OCUPATUDORS: socialização política entre jovens estudantes nas ocupações de escolas no Rio Grande do Sul

Autores

  • Ricardo Gonçalves Severo Universidade Federal do Rio Grande http://orcid.org/0000-0001-8413-7159
  • Mario Augusto Correia San Segundo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v19i1.8647792

Palavras-chave:

Ocupações. Socialização política. Movimento social. Juventude.

Resumo

O artigo analisa as ocupações realizadas nas escolas do estado do Rio Grande do Sul, no ano de 2016, e tem por objetivo identificar quais são as variáveis significativas para a construção do processo de socialização política dos estudantes envolvidos. A pesquisa foi realizada nos municípios de Pelotas e Rio Grande, mediante realização de nove grupos de discussão com estudantes que fizeram parte das ocupações, além da aplicação de cinquenta e seis questionários semiestruturados. Verificou-se que o processo de socialização política contém dimensões estratégicas da ação dos estudantes, os quais são observados nos processos de interação com outras categorias da rede de apoio, fundamentais para a manutenção das ocupações, assim como a identificação de um antagonista responsável pela situação da educação: nesse caso, o governo executivo estadual. Ainda, a constituição do agir político baseia-se na busca por autonomia e pela apresentação de pauta material e simbólica, sendo possível concluir, dessa forma, que o processo de ocupação é produzido numa lógica pautada pela auto-organização, aspecto demonstrado pela realização das oficinas e limpeza dos ambientes. Ademais, durante as ocupações e, como resultado final, foi perceptível um processo de apropriação da capacidade de agência desses estudantes e compreensão consciente do ambiente escolar como público, gerando sentimento de responsabilidade pelo mesmo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Gonçalves Severo, Universidade Federal do Rio Grande

Professor Adjunto da Universidade Federal do Rio Grande (FURG). Doutor em Ciências Sociais (PUCRS)

Mario Augusto Correia San Segundo, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Professor do IFRS - Viamão. Doutorando em Educação - UFRGS.

Referências

AGENDA Juventude Brasil: pesquisa nacional sobre perfil e opinião dos jovens brasileiros 2013. Brasília, DF: Secretaria Nacional da Juventude, 2013.

BERGER, Peter L.; LUCKMANN, Thomas. A construção social da realidade. Petrópolis: Vozes, 2002.

CAMPOS, Antonia M., MEDEIROS, Jonas e RIBEIRO, Mário M. Escolas de luta. São Paulo: Veneta, 2016.

CASTELLS, Robert. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da internet. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

DELLA PORTA, Donatella e DIANI, Mario. Social movements: an introduction. USA: Blackwell, 2006.

DIANI, Mario. The concept of social movement. Sociological Review, Keele, Reino Unido, n. 40, 1992.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GRANOVETTER, Mark S. The Strength of weak ties. The American Journal of Sociology, v. 78, nº 6, p. 1360-1380, may, 1973.

JASPER, James M. Protesto: uma introdução aos movimentos sociais. Rio de Janeiro: Zahar, 2016.

MANNHEIM, Karl; MERTON, Robert K; MILLS, C. Wright. Sociologia do conhecimento. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

MANNHEIM, Karl. Sociologia do conhecimento. Volume II. Portugal: RÉS, 1986.

MANNHEIM, Karl. Sociologia da cultura. São Paulo: Perspectiva, 2013.

MCADAM, Doug. Recruitment to hig-risk activism: the case of Freedom Summer. The American Journal of Sociology, v. 92, n. 1, p. 64-90, jul. 1986.

MCADAM, Doug e PAULSEN, Ronnelle. Specifying the relationship between social ties and activism. The American Journal of Sociology, v. 99, n. 3, p. 640-667, nov. 1993.

MCADAM, Doug, TARROW, Sidney e TILLY, Charles. Para mapear o confronto político. Lua Nova, São Paulo, n.76, p. 11-48, 2009.

MCADAM, Doug, TARROW, Sidney e TILLY, CHARLES. Dynamics of contention. New York: Cambridge Univ., 2001.

MCADAM, Doug e TARROW, Sidney. Ballots and Barricades: on the reciprocal relationship between elections and social movements. Perspective on Politics, v. 8, n. 02, jun. 2010.

PASSY, Florence. Socialization, Recruitment, and the Structure/Agency Gap. A specification of the impact of Networks on Participation in Social Movements. Abril, 2000. Disponível em: http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.518.3532& rep=rep1&type=pdf

PASSY, Florence. Social Networks Matter. But How? In: DIANI, Mario e MCADAM, Doug. Social movements analysis: the network perspective. New York: Oxford Univ., 2003.

PETROVIC, Igor; STEKELENBURG, Jacquelien van; KLANDERMANS, Bert. Political Socialization and social movements: escaping the political past? 2013. Disponível em: https://www.academia.edu/5020037/Political_socialization_and_social_movements._Escaping_the_political_past

SOUSA, Janice Tirelli Ponte de. A experiência contemporânea da política entre jovens do sul do Brasil. Buenos Aires: CLACSO, 2014.

STRAUSS, Anselm e CORBIN, Juliet. Pesquisa qualitativa: técnicas e procedimentos para o desenvolvimento da teoria fundamentada. Porto Alegre: Artmed, 2008.

STEKELENBURG, Jacquelien Van e KLANDERMANS, Bert. The social psychology of protest. Sociopedia.isa, 2010. Disponível em: http://www.surrey.ac.uk/politics/research/

researchareasofstaff/isppsummeracademy/instructors/Social%20Psychology%20of%20Protest,%20Van%20Stekelenburg%20%26%20Klandermans.pdf

TARROW, Sidney. O poder em movimento: movimentos sociais e conflito político. Petrópolis: Vozes, 2009.

TILLY, Charles. Democracia. Petrópolis: Vozes, 2013.

WELLER, Wivian e PFAFF, Nicolle. Metodologias da pesquisa qualitativa em Educação. Petrópolis: Vozes, 2013.

Downloads

Publicado

2017-03-11

Como Citar

Severo, R. G., & Segundo, M. A. C. S. (2017). OCUPATUDORS: socialização política entre jovens estudantes nas ocupações de escolas no Rio Grande do Sul. ETD - Educação Temática Digital, 19(1), 73–98. https://doi.org/10.20396/etd.v19i1.8647792