Aspectos motivacionais da profissão docente universitária

Autores

  • Bettina Steren dos Santos Pontíficia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Camila de Barros Rodenbusch Pontíficia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Denise Dalpiaz Antunes Pontíficia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v10in.esp..946

Palavras-chave:

Processo motivacional. Docência universitária. Prática docente.

Resumo

A motivação humana configura-se em processos motivacionais e são muitos os elementos em sua especificidade e particularidades, pois, perpassam a caminhada docente, entre auto-formação e formação acadêmica, iniciando-se com desejos próprios do professor. Já na práxis educativa é necessário compreender como a motivação é entendida pelo docente, na perspectiva de ajudar a desencadear os motivos intrínsecos de cada aluno. Este artigo é parte de uma pesquisa desenvolvida pelo Grupo de Pesquisa Processos Motivacionais em Contextos Educativos (PROMOT) da PUCRS. Especificamente, a intenção desse estudo é saber como os professores no Ensino Superior concebem a motivação e como ela interfere na prática pedagógica. É um estudo de caso qualitativo, com análise das falas de sete professores universitários e posterior descrição e exploração dos aspectos motivacionais com suas atuações no Ensino Superior numa Universidade Privada do RS. A partir da análise de conteúdo (Bardin, 2004), apresentam-se as categorias, a priori, Concepção de Motivação: revelaram-se diferentes entendimentos acerca da motivação. A posteriori, Trajetória Acadêmica: é um caminho longo que exige muito empenho e dedicação dos que fazem parte do mundo univeristário; História de vida e Autorealização: as vivências desde a infância embasam a formação profissional e servem de modelo para a construção das metas; Formação Pessoal e de Futuras Gerações: evidenciou-se a preocupação de tornarem-se pessoas melhores para a educação das futuras gerações. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bettina Steren dos Santos, Pontíficia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Pós-doutoranda pela Univesity of Texas at Austin, College of Education. Doutora em Psicologia Evolutiva e da Educação – Universidad de Barcelona. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Possui bolsa produtividade do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Coordenadora do grupo de pesquisa “Processos motivacionais em contextos educativos” (PROMOT).

Camila de Barros Rodenbusch, Pontíficia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Licenciada (Licenciatura Plena) em Educação Física e Mestranda em Educação pela Pontíficia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS); Pesquisadora Bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Membro do Grupo Pesquisa em Estudos Olímpicos (GPEO/PUCRS); do Grupo de Avaliação e Pesquisa em Atividade Física (GAPAFI/PUCRS); e do Grupo Processos Motivacionais em Contextos Educativos (PROMOT/PUCRS).

Denise Dalpiaz Antunes, Pontíficia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutoranda em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS); Mestre em Educação pela PUCRS; Especialista em Educação Infantil; Licenciada em Educação Física; Professora da Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre; Professora na Especialização em Psicopedagogia – PUCRS, Pesquisadora do grupo de pesquisa “Processos motivacionais em contextos educativos” (PROMOT).

Referências

ANTUNES, D. D. Relatos significativos de professores e alunos na educação de jovens e adultos e sua auto-imagem e auto-estima. 2007. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1997.

CSIKSZENTMIHALYI, M. El Fluxo. In: FERNANDÉZ-ABASCAL, H. G. (Org.). Emociones positivas. Madrid: Pirâmide, 2009.

ESTEVE, J. M. Mudanças sociais e a função docente. In: NÓVOA, A. (Org.). Profissão professor. 2. ed. Porto: Porto, 1999a.

ESTEVE, J. M. O mal-estar docente: a sala de aula e a saúde dos professores. São Paulo: EDUSC, 1999b.

FRANKL, V. E. Em busca de sentido: um psicólogo no campo de concentração. Petrópolis: Vozes, 1991

HERNÁNDEZ, F. Transgressão e mudança. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998

HUERTAS, J. A. Motivación: querer aprender. Buenos Aires: Aiqué, 2001

MASLOW, A. H. Motivación y personalidad. Madrid: Diaz de Santos, 1991.

MOSQUERA, J. J. M. O professor como pessoa. Porto Alegre: Sulina, 1976.

MOSQUERA, J. J. M. Vida adulta: personalidade e desenvolvimento. 3. ed. Porto Alegre: Sulina, 1987.

SANTOS, B. S.; ANTUNES, D. D.; BERNARDI, J. O docente e suas subjetividades nos processos motivacionais. Educação, Edipucrs, Porto Alegre, Educação, ano XXXI, v. 31, p. 46-53, 2008.

SANTOS, B. S.; ANTUNES, D. D. Vida adulta, processos motivacionais e diversidade. Educação, Porto Alegre, ano 30, n. 61, p. 149-164, 2007.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Editora Vozes, 2002.

YUS, R. Educação integral: uma educação holística para o século XXI. Porto Alegre: ARTMED, 2002.

Downloads

Publicado

2009-11-06

Como Citar

Santos, B. S. dos, Rodenbusch, C. de B., & Antunes, D. D. (2009). Aspectos motivacionais da profissão docente universitária. ETD - Educação Temática Digital, 10, 294–312. https://doi.org/10.20396/etd.v10in.esp.946