Banner Portal
Os professores das instituições escolares da Companhia Ford Industrial do Brasil na Amazônia brasileira (1927-1945)
PDF

Palavras-chave

Instituições escolares
Professores
Amazônia
Henry Ford

Como Citar

PEREIRA, Edna Marzzitelli; JACOMELI, Mara Regina Martins. Os professores das instituições escolares da Companhia Ford Industrial do Brasil na Amazônia brasileira (1927-1945) . Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 20, p. e020045, 2020. DOI: 10.20396/rho.v20i0.8659784. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8659784. Acesso em: 20 jul. 2024.

Resumo

O trabalho aqui apresentado trata da importância e o papel das professoras para o funcionamento das instituições escolares criadas pela Companhia Ford Industrial do Brasil na Amazônia nas décadas de 1930 e 1940. Tal protagonismo refletia nas escolas suas convicções, visões de mundo e concepções educacionais que, sob a liderança da diretora professora Zélia Braga, faziam funcionar escolas que reproduziam, à sua maneira, as ações administrativas e pedagógicas presentes no Brasil e no Estado do Pará de então. Ou seja, as escolas estudadas traziam o sentido civilizatório comum para Amazônia, já que ofereciam educação urbana para crianças da floresta, por meio de professoras trazidas da capital do estado para trabalharem no interior.

https://doi.org/10.20396/rho.v20i0.8659784
PDF

Referências

ARAÚJO, J. C. S.; FREITAS, A. M. G. B. de.; LOPES, A. P. C. (Org.). As escolas normais no Brasil: do Império à República. Campinas, SP: Alínea, 2008.

BELTERRA. Fotografia: hora da saída da Escola Edsel Ford. Arquivo do Centro de Memória de Belterra. Belterra, PA. [1939?].

BELTERRA. Livro de Registro de Professores. Belterra, PA, 1939a.

BELTERRA. Livro de Registro de Professores. Belterra, PA, 1940.

BELTERRA. Registro no livro de impressões dos visitantes da Escola Edsel Ford. Belterra, PA, 1944.

BELTERRA. Registro no livro de impressões dos visitantes da Escola Edsel Ford. Belterra, PA, 1942.

BELTERRA. Registro no livro de impressões dos visitantes da Escola Edsel Ford. Belterra, PA, 1939b.

CASTANHO, S. Institucionalização das instituições escolares: final do Império e Primeira República no Brasil. In: SAVIANI, D. (Org.). Instituições escolares no Brasil: conceito e reconstrução histórica. Campinas, SP: UNISO; Ponta Grossa, PR: UEPG, 2007. p. 39-57. (Coleção Memória da Educação).

COLARES, A. A. A história da educação em Santarém: das origens ao fim do Regime Militar (1661-1985). Santarém, PA: IBBS, 2005.

DAMASCENO, A. Notas sobre a Educação Paraense na Segunda República. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. 62, p. 229-241, maio, 2015. ISSN: 1676-2584. Disponível em: http://ojs.fe.unicamp.br/ged/histedbr/issue/view/325. Acesso em: 09 set. 2015.

FELIPE, E. da. S. Entre o campo e a cidade: infâncias e leituras intercortadas - um estudo no assentamento Palmares II, Estado do Pará. 2009. 224f. Tese (Doutorado em Educação) ─ Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação. Campinas, SP, 2009.

FERREIRA, P. de. S.; XIMENES-ROCHA, S. H.; SOUZA, M. de F. M. Aspectos históricos da formação de professores primários em Santarém no Século XX: o legado das escolas Álvaro Adolfo da Silveira, Santa Clara e São José. Revista do HISTEDBR On-line, Campinas, n. 62, p. 167-184, maio, 2015. ISSN: 1676-2584. Disponível em: http://ojs.fe.unicamp.br/ged/histedbr/issue/view/325. Acesso em: 28 mar. 2016.

GRANDIN, G. Fordlândia – Ascensão e queda da cidade esquecida de Henry Ford na selva. Tradução: Nivaldo Montingelli Júnior. Rio de Janeiro: Rocco, 2010.

JOHNSTON, A. Relatório sobre as plantações de borracha em Fordlândia e Belterra. Tradução: Antônio Frapuan Sena Nogueira. [ca.1941]. 26 p.

KOSIK, K. Dialética do concreto. 2. ed. Tradução: Célia Neves; Alderico Toríbio. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

KUHLMANN JÚNIOR, M. Infância e educação infantil: uma abordagem histórica. 4. ed. Porto Alegre, RS: Mediação, 2007.

MAGALHÃES, J. A história das instituições educacionais em perspectiva. In: GATTI JUNIOR, D.; INÁCIO FILHO, G. (Org.). História da educação em perspectiva: ensino, pesquisa, produção e novas investigações. Campinas, SP: Autores Associados; Uberlândia, MG: EDUFU, 2005. p. 91-103. (Coleção Memória da Educação).

MALHEIRO, R. G.; ROCHA, G. O. R. da. A Escola Normal do Pará: o núncio legalista para formação de professores. Revista do HISTEDBR On-Line, Campinas, n. 62, p. 32-52, maio, 2015 – ISNN: 1676-2584. Disponível em: http://ojs.fe.unicamp.br/ged/histedbr/article/view/7240. Acesso em: 28 mar. 2016.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

PEREIRA, J. C. M. Os modos de vida na cidade: Belterra, um estudo de caso na Amazônia Brasileira. 2012. 256 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Rio de Janeiro, 2012.

ROMANELLI, O. de O. História da Educação no Brasil (1930/1973). 19. ed. Petrópolis: Vozes, 1997.

SAVIANI, D. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação. v. 14, n. 40, p.143-155, jan./abr. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v14n40/v14n40a12.pdf. Acesso em: 15 mar. 2016.

SENA, C. (Org.). Dom Tiago – O missionário do Tapajós. Santarém, PA: ICBS, 2012.

SOUSA, C. M. P. Traços de compaixão e misericórdia na história do Pará: instituições para meninos e meninas desvalidas no século XIX até o início do século XX. 2010. 196 f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.

SOUZA, R. F. de. Templo de civilização da escola primária graduada no Estado de São Paulo: (1890-1910). São Paulo: Edunesp, 1998.

TANURI, L. M. História da formação de professores. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 14, p. 61-193, maio/ago. 2000. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782000000200005. Acesso em: 03 jul. 2016.

VICENTINI, P. P.; LUGLI, R. G. História da profissão docente no Brasil: representações em disputa. São Paulo: Cortez, 2009 (Biblioteca Básica da História da Educação Brasileira, 4).

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Revista HISTEDBR On-line

Downloads

Não há dados estatísticos.