Das conexões entre cultura digital e educação

pensando a condição digital na sociedade contemporânea

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v22i2.8654547

Palavras-chave:

Cultura digital, Condição digital, Educação

Resumo

A Cultura Digital emerge das diversas práticas sociais que vão incorporando as tecnologias digitais ao cotidiano. Inscrita no campo dos Estudos Culturais de uma vertente pós-estruturalista, esta pesquisa exploratória e de natureza bibliográfica investiga as conexões entre Cultura Digital e Educação, tendo como argumento a presença de uma Condição Digital na sociedade contemporânea. Assim, dois movimentos de investigação se interligam, sendo o primeiro uma apresentação do conceito de Cultura e Condição Digital, e o segundo uma análise dos contornos e deslocamentos no conceito de Educação, não somente como elemento de instrução escolar e ensino, mas enquanto processo de formação que direciona as condutas dos sujeitos. O referencial teórico tem apoio nas discussões de Gere (2008), Lister at, al (2009), Stalder (2018), Bauman (2008, 2009, 2010), Foucault (1995, 1998, 2008), entre outros. Os resultados apontam uma Condição Digital e uma Educação ao estilo expresso, individualizada, operada na mobilidade e ubiquidade dos artefatos digitais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandro Faccin Bortolazzo, Western Sydney University

Pesquisador Visitante na Western Sydney University (Bolsista de Pós-Doutorado) pelo Instituto de Cultura e Sociedade. Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Pesquisador Colaborador pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, RS - Brasil. 

Referências

ALTHUSSER, Louis. Ideology and ideological state apparatuses. In: ALTHUSSER, Louis. (Ed.), Lenin and philosophy and other essays. New York: Monthly Review, 1971.

BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1997.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Trad. Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BAUMAN, Zygmunt. A sociedade individualizada: vidas contadas e histórias vividas. Trad. José Gradei. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2008.

BAUMAN, Zygmunt. Tempos líquidos. Trad. Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2009.

BAUMAN, Zygmunt. Legisladores e intérpretes. Trad. Renato Aguiar. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2010.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. Trad. Roneide Venâncio e Jussara Simões. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

COSTA, Marisa Vorraber. Estudos culturais e educação – um panorama. In: SILVEIRA, Rosa M. H. (Org.). Cultura, poder e educação: um debate sobre os estudos culturais em educação. Canoas: ULBRA, 2005, p.107-120.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 1987.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1995.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. Trad. Laura F. A. Sampaio. Campinas: Loyola, 1998.

FOUCAULT, Michel. Nascimento da biopolítica. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

GERE, Richard. Digital culture. London: Reaktion Books, 2008.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999. v.1

HALL, Stuart. The work of representation. In: HALL, Stuart (Org.) Representation: cultural representations and signifying practices. London: Sage, 1997.

HARAWAY, Donna. Manifesto Ciborgue. Ciência, tecnologia e feminismo-socialista no final do século XX. In: TADEU, Tomaz T. (Org.) Antropologia do Ciborgue. As vertigens do pós-humano. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

DERRIDA, Jacques. A escritura e a diferença. São Paulo: Perspectiva, 1995.

DERRIDA, Jacques; ROUDINESCO, Elisabeth. De que amanhã... Diálogo. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2004.

KRISTEVA, Julia. Sèméiotikè: recherches pour une sémanalyse. Paris: Seuil, 1969.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. Trad. Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Editora 34, 1999.

LISTER, Martin; DOVEY, Jon; GIDDINGS, Seth; GRANT, Iain; KELLY, Kieran. New media: a critical introduction. New York: Routledge, 2009.

LYOTARD, Jean-François. A condição pós-moderna. Rio de Janeiro: José Olympio, 2000.

MANOVICH, Lev. The language of new media. Cambridge, MA: MIT Press, 2001.

McLUHAN, Marshall. Os meios de comunicação como extensões do homem. Trad. Décio Pignatari. São Paulo: Cultrix, 1970.

PEIRCE, Charles Sanders. Semiótica. São Paulo: Perspectiva, 2000.

POSTER, Mark. Information Please: Culture and politics in the age of digital machines. Durham, N.C.; London: Duke Univ., 2006.

RIFKIN, Jeremy. The age of access: the new culture of hypercapitalism, where all of life is a paid-for experience. New York: J.P. Tarcher/Putnam, 2000.

ROSE, Nikolas. Governando a alma: a formação do eu privado. In: SILVA, Tomaz T. (Org.) Liberdades reguladas. Petrópolis: Vozes, 1998.

SAUSSURE, Ferdinand. Curso de linguística geral. 26. ed. Tradução de Antônio Chelini, José Paulo Paes e Izidoro Blikstein. São Paulo: Cultrix,1990.

STALDER, Felix. 2018. The digital condition. Cambridge: Polity, 2018.

WIENER, Norbert. Cibernética e sociedade. São Paulo: Cultrix, 1954.

WILLIAMS, Raymond. Technology and cultural form. Londres: Shocker Books, 1975.

Downloads

Publicado

2020-04-14

Como Citar

BORTOLAZZO, S. F. Das conexões entre cultura digital e educação: pensando a condição digital na sociedade contemporânea. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 22, n. 2, p. 369–388, 2020. DOI: 10.20396/etd.v22i2.8654547. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8654547. Acesso em: 4 dez. 2021.