Em tempos de escola sem partido, perguntemo-nos: qual a função da educação em uma sociedade? o que cabe à escola e ao professor?

  • Ester Maria Dreher Heuser Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Palavras-chave: Hanna Arendt. Educação. Escola. Escola sem partido.

Resumo

Em tempos de “Escola sem Partido”, o artigo aproveita a oportunidade para ocupar-se das seguintes questões: qual a função da educação em uma sociedade? O que cabe à escola e ao professor? Apresentam-se algumas respostas possíveis a partir do pensamento de Hannah Arendt, filósofa que desenvolveu uma noção conservadora de educação e desvinculada da política, porque, dentre outras razões, para ela, as batalhas políticas, que só dizem respeito aos adultos, os já educados, não podem ser travadas nos pátios das escolas, esse espaço de acolhida aos recém chegados que carregam em si uma novidade absoluta. Com esse fundo teórico, permeado pela discussão do Projeto de Lei “Escola sem Partido”, o artigo defende que a educação é direito inalienável e que nós, professores, pela importância civilizatória e cultural de nossa tarefa, somos peças-chave para o desenvolvimento do país e da humanidade, bem como para a continuidade do mundo, que insiste em sair dos gonzos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ester Maria Dreher Heuser, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Professora no Curso de Filosofia (Licenciatura, Mestrado e Doutorado) da UNIOESTE, Centro de Ciências Sociais e Humanas. Tutora do Programa de Educação Tutorial de Filosofia, PET-Filosofia (2016-2019), MEC/FNDE. Graduada em Filosofia e Mestre em Educação nas Ciências pela UNIJUÍ e Doutora em Educação pela UFRGS. 

Referências

ARENDT, Hannah. A crise na educação. In.: POMBO, Olga (org. e tradutora). Quatro textos excêntricos. Lisboa: Relógio d’água, 2000.

ARENDT, Hannah. Reflexões sobre Little Rock. In.: Responsabilidade e julgamento. São Paulo, Companhia das letras, 2004.

BRASIL. Senado Federal. Projeto de Lei PL 193/2016. Inclui entre as diretrizes e bases da educação nacional, de que trata a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, o “Programa Escola sem Partido”. http://www.senado.leg.br/atividade/rotinas/materia/getPDF.asp?t=192259&tp=1. Acesso em 29 de nov. de 2016.

CORAZZA, Sandra Mara. Didática da tradução, transcriação do currículo (uma escrileitura da diferença). In.: Pro-Posições, v. 26, nº 1, jan./abr. 2015, p. 105-122. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73072015000100105&lng=pt&nrm=iso&tlng=en. acesso em 29 de ago. 2015.

CORAZZA, Sandra Mara. O que se transcria em educação? Porto Alegre: UFRGS, 2013.

HEUSER, Ester Maria Dreher. Para pensar a educação em meio à Arendt e Bergson: da conservação ao direito à fabulação. In.: FÁVERO, Altair Alberto; CASAGRANDA, Edison Alencar (org). Leituras sobre Hannah Arendt: educação, filosofia e política. Campinas: Mercado de Letras, 2012.

HEUSER, Ester Maria Dreher. Filosofia na escola e a imprescindível experiência da solidão. In.: TOMAZETTI, Elisete M. (org). Ensino de filosofia: experiências, problematizações, perspectivas. Curitiba: Appris, 2015.

MOREIRA, Armindo. Professor não é educador. Brasil: EDESIO, 2013.

GUERREZI, Evânio Márlon. Estado e resistência: Deleuze, Guattari e a distopia do real, 2015, 159 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) Programa de Pós-graduação em Filosofia, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Toledo, 2015.

VERÍSSIMO, Érico. Ana Terra. Porto Alegre: Globo, 1974.

Publicado
2017-03-11
Como Citar
Heuser, E. M. D. (2017). Em tempos de escola sem partido, perguntemo-nos: qual a função da educação em uma sociedade? o que cabe à escola e ao professor?. ETD - Educação Temática Digital, 19, 206-216. https://doi.org/10.20396/etd.v19i0.8647814