Banner Portal
OCUPATUDORS: socialização política entre jovens estudantes nas ocupações de escolas no Rio Grande do Sul
PDF

Palavras-chave

Ocupações. Socialização política. Movimento social. Juventude.

Como Citar

SEVERO, R. G.; SEGUNDO, M. A. C. S. OCUPATUDORS: socialização política entre jovens estudantes nas ocupações de escolas no Rio Grande do Sul. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 19, n. 1, p. 73–98, 2017. DOI: 10.20396/etd.v19i1.8647792. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8647792. Acesso em: 5 mar. 2024.

Resumo

O artigo analisa as ocupações realizadas nas escolas do estado do Rio Grande do Sul, no ano de 2016, e tem por objetivo identificar quais são as variáveis significativas para a construção do processo de socialização política dos estudantes envolvidos. A pesquisa foi realizada nos municípios de Pelotas e Rio Grande, mediante realização de nove grupos de discussão com estudantes que fizeram parte das ocupações, além da aplicação de cinquenta e seis questionários semiestruturados. Verificou-se que o processo de socialização política contém dimensões estratégicas da ação dos estudantes, os quais são observados nos processos de interação com outras categorias da rede de apoio, fundamentais para a manutenção das ocupações, assim como a identificação de um antagonista responsável pela situação da educação: nesse caso, o governo executivo estadual. Ainda, a constituição do agir político baseia-se na busca por autonomia e pela apresentação de pauta material e simbólica, sendo possível concluir, dessa forma, que o processo de ocupação é produzido numa lógica pautada pela auto-organização, aspecto demonstrado pela realização das oficinas e limpeza dos ambientes. Ademais, durante as ocupações e, como resultado final, foi perceptível um processo de apropriação da capacidade de agência desses estudantes e compreensão consciente do ambiente escolar como público, gerando sentimento de responsabilidade pelo mesmo.

https://doi.org/10.20396/etd.v19i1.8647792
PDF

Referências

AGENDA Juventude Brasil: pesquisa nacional sobre perfil e opinião dos jovens brasileiros 2013. Brasília, DF: Secretaria Nacional da Juventude, 2013.

BERGER, Peter L.; LUCKMANN, Thomas. A construção social da realidade. Petrópolis: Vozes, 2002.

CAMPOS, Antonia M., MEDEIROS, Jonas e RIBEIRO, Mário M. Escolas de luta. São Paulo: Veneta, 2016.

CASTELLS, Robert. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da internet. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

DELLA PORTA, Donatella e DIANI, Mario. Social movements: an introduction. USA: Blackwell, 2006.

DIANI, Mario. The concept of social movement. Sociological Review, Keele, Reino Unido, n. 40, 1992.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GRANOVETTER, Mark S. The Strength of weak ties. The American Journal of Sociology, v. 78, nº 6, p. 1360-1380, may, 1973.

JASPER, James M. Protesto: uma introdução aos movimentos sociais. Rio de Janeiro: Zahar, 2016.

MANNHEIM, Karl; MERTON, Robert K; MILLS, C. Wright. Sociologia do conhecimento. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

MANNHEIM, Karl. Sociologia do conhecimento. Volume II. Portugal: RÉS, 1986.

MANNHEIM, Karl. Sociologia da cultura. São Paulo: Perspectiva, 2013.

MCADAM, Doug. Recruitment to hig-risk activism: the case of Freedom Summer. The American Journal of Sociology, v. 92, n. 1, p. 64-90, jul. 1986.

MCADAM, Doug e PAULSEN, Ronnelle. Specifying the relationship between social ties and activism. The American Journal of Sociology, v. 99, n. 3, p. 640-667, nov. 1993.

MCADAM, Doug, TARROW, Sidney e TILLY, Charles. Para mapear o confronto político. Lua Nova, São Paulo, n.76, p. 11-48, 2009.

MCADAM, Doug, TARROW, Sidney e TILLY, CHARLES. Dynamics of contention. New York: Cambridge Univ., 2001.

MCADAM, Doug e TARROW, Sidney. Ballots and Barricades: on the reciprocal relationship between elections and social movements. Perspective on Politics, v. 8, n. 02, jun. 2010.

PASSY, Florence. Socialization, Recruitment, and the Structure/Agency Gap. A specification of the impact of Networks on Participation in Social Movements. Abril, 2000. Disponível em: http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.518.3532& rep=rep1&type=pdf

PASSY, Florence. Social Networks Matter. But How? In: DIANI, Mario e MCADAM, Doug. Social movements analysis: the network perspective. New York: Oxford Univ., 2003.

PETROVIC, Igor; STEKELENBURG, Jacquelien van; KLANDERMANS, Bert. Political Socialization and social movements: escaping the political past? 2013. Disponível em: https://www.academia.edu/5020037/Political_socialization_and_social_movements._Escaping_the_political_past

SOUSA, Janice Tirelli Ponte de. A experiência contemporânea da política entre jovens do sul do Brasil. Buenos Aires: CLACSO, 2014.

STRAUSS, Anselm e CORBIN, Juliet. Pesquisa qualitativa: técnicas e procedimentos para o desenvolvimento da teoria fundamentada. Porto Alegre: Artmed, 2008.

STEKELENBURG, Jacquelien Van e KLANDERMANS, Bert. The social psychology of protest. Sociopedia.isa, 2010. Disponível em: http://www.surrey.ac.uk/politics/research/

researchareasofstaff/isppsummeracademy/instructors/Social%20Psychology%20of%20Protest,%20Van%20Stekelenburg%20%26%20Klandermans.pdf

TARROW, Sidney. O poder em movimento: movimentos sociais e conflito político. Petrópolis: Vozes, 2009.

TILLY, Charles. Democracia. Petrópolis: Vozes, 2013.

WELLER, Wivian e PFAFF, Nicolle. Metodologias da pesquisa qualitativa em Educação. Petrópolis: Vozes, 2013.

A ETD - Educação Temática Digital utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.