michel. A Psicologia de 1850 a 1950. (Ditos e Escritos I - Problematização do sujeito: psicologia, psiquiatria e psicanálise, p.133-151. Rio de Janeiro: Forense Universitária. 2002.

FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos V: Ética, Sexualidade, Política. Manuel B. Motta (Org.). 2ªed. Rio de Janeiro: Forense Universitária. 2006.

FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos III: Estética – Literatura e Pintura, Música e Ci-nema. Manuel B. Motta (Org.). 2ªed. Rio de Janeiro: Forense Universitária. 2009.

FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito – Curso no Collège de France (1981-1982). São Paulo: Martins Fontes. 3ªed. 2010.

FOUCAULT, Michel. Do governo dos vivos – Curso no Collège de France (1979-1980). Nildo Avelino (Org.). 2ªed. Rio de Janeiro: Achiamé. 2011.

GUATTARI, Félix. Caosmose: um novo paradigma estético. Tradução Ana Lúcia de Oliveira e Lúcia Cláudia Leão. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

GOHN, Maria da Glória. Teorias dos Movimentos Sociais: Paradigmas Clássicos e Con-temporâneos. São Paulo. Edições Loyola, 1997.

GOHN, Maria da Glória.. Movimentos Sociais na Contemporaneidade. Revista Brasileira de Educação. v.16. n. 47. maio/ago. Minas Gerais. 2011. p. 333-351. Disponível em: www.scielo.br/pdf/rbedu/v16n47/v16n47a05.pdf. Acesso em 01/09/2016.

GOHN, Maria da Glória. Sociologia dos Movimentos Sociais. 2. ed. São Paulo: Cortez Edi-tora, 2014.

HARDT, Michael; NEGRI, Antonio. Multidão: guerra e democracia na era do Império. Rio de Janeiro: Record. 2005.

HART, Keith. Notes towards an anthropology of the internet. Horizonte Antropológico 10, n.21. Porto Alegre. 2004.

LEMOS, André; LÉVY, Pierre. O Futuro da internet: em direção a uma ciberdemocracia planetária. São Paulo: Paulos. 2010. 258 p.

MAFFESOLI, Michel. O tempo retorna: formas elementares da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Tradução: Eliane Lisboa. 4ª. ed. Porto Alegre: Sulina, 2011. 120 p.

MOTA, Saulo T. Individualismo Conectado: governo de si e dos outros nas redes sociais. Dissertação de Mestrado em Comunicação e Semiótica. Universidade Católica de São Paulo, São Paulo. 2012.

RALEIRAS, Mónica S. C. Identidade, Internet e Subjectivação: os sites de redes sociais. Dissertação de Mestrado em Ciências da Educação. PPG Tecnologias Educativas. Faculdade de Lisboa, Portugal. 2009.

RENA, Alemar. O comum, a comunidade e a comunicação; entre Jean-Luc Nancy, Michael Hardt e Antonio Negri. Revista Lugar Comum 45. Rede Universidade Nômade 2015.

ROMÃO-DIAS, Daniela. Nossa Plural Realidade: um Estudo sobre a Subjetividade na Era da Internet. Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 2001

ROSADO, Luiz A. S.; TOMÉ, Vitor M. Nabais. As redes sociais na internet e suas apropria-ções por jovens brasileiros e portugueses em idade escolar. Rev. Bras. Estudos Pedagógi-cos 96 no.242. Brasília. 2015.

SANTAELLA, Lucia. A aprendizagem ubíqua substitui a educação formal? ReCeT: Revista de Computação e Tecnologia PUCSP 2, n. 1, p. 17-22, 2010.

SANTAELLA, Lucia. Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo. 4. ed. São Paulo: Paulus, 2004.

SILVA, Marco. Sala de Aula Interativa. Rio de Janeiro: Quartet. 3ª ed. 2002. 220 p.

SCHERER-WARREN, Ilse. A política dos movimentos sociais para o mundo rural. Estudos, Sociedade e Agricultura. Vol. 15. nº 1.. Rio de Janeiro. 2007 p. 5-22. Disponível em: http://r1.ufrrj.br/esa/V2/ojs/index.php/esa/article/view/280. Acesso em 15/08/2016.

A ETD - Educação Temática Digital utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.