Banner Portal
A disputa de Nietzsche com Sócrates e seus efeitos para a educação
PDF

Palavras-chave

Agonismo
Nietzsche
Educação
Sócrates

Como Citar

HARDT, Lúcia Schneider. A disputa de Nietzsche com Sócrates e seus efeitos para a educação. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 24, n. 2, p. 316–334, 2022. DOI: 10.20396/etd.v24i2.8659807. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8659807. Acesso em: 28 maio. 2024.

Resumo

O artigo debruça-se sobre a filosofia dos antagonismos de Nietzsche para buscar suas repercussões formativas considerando a arte, ciência e a educação. O modelo agonístico presente na obra de Nietzsche é tomado como definidor para as apreciações das sutilezas dos embates filosóficos, especialmente a disputa com Sócrates. Na dinâmica da disputa, a potência do elogio, da crítica e também de uma autocrítica. Este solo filosófico conecta-se com o solo pedagógico, fazendo surgir métodos de análise e de prática que configuram uma possível educação agônica. Nestes termos, a disputa educativa resgata uma vitalidade por meio do método genealógico que visa discutir invenção, descoberta, explicação e interpretação considerando o arranjo dos conceitos para contestar sua imutabilidade ontológica e gerar nova orientação em termos epistemológicos. Mostrar disposição em pensar com Nietzsche, sem necessariamente abandonar Sócrates, implicaria refletir sobre como o excesso de fixidez instaurada por nossas invenções pedagógicas têm impedido descobertas mais robustas para fazer acontecer outra educação.  Será necessário antes questionar o valor da verdade que ainda reina entre nós para levar às últimas consequências o projeto nietzschiano de transvaloração de todos os valores.

https://doi.org/10.20396/etd.v24i2.8659807
PDF

Referências

ACAMPORA, Christa Davis Acampora. As disputas de Nietzsche. Florianópolis: Editora da UFSC, 2018.

BARROS, Roberto de Almeida Pereira de. Perspectivismo e interpretação na filosofia nietzschiana. Cad. Nietzsche, Guarulhos/Porto Seguro, v.39, n.1, p. 54-92, jan./abr., 2018

FONSECA, Ana Carolina da Costa. Os dois sentidos da crítica Nietzschiana: Sócrates como um caso exemplar. Veritas, v. 57, n. 1, jan./abr. 2012, p. 41-51.

FREZZATTI JÚNIOR, Wilson Antonio. O Sócrates de O Nascimento da Tragédia: o início e a transmutação da cultura teórica. ELEUYTHERíA Campo Grande, MS, v. 2, n. 2, p. 114-124 jun./nov. 2017.

HEIT, Helmut. Perspectivas naturalizantes de Nietzsche em Além do Bem e do Mal. Dossiê Naturalismo, Dissertatio, v.supl.2, UFPel, 2015.

MACHADO, Roberto. Nietzsche e a verdade. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. A Gaia Ciência. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Genealogia da moral. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Crepúsculo dos ídolos ou como se filosofa com o martelo. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Zaratustra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Além do bem e do Mal: prelúdio a uma filosofia do futuro.Tradução, notas e posfácio Paulo César de Souza- São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

SOUSA, Mauro Araujo. O perspectivismo de Nietzsche e a compreensão. Líbero, São Paulo, v. 19, n. 37-A, p. 109-116, jul./dez. de 2016.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 ETD - Educação Temática Digital

Downloads

Não há dados estatísticos.