A relação entre juventude, trabalho e educação profissional no século XXI

uma análise sobre o Programa Jovem Aprendiz sob a perspectiva de classe social

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v20i0.8653401

Palavras-chave:

Juventude, Educação, Trabalho, Programa Jovem Aprendiz

Resumo

Este artigo visa apresentar os resultados de uma pesquisa de mestrado realizada no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGED) da Universidade Federal de Uberlândia, a qual se propôs a analisar o contexto histórico e as intencionalidades do Programa Jovem Aprendiz e como se deu, mais especificamente, o processo de implementação desse na cidade de Monte Carmelo, estado de Minas Gerais. As análises foram empreendidas com base nos pressupostos de Karl Marx - quais sejam: contradição e luta de classes. A metodologia adotada para análise do objeto compreendeu a pesquisa bibliográfica e documental, bem como a pesquisa de campo, na qual foram realizadas entrevistas semiestruturadas a fim de conhecer como pensam e se comportam os sujeitos da pesquisa. Os resultados dessa análise apontam os próprios limites dessa política de inclusão social de jovens de baixa renda, considerando as contradições que se estabelecem na estrutura de uma sociedade marcada pela divisão de classes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudiane Braga Belmiro, Secretária de Estado de Educação de Minas Gerais

Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Professora de Língua Portuguesa pela Secretária de Estado de Educação de Minas Gerais. (SEE, Minas Gerais).

Carlos Alberto Lucena, Universidade Federal de Uberlândia

Doutorado em Educação pela Universidades Estadual de Campinas (UNICAMP). Professor titular da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Referências

ABRAMO, H. W. Considerações sobre a tematização social da juventude no Brasil. Revista Brasileira de Educação. São Paulo, n. 5-6, p. 25-36, 1997.

ABRAMO, H. W. Condição juvenil no Brasil Contemporâneo. In: ABRAMO, H. W.; BRANCO, P. P. M. (Org.). Retratos da juventude brasileira: análises de uma pesquisa nacional. São Paulo: Instituto Cidadania: Fundação Perseu Abramo, 2008. p. 37-73.

ABRAMO, H. W. O uso das noções de adolescência e juventude no contexto brasileiro. In: FREITAS, M. V. (Org.). Juventude e adolescência no Brasil: referências conceituais. Ação Educativa, 2005. p. 20-39.

ABRAMO, H. W.; BRANCO, P. P. M. Retratos da juventude brasileira: análises de uma pesquisa nacional. São Paulo: Instituto Cidadania: Fundação Perseu Abramo, 2008.

ANTUNES, R. L. C. Adeus ao trabalho? Ensaios sobre as metamorfoses e a centralidade do Mundo do Trabalho. 4. ed. São Paulo: Cortez, 1997.

ANTUNES, R. L. C. Os sentidos do trabalho: ensaios sobre a afirmação e a negação do trabalho. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2009.

BELMIRO, C. M. B. Juventude e formação profissional a partir da reestruturação produtiva do capital no século XXI: uma análise sobre o Programa Jovem Aprendiz da cidade de Monte Carmelo (2016-2018). 2018. 175 f. Dissertação de Mestrado – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2018.

BOURDIEU, P. A “juventude é só uma palavra. In: BOURDIEU, P. Questões de Sociologia. Lisboa: Fim de Século, 2003. p. 151-162

BRASIL. Decreto nº 5.598 de 1º de Dezembro de 2005. Regulamenta a contratação de aprendizes e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5598.htm. Acesso em: 15 ago. 2018.

BRASIL. Lei nº 10.097 de 19 de Dezembro de 2000. Lei da Aprendizagem. Altera dispositivos da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452 de 1º de Maio de 1943. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l10097.htm. Acesso em 15 ago. 2018.

DAYRELL, J. O jovem como sujeito social. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 24, p. 40-52, set./dez. 2003.

FAGIANI, C. C. Educação e trabalho: a formação do jovem trabalhador no Brasil e em Portugal a partir da década de 1990. 2016. 210 f. Tese (Doutoramento) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.

FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M.; RAMOS, M. N. A política de educação profissional no Governo Lula: um percurso histórico controvertido. Educação e Sociedade, Campinas, v. 26. n. 92, out. 2005.

HARVEY, D. Condição Pós-Moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. 6. ed. São Paulo, SP: Loyola, 1992.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – PNAD Contínua 2016. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/sociais/trabalho/17270-pnad-continua.html. Acesso em: 16 ago. 2018.

IPEA. Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada. Análise do Mercado de Trabalho 2016. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/mercadodetrabalho/bmt61_analise.pdf. Acesso em: 16 ago. 2018.

KUENZER, A. Z. Ensino de 2º grau: o trabalho como princípio educativo. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1992.

KUENZER, A. Z. Ensino médio: novos desafios. In: KUENZER, A. Z. (Org.). Ensino médio: construindo uma proposta para os que vivem do trabalho. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2002. p. 25-90.

LIMA FILHO, D. L. Impactos das recentes políticas públicas de educação e formação de trabalhadores: desescolarização e empresariamento da educação profissional. Revista Perspectiva, Florianópolis, v. 20, n. 02, p. 269-301, jul./dez. 2002.

LUCENA. C. A. Tempos de destruição: educação, trabalho e indústria do petróleo no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados, 2004.

MANFREDI, S. M. Educação profissional no Brasil. São Paulo: Cortez, 2002.

MARGULIS, M.; URRESTI, M. La juvetud es más que una palavra. In: MARGULIS, M. (Ed). La juventude es más que una palavra: ensayos sobre cultura y juventude. Buenos Aires: Biblos, 2000. Disponível em: http://perio.unlp.edu.ar/catedras/system/files/mario_margulis-la-juventud-es-mas-que-una-palabra.pdf. Acesso em: 15 ago. 2018.

PESQUISA da OIT aponta crescimento do desemprego juvenil no mundo, 2016. Disponível em: https://nacoesunidas.org/pesquisa-da-oit-aponta-crescimento-do-desemprego-juvenil-no-mundo/. Acesso em: 28 dez. 2017.

POCHMANN, M. Situação do jovem no mercado de trabalho no Brasil: um balanço dos últimos 10 anos. São Paulo: Ed. UNICAMP, 2007.

RAMOS, M. N. A pedagogia das competências: autonomia ou Adaptação? São Paulo: Cortez, 2001. 320 p.

SANTOS, P. R. F. dos. A intensificação da exploração da força de trabalho com a produção flexível: elementos para o debate. O social em questão, ano XIV, n. 25/26, p. 137-156, 2011. Disponível em: http://osocialemquestao.ser.puc-rio.br/media/8_OSQ_25_26_Santos.pdf. Acesso em: 15 ago. 2018.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez, 2007.

SPOSITO, M. P. Os jovens no Brasil: desigualdades multiplicadas e novas demandas políticas. São Paulo: Ação Educativa, 2003.

SPOSITO, M. P.; CARRANO, P. C. R. Juventude e políticas públicas no Brasil. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 24, set./dez. 2003.

Downloads

Publicado

2020-10-08

Como Citar

BELMIRO, C. B. .; LUCENA, C. A. A relação entre juventude, trabalho e educação profissional no século XXI: uma análise sobre o Programa Jovem Aprendiz sob a perspectiva de classe social. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 20, p. e020046, 2020. DOI: 10.20396/rho.v20i0.8653401. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8653401. Acesso em: 30 nov. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)