O ensino agrícola no Rio Grande do Norte (1910-1967)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v21i00.8657276

Palavras-chave:

História da educação, Educação profissional, Ensino agrícola

Resumo

Este trabalho tem como objetivo analisar as ações do Estado para o desenvolvimento do ensino agrícola no Rio Grande do Norte, bem como a influência das determinações legais nesse processo no período de 1910 a 1967.  Para isso, realizou-se mapeamento e análise documental das mensagens dos governadores do Rio Grande do Norte e dos relatórios do Ministério da Agricultura, os quais se constituem como fontes a esta investigação. O recorte temporal justifica-se pelo Plano Geral do Ensino Agronômico de 1910 e a transferência do ensino agrícola para o Ministério da Educação e Cultura. O referencial teórico baseia-se na concepção de educação profissional conforme Manfredi (2003) e na dimensão da história política de acordo com René Rémond (2003) e José D’Assunção Barros (2005). Com a análise, percebeu-se que o ensino agrícola, no período de 1910 a 1967, era definido pelas determinações do Ministério da Agricultura em suas diferentes denominações e organizações ao longo dos anos. E, no Rio Grande do Norte, as principais ações para o desenvolvimento desse ensino foram a implantação da Escola de Agricultura e Criação, o Campo de demonstração de Macaíba, os cursos ambulantes que eram ministrados no Campo, a Escola Agrícola de Jundiaí, o Curso de Especialização para o Serviço do Algodão, as Semanas Ruralistas e cursos e palestras ministrados nas visitas da Inspetoria Agrícola

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Olívia Morais de Medeiros Neta, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Professora titular do Centro de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

 

Marcelly Kathleen Pereira Lucas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

 

Referências

BARREIRO, I. M. de F. Formação para o ensino agrícola nos centros de treinamento de professores e de auxiliares rurais (1952-1963). Revista Brasileira de Educação, v. 18, n. 54, 2013. Disponível em: http://ref.scielo.org/x86h97. Acesso em: 27 maio 2021.

BARROS, J. D'. História política, discurso e imaginário: aspectos de uma interface. Sæculum–Revista de História, n. 12, 2005.

BRASIL. Atividades do Ministério da Agricultura em 1951. Rio de Janeiro. Serviço de Informação Agrícola. 1952.

BRASIL. Decreto nº 1.606, de 29 de dezembro de 1906. Cria uma Secretaria de Estado com a denominação de Ministério dos Negócios da Agricultura, Industria e Comércio. Diário Oficial da União, p. 65, 3 jan. 1907.

BRASIL. Decreto nº 12.893, de 28 de fevereiro de 1918. Autoriza o Ministro da Agricultura a criar patronatos agrícolas, para educação de menores desvalidos, nos postos zootécnicos, fazendas-modelo de criação, núcleos coloniais e outros estabelecimentos do Ministério. Diário Oficial da União, p. 29635, mar. 1918a.

BRASIL. Decreto nº 19.448, de 3 de dezembro de 1930. Dá nova denominação ao Ministério da Agricultura, Industria e Comércio; estabelece normas para o funcionamento dos serviços sob sua jurisdição até que sejam remodelados os regulamentos atuais, e adota medidas tendentes à simplificação dos serviços burocráticos nesse ministério. Diário Oficial da União, seção 1, p. 219587, dez. 1930a.

BRASIL. Decreto nº 22.506, de 22 de Jane iro de 1947. Altera a denominação de estabelecimentos de ensino agrícola, subordinados ao Ministério da Agricultura. Diário Oficial da União, seção 1, p. 1148, jan. 1947.

BRASIL. Decreto nº 60.731, de 19 de maio de 1967. Transfere para o Ministério da Educação e Cultura os órgãos de ensino do Ministério da Agricultura e dá outras providências. Diário Oficial da União, seção 1, p. 5543, 22 maio. 1967.

BRASIL. Decreto nº 7.501, de 12 de agosto de 1909. Dispõe sobre as medidas provisórias para a instalação do Ministério da Agricultura, Industria e Comércio. Diário Oficial da União, seção 1, p. 5981, 17 ago. 1909a.

BRASIL. Decreto nº 8.319, de 20 de outubro de 1910. Cria o Ensino Agronômico e aprova o respectivo regulamento. Diário Oficial da União (Republicação), seção 1, p. 9516, 13 nov., 1910a.

BRASIL. Decreto-lei nº 9.613, de 20 de agosto de 1946. Lei Orgânica do Ensino Industrial. Diário Oficial da União, seção 1, p. 12019, ago. 1946.

BRASIL. Ministro Juarez Tavora. O Ministério da Agricultura na vigência do Govêrno Provisório (1930-1933). Rio de Janeiro. Oficinas Gráficas da Diretoria de Estatística e Publicidade. 1933a.

BRASIL. O Ministério da Agricultura no Govêrno Getúlio Vargas. (1930-1944). Rio de Janeiro. Serviço de Documentação do Ministério da Agricultura. 1945

BRASIL. Relatorio apresentado ao Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Mnistro de Estado da Agricultura, Industria e Commercio Dr. João Gonçalves Pereira Lima. Anno de 1918. Rio de Janeiro. Typographia da Directoria Geral de Estatistica. 1918b.

BRASIL. Relatorio apresentado ao Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro de Estado da Agricultura, Industria e Commercio Miguel Calmon du Pin e Almeida. Anno de 1922. Rio de Janeiro. Imprensa Nacional. 1925.

BRASIL. Relatorio apresentado ao Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro de Estado da Agricultura, Industria e Commercio Germiniano Lyra Castro. Anno de 1926. Rio de Janeiro. Imprensa Nacional. 1928.

BRASIL. Relatorio apresentado ao Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro de Estado da Agricultura, Industria e Commercio Miguel Calmon du Pin e Almeida. Anno de 1925. Rio de Janeiro. Imprensa Nacional. 1929.

BRASIL. Relatorio apresentado ao Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro de Estado da Agricultura, Industria e Commercio Germiniano Lyra Castro. Anno de 1929. Rio de Janeiro. Typ. do Serviço de Informações do Ministerio da Agricultura. 1930b.

BRASIL. Relatório apresentado ao presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro de Estado da Industria, Viação e Obras Públicas Miguel Calmon du Pin e Almeida no ano de 1909 - Volume I. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1909b.

BRASIL. Relatório apresentado ao presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro de Estado da Agricultura, Industria e Commercio Rodolpho Nogueira da Rocha Miranda no ano de 1910 - Volume I. Rio de Janeiro: Officinas da Directoria Geral de Estatistica, 1910b.

BRASIL. Relatório apresentado ao presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro de Estado dos Negocios da Agricultura, Industria e Commercio Dr. Pedro de Toledo no anno de 1911 - Volume I. Rio de Janeiro: Officinas da Directoria Geral de Estatistica, 1911.

BRASIL. Relatório apresentado ao presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Dr. Pedro de Toledo Ministro de Estado da Agricultura, Industria e Commercio no anno de 1912 - Volume I. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1912.

BRASIL. Relatório apresentado ao presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Dr. Manoel Edwiges de Queiroz Vieira Ministro de Estado da Agricultura, Industria e Commercio no anno de 1914 - Volume I. Rio de Janeiro: Typographia do Ministerio da Agricultura, Industria e Commercio, 1914.

BRASIL. Relatorio apresentado ao Presidente da Republica pelo Ministro de Estado dos Negocios da Agricultura, Industria e Commercio Idelfonso Simões Lopes. Rio de Janeiro. Papelaria e Typographia Villas-Boas & C. 1920.

BRASIL. Relatorio do Ministerio da Agricultura apresentado ao Chefe do Governo Provisorio por Mario Barboza Carneiro Encarregado do Expediente na ausencia do Ministro J. F. de Assis Brasil. De 24 de Outubro de 1930 a 31 de dezembro de 1931. Rio de Janeiro. Tip. do Ministério da Agricultura. 1933b.

CASTANHA, A. P. O uso da legislação educacional como fonte: orientações a partir do marxismo. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 11, n. 41e, p. 309-331, 2012. DOI: 10.20396/rho.v11i41e.8639912. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639912. Acesso em: 27 maio 2021.

CHARTIER, R. A história cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.

CONCEIÇÃO, J. T. da. Perfil dos alunos internos no ensino profissional agrícola federal mantido pelo Ministério da Agricultura em Sergipe (1934-1967). Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 96, n. 244, 2016. Disponível em: http://ref.scielo.org/bcjdyx. Acesso em: 27 maio 2021.

GINZBURG, C. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

GINZBURG, C. O queijo e os vermes: o cotidiano e as idéias de um moleiro perseguido pela Inquisição. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

GONÇALVES, I. A.; VERSIEUX, D. P. Escrevendo por sobre a terra: as fazendas-modelo em Minas Gerais (1906-1915). Revista História da Educação, v. 46, n. 19, 2015. Disponível em: http://ref.scielo.org/6npvxg. Acesso em: 27 maio 2021.

LUCAS, M. K. P.; MEDEIROS NETA, O. M. de. O ensino agrícola no Rio Grande do Norte (1908-1930). Research, Society and Development, v. 7, n. 1, p. 10, 2018. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=560659008007. Acesso em: 27 maio 2021.

LYRA, F. A. T. de. Alberto Maranhão e o modelo de educação republicana (1900-1913). SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 17., 2013, Natal. Anais [...]. Natal, 2013. p. 1-9. Disponível em: http://www.snh2013.anpuh.org/resources/anais/27/1364876697_ARQUIVO_ALBERTOMARANHAOEOMODELODEEDUCACAOREPUBLICANA.pdf. Acesso em: 27 maio 2021.

MANFREDI, S. M. Educação profissional no Brasil. São Paulo: Cortez: 2003

OTRANTO, C. R. Educação profissional agrícola no Brasil: história e política. CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 9., 2017, João Pessoa. Anais Eletrônicos [...]. João Pessoa, 2017. Disponível em http://ixcbhe.com/anais.php. Acesso em 27 maio 2021.

RAGAZZINI, D. Para quem e o que testemunham as fontes da história da educação? Educar em Revista, n. 18, p.13-28, jul./dez. 2001. Tradução de Carlos Eduardo Vieira. Disponível em: http://ref.scielo.org/98q4kh. Acesso em: 27 maio 2021.

RÉMOND, R. Por uma história política. Tradução Dora Rocha. Rio de Janeiro. Editora FGV, 2003.

RIO GRANDE DO NORTE. Mensagem apresentada à Assembleia Legislativa, em 1º de novembro de 1908, pelo Governador Alberto Maranhão. Natal: Typ. d'"A Republica", 1908.

RIO GRANDE DO NORTE. Mensagem apresentada à Assembleia Legislativa, em 1º de novembro de 1910, pelo Governador Alberto Maranhão. Natal: Typ. d'"A Republica", 1910.

RIO GRANDE DO NORTE. Mensagem apresentada à Assembleia Legislativa, em 1º de novembro de 1912, pelo Governador Alberto Maranhão. Natal: Typ. d'A Republica, 1912.

RIO GRANDE DO NORTE. Mensagem apresentada à Assembleia Legislativa, em 1º de novembro de 1913, pelo Governador Alberto Maranhão. Natal: Typ. d'A Republica, 1913.

RIO GRANDE DO NORTE. Mensagem apresentada à Assembleia Legislativa, em 1º de novembro de 1921, pelo Governador Antonio José de Mello e Souza. Natal: Typ. Commercial - J. Pinto & C., 1921.

RIO GRANDE DO NORTE. Mensagem apresentada à Assembléia Legislativa Estadual por ocasião da abertura da sessão legislativa de 1952 pelo Dr. Sylvio Piza Pedroza, Governador do Estado. Natal: Departamento de Imprensa, 1952.

SILVA, K. K. O. da. O ensino profissional do Rio Grande do Norte: indícios da ação do estado de 1908 a 1957. Dissertação (Mestrado em Educação Profissional) – Programa de Pós Graduação em Educação Profissional, Instituto Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.

SOBRAL, F. J. M. Retrospectiva histórica do ensino agrícola no Brasil. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, v. 2, n. 2, p. 78-95, 2009. Disponível em: http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/2953. Acesso em: 27 maio 2021.

TAKEYA, D. M. Um outro Nordeste: o algodão na economia do Rio Grande do Norte (1900-1915). Projeto História: Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados de História, [S. l.], v. 1, out. 2012. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/revph/article/viewFile/12441/9022. Acesso em: 27 maio 2021.

THOMPSON, E. P. Costumes em comum. Tradução de Rosaura Eichemberg. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

VIDAL, D. G.; FARIA FILHO, L. M. de. História da educação no Brasil: a constituição histórica do campo (1880-1970). Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 23, n. 45, 2003. Disponível em: http://ref.scielo.org/6tmpts. Acesso em: 27 maio 2021.

Downloads

Publicado

2021-08-02

Como Citar

MEDEIROS NETA, O. M. de; LUCAS, M. K. P. O ensino agrícola no Rio Grande do Norte (1910-1967). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 21, n. 00, p. e021031, 2021. DOI: 10.20396/rho.v21i00.8657276. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8657276. Acesso em: 25 out. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)