Políticas da reversibilidade: extensões e opressões da justiça escolar

  • Bruno Dionísio Universidade Nova de Lisboa
Palavras-chave: Políticas públicas em educação. Inclusão educacional. Justiça educacional. Eficácia da escola.

Resumo

Os estudos extensivos que denunciam a persistência de indicadores de desigualdade, injustiça ou exclusão educativa nem sempre dão conta das rotinas escolares mais ou menos invisíveis, dolorosas ou insuportáveis que procuram revertê-los. Este texto mapeia um conjunto de dispositivos existentes em escolas públicas cuja missão é trabalhar na reversibilidade dos problemas educativos. Eles ilustram as extensões da justiça escolar a novas esferas de intervenção (orientar, cuidar, proteger) que têm na ideia de vulnerabilidade o motor da ação pública. Alicerçados em instrumentos de medida da eficácia, esses dispositivos metamorfoseiam o trabalho docente e as modalidades de governação escolar, condicionando o modo como os atores educativos se envolvem e qualificam as situações. Os sentimentos de opressão provocados pelo imperativo político de uma inclusão eficaz testam, enfim, os limites da reversibilidade, da justiça escolar e das possibilidades de fabricação de um mundo escolar comum. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Dionísio, Universidade Nova de Lisboa
Doutorado em Sociologia, especialidade em Sociologia da Educação, pela Universidade Nova de Lisboa (2010). Professor Convidado da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Bolsista de pós-doutorado da Fundação para a Ciência e a tecnologia.

Referências

BARRÈRE, Anne. Un nouvel âge du désordre scolaire : les enseignants face aux incidents. Déviance et Société, v. 26, n. 202/1, p. 3- 19.

BREVIGLIERI, Marc. L’insupportable. L’excès de proximité, l’atteinte à l’autonomie et le sentiment de violation du privé. In : BREVIGLIERI, TROM e LAFAYE. Les compétences critiques et sens de justice. Paris: Economica, 2009.

BRODIEZ-DOLINO, Axelle. La vulnérabilité, nouvelle catégorie de l’action publique. Informations Sociales, n° 188, 2015/2, p. 10-18.

CORRÊA, Diogo Silva, DIAS, Rodrigo de Castro. A crítica e os momentos críticos: De la justification e a guinada pragmática na sociologia francesa. MANA, v. 22, n.1, 2016, p. 67-99.

DEROUET, Jean-Louis. L’école dans plusieurs mondes. Bruxelas: De Boeck Université, 2000.

DIONÍSIO, Bruno. O psicólogo na escola e a escola no psicólogo: interrogações preliminares de um tema de pesquisa. In: VIEIRA, Maria Manuel (Org.). Escola, jovens e media. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2007. p. 95-108.

DIONÍSIO, Bruno. A gramática do projecto de vida nas políticas de orientação escolar e profissional. In: RESENDE, José, MARTINS, Alexandre, DIONÍSIO, Bruno, GOMES, Catarina, CAETANO, Pedro (Orgs.). Pluralidades públicas do público? Controvérsias em educação, saúde e nos modos de ser solidário. Portalegre: Coleção C3I (1), Instituto Politécnico de Portalegre, 2011. p. 139-152.

DIONÍSIO, Bruno. O que os orientadores fazem com os alunos? O trabalho de preparação das competências para uma carreira de escolhas. In: VIEIRA, Maria Manuel (Org.). O Futuro em Aberto. Lisboa: Mundos Sociais, 2015, p. 131-156.

DIONÍSIO, Bruno. Escola plural no singular: arquitetura de uma agenda de investigação. In: RESENDE, José; DIONÍSIO, Bruno; CAETANO, Pedro; ALVES, João; CALHA, António (Orgs.). As Artes de (re)fazer o mundo: habitar, compor e ordenar a vida em sociedade. Portalegre, Coleção C3I (7), Edição do Instituto Politécnico de Portalegre, 2016, p. 307-316.

DUBET, François. Le déclin de l’institution. Paris: Seuil, 2002.

DUBET, François. L’école des chances. Qu’est-ce qu’une école juste? Paris: Seuil, 2004.

DUBET, François ; DURU-BELLAT , Marie ; VÉRÉTOUT, Antoine. Les sociétés et leur école. Emprise du diplôme et cohésion sociale. Paris: Seuil, 2010.

DUBET, François. La préférence pour l’inégalité. Comprendre la crise des solidarités. Paris : Seuil, 2014.

DURU-BELLAT, Marie. Le mérite contre la justice. Paris: Presses des Scieces Po, 2009.

FERREIRA, Isabel, TEIXEIRA, Ana Rita. Caraterização genérica dos agrupamentos de escolas estudados. In: LOPES, João Teixeira (Coord.). Escolas Singulares – Estudos Locais Comparativos. Porto: Afrontamento, 2012. p. 29-70.

FRASER, Nancy. Qu’est-ce que la justice sociale. Reconnaissance et redistribution. Paris: La Découverte, 2005.

LANTHEAUME, Françoise. Mal-estar docente ou crise do ofício? Quando o ‘belo trabalho’ desaparece e é preciso ‘trabalhar de corpo e alma’. Fórum Sociológico, n. 15/16, 2ª série, 2006, p. 141-156.

LOPES, João Teixeira (Coord.). Escolas Singulares – Estudos Locais Comparativos. Porto: Afrontamento, 2012.

LOPES, João Teixeira. A intrínseca ambiguidade da educação compensatória. Jornal de Sociologia da Educação, n. 0, maio 2017, p. 1-10. Disponível em: https://jornalsocedu.files.wordpress.com/2017/05/a-intrc3adnseca-ambiguidade-da-educac3a7c3a3o-compensatc3b3ria1.pdf

MARTUCCELLI, Danilo. Forgé par l’épreuve. L’individu dans la France contemporaine. Paris: Armand Colin, 2006.

MARTUCCELLI, Danilo. L’égalité à l’épreuve du singularisme (1-2). Vacarme, 43. Disponível em : http://www.vacarme.org/article1555.html

MARTUCCELLI, Danilo. La société singulariste. Paris: Armand Colin, 2010.

MELO, Maria Benedita Portugal. A (des)ordem escolar nos TEIP: o papel dos gabinetes de apoio. In: LOPES, João Teixeira (coord.). Escolas Singulares – Estudos Locais Comparativos. Porto: Afrontamento, 2012, p. 71-82.

NORMAND, Romuald. La mesure de l’école : de la tradition statistique à la modernité économétrique. Éducation et Sociétés, n. 16, 2005/2, p. 209-226.

RESENDE, José Manuel. A sociedade contra a escola? A socialização política escolar num contexto de incerteza. Lisboa: Instituto Piaget, 2010.

RESENDE, José; CAETANO, Pedro; DIONÍSIO, Bruno. Das experiências de desqualificação das pessoas à precariedade dos laços entre os seres que habitam o mundo escolar. Dilemas – Revista de Estudos de Conflito e Controle Social, v. 7, n. 1, 2014, p. 11-38.

RESENDE, José; DIONÍSIO, Bruno. Itinerários à luz da Sociologia Pragmática: o que os lugares comuns trazem à comunalidade escolar. Terceiro Milênio – Revista Crítica de Sociologia e Política, v. 6, n.1, p. 198-235, jan./jun., 2016,

RESENDE, José Manuel. Hoje a folha de excel é que manda? As outras faces das desigualdades na educação. In: SETTON, Maria da Graça Jacintho (Org.). Mérito, desigualdades e diferenças: cenários de (in) justiça escolar Brasil e Portugal. São Paulo: Annablume, 2017, p. 55-75.

SEABRA, Teresa (Coord.), et al. Escolas que fazem melhor: o sucesso escolar dos alunos descendentes de imigrantes na escola básica. Relatório Final. FCT/CIES-IUL, Agosto, 2014. Disponível em:

http://cies.iscte-iul.pt/np4/?newsId=474&fileName=relat_riofinalcompleto26nov2014.pdf

SOULET, Marc-Henry. Vulnérabilité et enfance en danger. Quel rapport ? Quels apports ?. In: ONED, Vulnérabilités, identification des risques et protection de l’enfance. Nouveaux éclairages et regards croisés. Paris : La Documentation française, 2014, p. 128-139.

THÉVENOT, Laurent. The plurality of cognitive formats and engagements. Moving between the familiar and the public. European Journal of Social Theory, v. 10, n.1, p. 409-423, 2007.

THÉVENOT, Laurent. Autorités à l’épreuve de la critique. Jusqu’aux oppressions du ‘gouvernement par l’objectif’. In. FRÈRE, Bruno (Dir.). Le tournant de la théorie critique. Paris : Descléede Brouwer, 2014, p. 269-292.

VIEIRA, Maria Manuel. Late modernity and multiple modernities: representations of education in Portuguese schools. In: RESENDE, José; VIEIRA, Maria Manuel (Eds.). The school at the frontiers of modernity. Newcastel: Cambridge Scholars, 2006, p. 137-157.

VIEIRA, Maria Manuel. Incerteza e individuação: escolarização como processo de construção biográfica. Sociologia: Revista do Departamento de Sociologia da FLUP, v. 20, p. 265-280, 2010.

VIEIRA, Maria Manuel; DIONÍSIO, Bruno. O trabalho e o lugar dos profissionais do social em escolas TEIP. In: LOPES, João Teixeira (Org.). Escolas Singulares – Estudos Locais Comparativos. Porto: Afrontamento, 2012, p. 83-98.

Publicado
2018-04-11
Como Citar
Dionísio, B. (2018). Políticas da reversibilidade: extensões e opressões da justiça escolar. ETD - Educação Temática Digital, 20(2), 455-474. https://doi.org/10.20396/etd.v20i2.8650903