Escrileituras tradutórias: reinvenção empírica do arquivo

  • Maria Idalina Krause de Campos Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Fabiane Olegário Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Sandra Mara Corazza Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Escrileituras. Educação. Tradução. Arquivo.

Resumo

Este artigo busca pensar o arquivo como um plano de pensamento aberto a ações tradutórias em educação. Toma a tradução de um texto de partida atravessado por movimentos-fluxos como via de escrileituras que promovem a reinvenção empírica de dados e que se tornam uma potência afirmadora no campo da educação. Nesse processo, o educador-tradutor é tomado por uma força intensiva que faz variar o existente, passando a produzir novas conexões imaginativas que se cruzam e se atualizam em ações experimentais atravessadas por elementos filosóficos, científicos, artísticos e literários. Tais encontros possibilitam práticas afirmativas da docência, visto que o educador-tradutor não se limita a reproduzir os conhecimentos originais, pois, à medida que traduz, atribui novos e múltiplos sentidos ao próprio texto de partida e por esse meio passa a expressar e a construir novas realidades articuladas com uma poética de escrita. Sendo assim, o conhecimento contido em um determinado arquivo torna-se possibilidade de invenção e de ficção, porque se constitui como um suporte gerativo e didático para novos saberes que são experimentados cotidianamente no ensino e na educação contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Idalina Krause de Campos, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Doutorado em Educação - Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) - Porto Alegre, RS - Brasil. Professor colaborador - Universidade Federal do Rio Grande do Sul , Brasil
Fabiane Olegário, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Doutorado em Educação - Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) -  Porto Alegre, RS -  Brasil. Professora Assistente da Universidade do Vale do Taquari (UNIVATES) - Lajeado, RS - Brasil
Sandra Mara Corazza, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutorado em Educação - Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) -  Porto Alegre, RS - Brasil.
Professor Titular - Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) -  Porto Alegre, RS - Brasil

Referências

ADÓ, Máximo Daniel L; CAMPOS, Maria Idalina Krause de; CORAZZA, Sandra Mara. Conhecimento como invenção: Paul Válery no ensino da educação contemporânea. Educação por escrito. Porto Alegre: v.6, n.1, jan./jun. 2015. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/porescrito/article/view/17787/12796. Acesso em: 20 jun. 2017.

BARTHES, Roland. A preparação do romance II: a obra como vontade: notas de curso no Collège de France 1979-1980. Tradução Leyla Perrone-Móises. São Paulo: Martins Fontes, 2005. 475 p. ISBN 85-336-2200-7.

BARTHES, Roland. O rumor da língua. 3. ed. Tradução Mário Laranjeira. São Paulo: Martins Fontes, 2012. 462 p. ISBN 978-85-7827-498-6.

BIRMAN, Joel. O arquivo e o mal de arquivo: uma leitura de Derrida de Freud. Revista Natureza Humana, v.10, n.1, 2008. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/nh/v10n1/v10n1a05.pdf . Acesso em: 20 jun. 2017.

CAMPOS, Haroldo de. Deus e o diabo no Fausto de Goethe. São Paulo: Perspectiva, 2008. 209 p. ISBN 978-85-273-0450-4.

CAMPOS, Haroldo de. Haroldo de Campos – Transcriação. São Paulo: Perspectiva, 2013. 256 p. ISBN: 978-85-273-0985-1.

CORAZZA, Sandra Mara. O que se transcria em educação? Porto Alegre: UFRGS; Doisa, 2013. 228 p. ISBN 978-85-66308-03-7.

CORAZZA, Sandra Mara. Didática da Tradução, Transcriação do Currículo: Escrileituras da Diferença. Projeto de Pesquisa (Produtividade), apresentado ao CNPq em janeiro de 2015. 41p. (Texto digitalizado)

CORAZZA, Sandra Mara. Dramatização do infantil na comédia intelectual do currículo: método Valéry-Deleuze. Projeto de Pesquisa (Produtividade), apresentado ao CNPq em agosto de 2010. 91p. (Texto Digitalizado)

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. Tradução Luiz B. L. Orlandi e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 1988.499 p.

DELEUZE, Gilles. Foucault. Tradução Claudia Sant’Anna Martins. São Paulo: Brasilense, 2005. 142 p. ISBN 85-11-12050-5

DELEUZE, Gilles. Conversações. Tradução Peter Pál Pelbart. 3. ed. São Paulo: Ed. 34, 2013. 240 p. ISBN 978-85-85490-04-1

DELEUZE, Gilles; PARNET, Claire. Diálogos. Tradução Eloisa Araújo Ribeiro. São Paulo: Escuta, 1998.179p. ISBN: 85-7137-127

DERRIDA, Jacques. Mal de arquivo: uma impressão freudiana. Tradução Claudia de Moraes Rego. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001. 130 p. ISBN 978-85-7316-247-9

DINARTE, Luiz Daniel Rodrigues. Congresso dos Signais. Didática filosófica do gesto. 2016. Proposta de Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

FARGE, Arlete. O sabor do arquivo. Tradução Fátima Murad. São Paulo: Ed. USP, 2009. 120 p. ISBN 978-85-314-1167-0

FONSECA, Tania Maria Galli. Vidas do Fora e a escrileitura de um mundo incontável. In: COSTA, Luciano Bedin da.; FONSECA, Tania Maria Galli Vidas do fora: habitantes do silêncio. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2010. 383 p.

HUXLEY, Aldous Leonard. As portas da percepção e, céu e inferno. Tradução Osvaldo de Araujo Souza. 10.ed. Rio de Janeiro: Globo, 1981. 116 p. ISBN 615.78830924

OLIVEIRA, Marcos Rocha. Método da dramatização da aula: o que é a pedagogia, a didática, o currículo. 2014. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

PAZ, Octavio. Tradução, literatura e literalidade. Edição bilíngue. Tradução Doralice Alves de Queiroz. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2009. Disponível em: http://150.164.100.248/vivavoz/data1/arquivos/traducao2ed-site.pdf. Acesso em: 20 jun. 2017.

TADEU, Tomaz; CORAZZA, Sandra Mara; ZORDAN, Paola. Linhas de escrita. Belo Horizonte: Autêntica, 2004. 206 p. ISBN 85-7526-125-8

TAVARES, Gonçalo. Breves notas sobre a ciência; breves notas sobre o medo; breves notas sobre as ligações. Relógio D’ Água, 2012. 298 p. ISBN 978-989-641-332-3

VALÉRY, Paul. Variations sur les Bucoliques. Traduction en vers des Bucoliques de Virgile. Paris: NRF, 1955. 154 p.

VALÉRY, Paul. Cahiers. Paris: Gallimard, 1977. 320 p. ISBN 2070296466.

VALÉRY, Paul. Variedades. Trad. Maiza Martins de Siqueira. São Paulo: Iluminuras, 2011. 83 p. ISBN 85-7321-234-9.

Publicado
2018-10-14
Como Citar
Campos, M. I. K. de, Olegário, F., & Corazza, S. M. (2018). Escrileituras tradutórias: reinvenção empírica do arquivo. ETD - Educação Temática Digital, 20(4), 963-978. https://doi.org/10.20396/etd.v20i4.8649842