Makarenko, pedagogo do extremo e da alegria de educar

Palavras-chave: Makarenko, Pedagogia socialista, Relações interpessoais, Sociabilidade

Resumo

As relações entre história, sociedade e educação são necessariamente evocadas quando se trata de Anton Semionovich Makarenko, pedagogo soviético e suas experiências educativas na Colônia Gorki e na Comuna Dzerjinsk, nos primórdios da Revolução Russa. Neste artigo, construído a partir de revisão teórica, busca-se contemplar duas das principais características do seu perfil como pedagogo: a firme disposição a enfrentar situações extremas e a alegria no educar na construção da sociabilidade comprometida com a emancipação social. Guiado pelo princípio de que transformar as relações humanas é condição para a formação de um novo homem, suas propostas são uma referência para os educadores que se propõem, nos dias de hoje, a enfrentar os dilemas do como educar o ser social e promover relações interpessoais eticamente fundadas nas aspirações a favor do bem-estar coletivo, da justiça social, da igualdade e da solidariedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samira Fakhouri Baia, Secretaria da Educação do Estado do Amapá

Mestranda em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local pelo Centro Universitário Una (UNA). Professora efetiva da Secretaria da Educação do Estado do Amapá.

Lucília Regina de Souza Machado, Centro Universitário Una

Doutorado em Educação: História, Política, Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Professora no Centro Universitário Una (UNA). 

Referências

BALABANOVITCH, E. Prefácio. In: MAKARENKO, A. S. Poema pedagógico (Primeira Parte). Tradução da edição francesa por M. Rodrigues Martins. Lisboa: Livros Horizonte, 1980. p. 5-15.

BORDIN, J. H. Educação revessa. Prefácio de Avelino da Rosa Oliveira. Pelotas: Ed. UFPEL, 2010.

CASANOVA, R.; PESCE, S. Pédagogues de l’extrême: l’éducabilité à l’épreuve du réel. Issy-les-Moulineaux: ESF Éditeur, 2011. 199 p.

FILONOV, G. N. Anton Makarenko. Tradução de Ester Buffa. Organização de Carlos Bauer e Ester Buffa. Recife: Fundação Joaquim Nabuco: Ed. Massangana, 2010.

FREINET, C. Les invariants pédagogiques. Cannes: Éditions de l’École moderne française, 1964.

JEANNE, Y. Anton Makarenko: un art de savoir s’y prendre. Reliance, v. 3, n. 17, p. 144-150, 2005.

MAKARENKO, A. S. Poema pedagógico (Primeira parte). Tradução da edição francesa por M. Rodrigues Martins. Lisboa: Livros Horizonte, 1980a.

MAKARENKO, A. S. Poema pedagógico (Segunda parte). Tradução da edição francesa por M. Rodrigues Martins. Lisboa: Livros Horizonte, 1980b.

MAKARENKO, A. S. Poema pedagógico (Terceira parte). Tradução da edição francesa por M. Rodrigues Martins. Lisboa: Livros Horizonte, 1980c.

MAKARENKO, A. S. Poema pedagógico. Tradução do original russo de Tatiana Belinsky; posfácio de Zoia Prestes. 3. ed. São Paulo: Editora 34, 2012. 656 p. (Coleção Leste).

MAKARENKO, A. S. Conferências sobre educação infantil. São Paulo: Moraes, 1981.

PRESTES, Z. Posfácio. In: MAKARENKO, A. Poema pedagógico. Tradução do original russo de Tatiana Belinsky; posfácio de Zoia Prestes. 3. ed. São Paulo: Editora 34, 2012. 656 p. (Coleção Leste).

Publicado
2019-06-04
Como Citar
Baia, S. F., & Machado, L. R. de S. (2019). Makarenko, pedagogo do extremo e da alegria de educar. Revista HISTEDBR On-Line, 19, e019030. https://doi.org/10.20396/rho.v19i0.8654460