Uso da pesquisa em sala de aula como uma estratégia docente na educação básica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v22i00.8660493

Palavras-chave:

Legislação educacional, Docência, Pesquisa em sala de aula

Resumo

A educação concebida como um direito de todos, conforme legislação, exige que a prática educacional possibilite aos estudantes além do acesso a educação, condições para que suas aprendizagens possam ser desenvolvidas. Dentre os diversos desafios impostos aos professores na educação básica, um deles é a falta de interesse dos estudantes por sua aprendizagem e diante deste desafio se faz necessário utilizar diferentes estratégias de ensino. Desse modo, o objetivo geral desse trabalho é discutir o uso Pesquisa em Sala de Aula como estratégia docente no sentido de envolver os estudantes com suas aprendizagens. Essa investigação é de cunho qualitativo e embasa-se na pesquisa bibliográgica e análise documental. A partir disso, concluímos que utilizar a Pesquisa em Sala de Aula como uma estratégia de ensino pode despertar o interesse dos estudantes e corroborar para suas aprendizagens durante a educação básica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiana Pauletti, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Doutorado em Educação em Ciências e Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Professora do Magistério Superior da Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Luciana Richter, Universidade Federal de Santa Maria

Doutorado em Educação em Ciências e Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Professora do Magistério Superior da Universidade Federal de Santa Maria.

Referências

BACHELARD, G. A formação do espírito científico: contribuições para uma psicanálise do conhecimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988, com as alterações determinadas pelas Emendas Constitucionais de Revisão nos 1 a 6/94, pelas Emendas Constitucionais nos 1/92 a 91/2016 e pelo Decreto Legislativo no 186/2008. – Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2016. Disponível em: https://bityli.com/IRKGWkpE. Acesso em: 02 maio 2020.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Educação é a Base. Brasília: MEC, 2018. Disponível em: https://bityli.com/9gYBO. Acesso em: 01 maio 2020.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Brasília: MEC; SEB; DICEI, 2013. Disponível em: https://bityli.com/4buG3. Acesso em: 02 maio 2020.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Lex: coletânea de legislação: Brasília, 1990. Disponível em: https://bityli.com/Z5eA9. Acesso em: 02 maio 2020.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Lex: coletânea de legislação: Brasília, 1996. Disponível em: https://bityli.com/91Wfj. Acesso em: 02 maio 2020.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do Ensino Fundmanetal. Introdução aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC, 1998.

CARVALHO, A. M. P. A pesquisa no ensino, sobre o ensino e sobre a reflexão dos professores sobre seus ensinos. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 28, n. 2, p. 57-67, 2002. Disponível em: https://bityli.com/YcLSWSvWY. Acesso em: 10 maio 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-97022002000200005

CARVALHO, A. M. P. et al. (org.). Calor e temperatura: um ensino por investigação. São Paulo: Livraria da Física, 2014.

CARVALHO, A. M. P. Pesquisas em sala de aula: um importante fator na formação do professor. Revista Perspectiva, Florianópolis, v. 16, 1992. Disponível em: https://bityli.com/LNngbUiu. Acesso em: 01 mar. 2020.

CARVALHO, A. M. P.; GIL PÉREZ, D. As pesquisas no ensino influenciando a formação de professores. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo, v. 14, 1992. Disponível em: https://bityli.com/OqiqTFck. Acesso em: 01 mar. 2020.

DEMO, P. Educar pela pesquisa. 10. ed. Campinas: Autores Associados, 2015.

DEWEY, J. Democracia e educação: capítulos essenciais. Tradução Roberto Cavallari Filho. São Paulo: Ática, 2007.

DINIZ-PEREIRA, J. E. Formação de professores, trabalho docente e suas repercussões na escola e na sala de aula. Educação e Linguagem, São Paulo, v. 10, n. 15, p. 82-98, 2007. Disponível em: https://bityli.com/UsAoZrae. Acesso em: 03 mar. 2020. DOI: https://doi.org/10.15603/2176-1043/el.v10n15p82-98

FREIRE, M. Observação, registro e reflexão. Instrumentos Metodológicos I. 2. ed. São Paulo: Espaço pedagógico, 1996.

FREIRE, P.; FAUNDEZ, A. Por uma pedagogia da pergunta. 4. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

GALLE, L. A. V. Estudo sobre reconstrução significativa de conteúdos no ensino fundamental por meio de unidade de aprendizagem sobre alimentos. 2016. 211f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) – Faculdade de Física, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016. Disponível em: https://bityli.com/LoUqvHEx. Acesso em: 22 jul. 2018.

GALLE, L. A. V.; PAULETTI, F.; RAMOS, M. G. Pesquisa em sala de aula: os interesses dos estudantes manifestados por meio de perguntas sobre a queima da vela. Acta Scientiae, Canoas, v. 18, n. 2, p. 498-516, 2016. Disponível em: https://bityli.com/ZfxeEqtGR. Acesso em: 10 dez. 2016.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GRAY, D. E. Pesquisa no mundo real. 2. ed. Porto Alegre: Penso, 2012.

JONES, E. E por falar em John Dewey... Revista Perspectiva, Florianópolis, v. 7, n. 13, p. 116-144, 1989. Disponível em: https://bityli.com/nyzpTtKV. Acesso em: 12 dez. 2016.

KRASILCHIK, M. Reformas e realidade: o caso do ensino de Ciências. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 14, n. 1, p. 85-93, 2000. Disponível em: https://bityli.com/DmNf2e. Acesso em: 07 maio 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-88392000000100010

MORAES, R.; GALIAZZI, M. do C.; RAMOS, M. G. Pesquisa em sala de aula: fundamentos e pressupostos. In: MORAES, R.; LIMA, V. M. R. Pesquisa em sala de aula: tendências para a educação em novos tempos. 3. ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2012.

PAULETTI, F. A pesquisa como princípio educativo no ensino de Ciências: concepções e práticas em contextos brasileiros. 2018. 128 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemática) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018. Disponível em: https://bityli.com/wFOpqYAgg. Acesso em: 20 jul. 2018.

PAULETTI, F. O ensino de Química e a escola pública: a isomeria geométrica mediada pelo uso de programas computacionais. Dissertação (Mestrado em Educação) –Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, 2013. Disponível em: https://bityli.com/kFHcJcax. Acesso em: 18 maio 2020.

PIMENTA, S. G. Formação de professores – saberes da docência e identidade do professor. Nuances, São Paulo, v. III, p. 5-14, 1997. Disponível em: https://bityli.com/UILAyqDOCb. Acesso em: 10 jun. 2020.

PORLÁN, R.; MORAES, R. Projeto de investigação e renovação escolar: opções de uma hipóteses de progressão educativa. Educação, Porto Alegre, v. XXV, n. 47, p. 23-44, 2002.

POZO, J. I. Teorias cognitivas da aprendizagem. Tradução Juan Acuña Llorens. 3. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

POZO, J. I.; CRESPO, M. Á. G. A aprendizagem e o ensino de ciências: do conhecimento cotidiano ao conhecimento científico. Tradução Naila Freitas. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

RODRÍGUEZ-ARTECHE, I.; MARTÍNEZ-AZNAR, M. M. Introducing inquiry-based methodologies during initial Secondary Education teacher training using an open-ended problem about Chemical change. Journal of Chemical Education, v. 93, n. 9, p. 1528-1535, 2016. Disponível em: https://bityli.com/SHVKculFy. Acesso em: 19 maio 2020. DOI: https://doi.org/10.1021/acs.jchemed.5b01037

SANTAU, A. O.; RITTER, J. K. What to teach and how to teach it: elementary teachers’ views on teaching inquiry-based, interdisciplinary Science and Social studies in urban settings. The New Educator, v. 9, n. 4, p. 255-286, 2013. Disponível em: https://bityli.com/EBsZaFbiM. Acesso em: 10 maio 2020. DOI: https://doi.org/10.1080/1547688X.2013.841498

STECANELA, N.; WILLIAMSON, G. A educação básica e a pesquisa em sala de aula. Revista Acta Scientiarum, Maringá, v. 35, n. 2, 2013. Disponível em: https://bityli.com/vnXJuyvh. Acesso em: 18 maio 2020. DOI: https://doi.org/10.4025/actascieduc.v35i2.20649

WELLS, G. Indagación dialógica: hacia una teoría y una práctica socioculturales de la educación. Barcelona: Paidós, 2001.

ZÔMPERO, A. F.; LABURÚ, C. E. Atividades investigativas no ensino de Ciências: aspectos históricos e diferentes abordagens. Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 13, n. 3, p. 67-80, 2011. Disponível em: https://bityli.com/ZxCkfmVSi. Acesso em: 18 abr. 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/1983-21172011130305

Downloads

Publicado

2022-11-30

Como Citar

PAULETTI, F.; RICHTER, L. Uso da pesquisa em sala de aula como uma estratégia docente na educação básica. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 22, n. 00, p. e022043, 2022. DOI: 10.20396/rho.v22i00.8660493. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8660493. Acesso em: 31 jan. 2023.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)