A produção conjunta dos pactos de trabalho em educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v20i2.8650685

Palavras-chave:

Educação. Política pública educacional. Medicalização. Direitos humanos. Escola justa.

Resumo

Introdução: O Núcleo de apoio e acompanhamento para aprendizagem (Naapa) é serviço criado pela Prefeitura Municipal de São Paulo. Este trabalho objetiva analisar as contribuições do processo formativo das equipes para a produção de práticas democráticas no âmbito da Educação, observando dois níveis de incidência que se inter-relacionam: gestão participativa; apoio ao processo de escolarização. Para cumprir tal objetivo, a discussão foi organizada em três momentos: a) apresentação de marcos regulatórios e panorama de debates sobre a relação Saúde-Educação; b) sistematização das concepções que orientaram tanto o processo formativo em serviço quanto as modalidades de atendimento ofertadas; c) análise dos resultados do processo formativo, tendo em vista duas dimensões (gestão participativa do trabalho educacional, apoio ao processo de escolarização de pessoas que vivem em condições de alta vulnerabilidade social). Método: Dois são os eixos de análise propostos neste trabalho: a gestão participativa do trabalho educacional; o apoio ao processo de escolarização de pessoas que vivem em condições de alta vulnerabilidade social. Resultados: Após análise, pode-se afirmar que as informações quanti-qualitativas apresentadas indicam a grande abrangência das diferentes modalidades de atendimento, com interações tanto junto às unidades educacionais, quanto aos equipamentos referentes a outras políticas setoriais e que permitem a articulação da rede de proteção social. Conclusões: É possível afirmar que o Naapa se consolidou como política pública estratégica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Biancha Angelucci, Universidade de São Paulo

Professora da graduação nas áreas de Educação especial e Sociologia da Educação do Departamento de Filosofia da Educação e Ciências da Educação. Docente da pós graduação na linha de pesquisa em Educação Especial na área de concentração Educação e CIências Sociais - desigualdades e diferenças. Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. Brasil

Adriana Watanabe, Secretaria Municipal de Educação de São Paulo

É licenciada em Pedagogia (1996), possui mestrado em Educação pela Universidade São Paulo - USP (2009) e doutorado em Educação: Currículo pela Pontifícia Universidade Católica -PUCSP (2016). Profissional da carreira do magistério, da classe gestora como coordenadora pedagógica na Rede Municipal de Ensino de São Paulo. Possui experiência nos temas: currículo, alfabetização, gestão escolar e educacional, políticas públicas, intersetorialidade, formação docente e (des)medicalização da educação.

Renata Montrezol Brandstatter, Secretaria Municipal de Educação de São Paulo

Possui graduação em Psicologia e Pedagogia. Participa de grupos de estudo em Psicanálise desde 2009. Profissional da carreira do magistério da Rede Municipal de Ensino de São Paulo e atualmente trabalha como Assistente Técnico de Educação na Secretaria Municipal de Educação, no Núcleo de Apoio e Acompanhamento para Aprendizagem-NAAPA. Tem experiência nas áreas de Psicologia e Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: prática pedagógica e educativa, gestão escolar, formação continuada, psicologia escolar, saúde mental e educação, despatologização e desmedicalização.

Referências

ANTUNES, Mitsuko A. M. Psicologia escolar e educacional: história, compromissos e perspectivas. Cad. Psicopedag., São Paulo, v. 6, n. 11, 2007. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-10492007000100008&lng=pt&nrm=iso . Acesso em: 02 out. 2017.

ARROYO, Miguel G. Imagens quebradas: trajetória e tempos de alunos e mestres. Petrópolis/ Rio de Janeiro: Vozes. 2011.

COLLARES, Cecília A.L.; MOYSÉS, Maria Aparecida A.; RIBEIRO, Mônica C. F. Novas capturas, antigos diagnósticos na era dos transtornos. Campinas, Mercado de Letras, 2013.

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA, GRUPO INTERINSTITUCIONAL QUEIXA ESCOLAR (Org.). Medicalização de crianças e adolescentes – conflitos silenciados pela redução de questões sociais a doenças de indivíduos. São Paulo: Casa do Psicólogo. 2010.

DUBET, F. A escola e a Exclusão. Cadernos de Pesquisa, n. 119, p. 29-45, jul. 2003. Disponível em: http://acrux.astro.ufsc.br/~lacerda/EED5187/04_-_Dubet_-_A_escola_e_a_exclusao.pdf . Acesso em: 02 fev. 2017.

DUBET, F. O que é uma escola justa? Cadernos de Pesquisa, v. 34, n. 123, set./dez. 2004. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-15742004000300002&script=sci_abstract&tlng=pt Acesso em 02 fev. 2017.

ESTEBAN, Maria Teresa. Muitos começos para muitas histórias. In: MOYSÉS, Maria Aparecida A.; COLLARES, Cecília A. L.; RIBEIRO, Mônica C. F. Novas capturas, antigos diagnósticos na Era dos Transtornos. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2013.

ESTEBAN, Maria Teresa. A negação do direito à diferença no cotidiano escolar. Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, v. 19, n. 2, p. 463-486, jul. 2014.

GIMENO SACRISTÁN, José; PÉREZ GÓMEZ, Angel I. Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre: Artmed, 1998.

GIMENO SACRISTAN, J. O Currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: Artmed, 2000.

GIMENO SACRISTAN, J. Poderes instáveis em Educação. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

GIMENO SACRISTAN, J. A cultura para os sujeitos ou os sujeitos para a cultura? O mapa mutante dos conteúdos na escolaridade. In: GIMENO SACRISTAN, José. Poderes instáveis na educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

GUARESCHI, Neuza; M.F.; REIS, Carolina; HUNING, Simone M.; BERTUZZI, Leticia D. Intervenção na condição de vulnerabilidade social: um estudo sobre a produção de sentidos com adolescentes do programa do trabalho educativo. Estudos e pesquisas em psicologia, Uerj, RJ, Ano 7, N. 1, 1º semestre de 2007. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/epp/v7n1/v7n1a03.pdf. Acesso em: 01 out 2017.

MOYSÉS, Maria Aparecida A.; COLLARES, Cecília A. L.. Medicalização: o obscurantismo reinventado. In: COLLARES, Cecília A. L.; MOYSÉS, Maria Aparecida A.; RIBEIRO, Mônica C. F. (Org.). Novas capturas, antigos diagnósticos na era dos transtornos. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2013.

MOYSÉS, Maria Aparecida A.; COLLARES, Cecília A. L. Medicalização: o obscurantismo reinventado. In: COLLARES, Cecília A. L.; MOYSÉS, Maria Aparecida A.; RIBEIRO, Mônica C. F (Org.). Novas capturas, antigos diagnósticos na era dos transtornos. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2013.

PONCE, Branca Jurema. O Tempo no Mundo Contemporâneo: o tempo escolar e a justiça curricular. Educ. Real. Porto Alegre, v. 41, n. 4, p. 1141-1160, dez. 2016. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-62362016000401141&lng=pt&nrm=iso . Acesso em 01 out. 2017.

SÃO PAULO (SP). Secretaria do Governo Municipal. Lei Nº 15.719, de 24 de abril de 2013. Dispõe sobre a implantação de assistência psicopedagógica em toda a Rede Municipal de Ensino, com o objetivo de diagnosticar, intervir e prevenir problemas de aprendizagem tendo como enfoque o educando e as instituições de Educação Infantil e Ensino Fundamental.

SÃO PAULO (SP). Secretaria do Governo Municipal. Lei Nº 15.960, de 8 de janeiro de 2014. Institui o Serviço de Assistência Psicológica ao Estudante na rede municipal de ensino, e dá outras providências.

SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Diretoria de Orientação Técnica. Programa Mais Educação São Paulo: subsídios para a implantação. Implantação do Programa Mais Educação São Paulo São Paulo: SME/DOT, 2014. Disponível em: https://causosescolares.files.wordpress.com/2015/08/subsc3addios-1-subsc3addios-para-a-implantac3a7c3a3o.pdf Acesso em: 20 jan. 2016.

SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Coordenadoria Pedagógica. Núcleo de Apoio e Acompanhamento para Aprendizagem Caderno de debates do Naapa: orientações normativas. – São Paulo: SME/Coped, 2016(a). Disponível em: http://portal.sme.prefeitura.sp.gov.br/Portals/1/Files/35122.pdf . Acesso em: 27 set.2017.

SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Agir com a escola: revisitar, ressignificar, avaliar, replanejar. São Paulo: SME/DOT, 2016(b).

SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Coordenadoria Pedagógica. Núcleo de Apoio e Acompanhamento para Aprendizagem Caderno de debates do Naapa: questões do cotidiano escolar. – São Paulo: SME/Coped, 2016(c). Disponível em: http://portal.sme.prefeitura.sp.gov.br/Main/Noticia/Visualizar/PortalSMESP/NAAPA-lanca-o-seu-primeiro-Caderno-de-Debates Acesso em: 27 set. 2017.

SOUZA, Marilene P. R de. A atuação do psicólogo na rede pública de educação: concepções, práticas e desafios. 2010. 258 f. Tese (Livre docência) – Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

SOUZA, Marilene P. R. de; GOMES, Aline M. M.; CHECCHIA, Ana Karina A.; LARA, Juliana S. de A.; ROMAN, Marcelo D. Psicólogos em secretarias de educação paulistas: concepções e práticas. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 20, n. 3, p. 601-610, dez. 2016. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-85572016000300601&lng=pt&nrm=iso . Acesso em: 01 out. 2017.

VIÉGAS, Lygia de S.; ANGELUCCI, Carla B. Políticas públicas em educação: uma análise crítica a partir da Psicologia Escolar. São Paulo: Casa do Psicólogo. 2006.

Downloads

Publicado

2018-04-11

Como Citar

Angelucci, C. B., Watanabe, A., & Brandstatter, R. M. (2018). A produção conjunta dos pactos de trabalho em educação. ETD - Educação Temática Digital, 20(2), 475–494. https://doi.org/10.20396/etd.v20i2.8650685