Banner Portal
História social da criança proletária
PDF

Palavras-chave

História social da criança proletária
Infância
Friedrich Engels

Como Citar

HERMIDA, Jorge Fernando. História social da criança proletária: contribuições da obra de Friedrich Engels para a compreensão do tema. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 20, p. e020058, 2020. DOI: 10.20396/rho.v20i0.8660883. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8660883. Acesso em: 24 jul. 2024.

Resumo

Dentro das intencionalidades possíveis, este artigo se colocou como desafio contribuir para a composição de uma proposta de história social da criança proletária, tendo em vista as interpretações e perspectivas históricas idealistas, não históricas, hibridas, parciais e descontextualizadas que existem sobre as visões, os sentidos e os modos de conceber as crianças e o conceito de infância desde os primórdios da Revolução Industrial até os nossos dias. Ao analisar a produção acadêmica nacional e internacional, constatamos um denominador em comum: mesmo existindo uma grande variedade e quantidade de pesquisas vinculadas a diversos âmbitos da criança e sua infância, os estudos sobre crianças proletárias em tempos de profundas mudanças econômicas e sociais ocorridas no século XIX na Europa é quase que insignificante. Valendo-nos dos aportes do materialismo histórico e dialético, analisamos as contribuições de A situação da classe trabalhadora na Inglaterra, de Friedrich Engels, para a compreensão do tema. Tendo como fundamento os aportes da obra clássica de Engels, o estudo conclui que é possível visualizar uma nova configuração do conceito e de um novo sentimento de infância, de natureza materialista e não idealista, baseado fundamentalmente no papel que coube às crianças proletárias em tempos de mudanças sociais. Ao ser elaborado e redimensionado pela classe trabalhadora, ele precisa ser reconhecido e incorporado pela academia.

https://doi.org/10.20396/rho.v20i0.8660883
PDF

Referências

ABRAMOWICZ, A. A pesquisa com crianças em infâncias e a sociologia da infância. In: FARIA, A. L G. de.; FINCO, D. (Org.). Sociologia da infância no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2011.

ARIÈS, P. História social da criança e da família. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2015.

ARIÈS, P.; DUBY, G. História da vida privada 1: do Império Romano ao ano mil. São Paulo: Companhia das Letras, 2009a.

ARIÈS, P.; DUBY, G. História da vida privada 2: da Europa feudal à Renascença. São Paulo: Companhia das Letras, 2009b.

ARIÈS, P.; DUBY, G. História da vida privada 3: do Renascença ao Século das Luzes. São Paulo: Companhia das Letras, 2009c.

ARIÈS, P.; DUBY, G. História da vida privada 4: da Revolução Francesa à Primeira Guerra. São Paulo: Companhia das Letras, 2009d.

ARIÈS, P.; DUBY, G. História da vida privada 5: da Primeira Guerra a nossos dias. São Paulo: Companhia das Letras, 2009e.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

DEL PRIORE, M. (org.) História das crianças no Brasil. 6. ed. São Paulo: Contexto, 2007.

DOBB, M. A evolução do capitalismo. 9. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1983.

DUARTE, N. Sociedade do conhecimento ou sociedade das ilusões? Campinas: Autores Associados, 2008.

ENGELS, F. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Boitempo, 2010.

EVANGELISTA, J. E. Crise do marxismo e irracionalismo pós-moderno. São Paulo: Cortez, 1997.

FREITAS, M. C. de. História social da infância no Brasil. 9. ed. rev. e amp. São Paulo: Cortez, 2016.

GÓES, J. R. de.; FLORENTINO, M. Crianças escravas, crianças dos escravos. In: DEL PRIORE, M. (Org.). História das crianças no Brasil. 6. ed. São Paulo: Contexto, 2007.

GONÇALVES, J. da. S. Pedagogia da educação infantil. Avanços, desafios e tensões. Curitiba: Appris, 2015. 145 p.

HERMIDA, J. F. História social da criança proletária: as infâncias roubadas nos processos de reprodução do capital nos séculos XVIII e XIX. 2020. 300 f. Tese (Doutorado) – Departamento de Educação Física, Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2020.

HOBSBAWM, E. A era das Revoluções 1789-1848. 14. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001.

HOBSBAWM, E. A era do capital 1848-1875. 11. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

HOBSBAWM, E. A era dos extremos. O breve século XX, 1914-1991. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

HOBSBAWM, E. Mundos do trabalho: novos estudos sobre a história operária. 6. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2015a.

HOBSBAWM, E. Os trabalhadores: estudos sobre a história do operariado. 5. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2015b.

KLEIN, L. R. Cadê a criança do Ariès que estava aqui? A fábrica comeu... In: SEMINÁRIO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS “HISTÓRIA, SOCIEDADE E EDUCAÇÃO NO BRASIL” 09, 2012 João Pessoa. Anais [...]. João Pessoa: UFPB, 2012. p. 3374-3393.

KUHLMANN JUNIOR, M. Histórias da educação infantil brasileira. Revista Brasileira de Educação, n. 14, maio/ago. 2000.

KUHLMANN JUNIOR, M. Infância e educação infantil: uma abordagem histórica. Porto Alegre: Mediação, 1998.

LIMA, M. P. Infância e educação: um olhar sobre as crianças nas pesquisas científicas. Revista Educação e Cultura Contemporânea, v. 11, n. 3, 2014.

MARX, K. Cadernos de Paris & Manuscritos Econômico-Filosóficos de 1844. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2010.

MARX, K. O capital. Livro 1: o processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

MARX, K. O capital. Livro 2: o processo de circulação do capital. São Paulo: Boitempo, 2014.

MARX, K. O capital. Livro 3: o processo global de produção capitalista. São Paulo: Boitempo, 2017.

MOURA, E. B. B. de. Crianças operárias na recém-industrializada São Paulo. In: DEL PRIORE, M. (Org.). História das crianças no Brasil. 6. ed. São Paulo: Contexto, 2007.

NETTO, J. P. Apresentação. São Paulo: Boitempo, 2010.

NETTO, J. P. Marx em Paris. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

OBRAS FUNDAMENTALES. Escritos de juventud de Karl Marx e Friedrich Engels. Cidade de México: Fondo de Cultura Económica, 1981. Volume 2.

RAMOS, F. P. a História trágico-marítima das crianças nas embarcações portuguesas do século XVI. In: DEL PRIORE, M. (org.). História das crianças no Brasil. 6. ed. São Paulo: Contexto, 2007.

RIZZI, I. A arte de governar crianças. São Paulo: Cortez, 2009.

RIZZI, I. O século perdido: raízes históricas das políticas para a infância no Brasil. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

RIZZI, I. Vida nas ruas: crianças e adolescentes. Rio de Janeiro: Loyola, 2003.

RIZZINI, I. Pequenos trabalhadores do Brasil. In: DEL PRIORE, M. (Org.). História das crianças no Brasil. 6. ed. São Paulo: Contexto, 2007.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica, quadragésimo ano: novas aproximações. Campinas: Autores Associados, 2019.

THOMPSON E. P. A formação da classe operária inglesa I. A árvore da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

THOMPSON E. P. A formação da classe operária inglesa II. A maldição de Adão. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2012a.

THOMPSON E. P. A formação da classe operária inglesa III. A força dos trabalhadores. 2. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2012b.

VENÂNCIO, R. P. Os aprendizes da guerra. In: DEL PRIORE, M. (Org.). História das crianças no Brasil. 6. ed. São Paulo: Contexto, 2007.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Jorge Hermida

Downloads

Não há dados estatísticos.