Banner Portal
A defesa do ensino e aprendizagem de Arte para a formação Omnilateral
PDF

Palavras-chave

Arte
Omnilateralidade
Política educacional
Ensino e aprendizagem

Como Citar

ZANELLA, K.; ZANELLA, J. L. A defesa do ensino e aprendizagem de Arte para a formação Omnilateral: crítica a BNCC e aos objetivos de aprendizagem. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 23, n. 00, p. e023024, 2023. DOI: 10.20396/rho.v23i00.8664639. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8664639. Acesso em: 21 fev. 2024.

Resumo

Este artigo é resultado de pesquisas e estudos que compreendem reflexões em relação à defesa do ensino e aprendizagem de Arte com vistas a uma educação escolar com formação omnilateral. A metodologia utilizada é a pesquisa bibliográfica, como aporte teórico para compreender a formação humana através do trabalho educacional em Arte. O texto está estruturado em três partes: A importância de Arte para formação humana omnilateral; A disciplina de Arte na BNCC: unilateralidade; A defesa do ensino e aprendizagem de Arte na Pedagogia Histórico-Crítica. Conclui-se que a política educacional para o ensino da Arte materializada na BNCC está fundamentada na aprendizagem de competências e habilidades e, assim, minimiza o ensino do conhecimento sistematizado da Arte. Em oposição a essa política, defendemos o ensino e aprendizagem de Arte na perspectiva da Pedagogia Histórico-Crítica a partir dos clássicos para uma formação omnilateral como formação humana plena para os filhos da classe trabalhadora na luta pela emancipação social.

https://doi.org/10.20396/rho.v23i00.8664639
PDF

Referências

AGUIAR, M. Â. da; DOURADO, L. F. (org.). A BNCC na contramão do PNE 2014-2024: avaliação e perspectivas. Recife, PE: ANPAE, 2018.

APPLE, M. W. Regulando o conhecimento oficial. Conhecimento Oficial: a educação democrática numa era conservadora. 2. ed. Petrópolis, RJ: VOZES, 1999. p. 97-136.

BATISTA, E. L.; LIMA, M. R. Dermeval Saviani – uma trajetória de luta e compromisso com a educação transformadora. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 5, n. 2, p. 203-215, dez. 2013. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/9711/7098. Acesso em: 02 mar. 2020.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Ministério da Educação. Brasília: MEC, 2017a. Disponível: em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 10 jul. 2020.

BRASIL. Lei nº 13.415/2017. 2017b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13467.htm. Acesso em: 19 maio 2020.

BRASIL. Medida Provisória nº 746/2016. Disponível em: https://www.congressonacional.leg.br/materias/medidas-provisorias/-/mpv/126992. Acesso em: 19 maio 2020.

DANTAS, J. S. O Ensino Médio em disputa e as implicações da BNCC para a área das Ciências Humanas. ANDES-SN, janeiro de 2018. Disponível em: http://portal.andes.org.br/imprensa/publicacoes/imp-pub-1969232834.pdf. Acesso em: 21 maio 2020.

DUARTE, N. Educação escolar e formação humana omnilateral na perspectiva da Pedagogia Histórico-Crítica. In: LOMBARDI, J. C. (org.). Crise capitalista e educação brasileira. Uberlândia, MG: Navegando Publicações, 2016a. p. 101-121. Disponível em: http://irsas.cascavel.pr.gov.br/arquivos/29062017_crise_capitalista_e_educacao_brasileira.pdf. Acesso em: 05 ago. 2023.

DUARTE, N. Os conteúdos escolares e a ressureição dos mortos: contribuição à teoria histórico-crítica do currículo. Campinas, SP: Autores Associados, 2016b.

FISCHER, E. A necessidade da Arte. Tradução: Leandro Konder. 9. ed. Rio De Janeiro: Zahar, 1983.

GRAMSCI, A. Literatura e vida nacional. 2. ed. Tradução e seleção de Carlos Nelson Coutinho. Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

KONDER, L. Os marxistas e a arte. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1967.

KOSÍK, K. Dialética do concreto. Tradução de Célia Neves e Alderico Toríbio. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1969.

KUENZER, A. Z. Trabalho e escola: a flexibilização do ensino médio no contexto do regime de acumulação flexível. Educ. Soc., Campinas, v. 38, n. 139, p. 331-354, jun. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302017000200331&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 21 jan. 2021.

LAVOURA, T. N. A dialética do singular-universal-particular e o método da pedagogia histórico-crítica. Nuances: estudos sobre Educação, Presidente Prudente-SP, v. 29, n. 2, p. 4-18, maio/ago. 2018. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/234189947.pdf. Acesso em: 07 dez. 2020.

MANACORDA, M. A. Marx e a pedagogia moderna. Tradução Newton Ramos de Oliveira. Campinas, SP: Alínea, 2007.

MARSIGLIA, A. C. G.; PINA, L. D.; MACHADO, V. O.; LIMA, M. A Base Nacional Comum Curricular: um novo episódio de esvaziamento da escola no Brasil. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 9, n. 1, p. 107-121, abr. 2017. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/21835/14343. Acesso em: 24 nov. 2020.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos e outros textos escolhidos. São Paulo: Boitempo, 2004. Disponível: https://marcosfabionuva.files.wordpress.com/2011/08/manuscritos-econc3b4mico-filosc3b3ficos.pdf. Acesso em: 02 mar. 2020.

MARX, K. Contribuição à crítica da economia política. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

MEKSENAS, P. As noções de concreto e abstrato: sua relação com as práticas de ensino. Re. Da Fac. de Educação (USP), v. 10, n. 1, jan./jun. 1992. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rfe/article/view/33482/36220. Acesso em: 15 nov. 2020.

MORETTI, V. D. O problema lógico-histórico: aprendizagem conceitual e formação de professores de matemática. Poiésis, Tubarão, num. especial, p. 29-44, jan./jun. 2014. Disponível em: http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Poiesis/index. Acesso em: 06 dez. 2020.

SAVIANI, D. História das ideias pedagógicas no Brasil. 2. ed. revista e ampliada. Campinas: Autores Associados, 2008.

SAVIANI, D. O Conceito Dialético de Mediação na Pedagogia Histórico-Crítica em intermediação com a Psicologia Histórico-Cultural. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 7, n. 1, p. 26-43, jun. 2015. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/12463/9500. Acesso em: 03 dez. 2020.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11. ed. rev. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

SILVA, M. G. da. Arte e revolução em Trotsky e Breton. Aurora: revista de arte, mídia e política, São Paulo, v. 10, n. 30, p. 55-64, out./jan. 2017-2018. Disponível em: file:///C:/Users/Sony/Downloads/35080-99922-1-PB%20(3).pdf. Acesso em: 23 mar. 2020.

SOUSA, M. do C. de. O movimento lógico-histórico enquanto perspectiva didática para o ensino de matemática. Obutchénie: R. de Didat. E Psic. Pedag., Uberlândia, v. 2, n. 1, p. 40-68, jan./abr. 2018. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/Obutchenie/article/view/42533. Acesso em: 07 dez. 2020.

SUBTIL, M. J. D. Marxismo, arte e educação: as potencialidades de humanização pela educação artística. In: SCHLESENER, A. H.; MASSON, G.; SUBTIL, M. J. D. (org.). Marxismo(s) & educação. Ponta Grossa: UEPG, 2016. p. 207-225. Disponível em: http://books.scielo.org/id/n7ckq/pdf/schlesener-9788577982110-10.pdf. Acesso em: 25 mar. 2020.

TROTSKI, L. Literatura e revolução. Tradução: Luiz Alberto Moniz Bandeira. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

VAN GOGH, V. Cartas a Théo. Tradução Pierre Ruprecht. 2010. (Coleção L&PM POCKET). Disponível em: https://docero.com.br/doc/e1nv1n. Acesso em: 07 dez. 2020.

VAN GOGH, V. FIGURA 1: “Campo de trigo com Corvos” Van Gogh, tinta a óleo, 50,5 x 100,5cm. Museu Van Gogh, Amsterdam, 1890. Disponível em: https://artsandculture.google.com/asset/wheatfieldwithcrows/dwFdD5AMQfpSew?hl=pt-BR. Acesso em: 15 dez. 2020.

XAVIER, S.; CARRIERI, A. de P. Concepções de uma estética materialista para uma arte transformadora: a superação do caráter abstrato na particularidade do trabalho artístico. Cad. EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 12, n. 3, jul./set. 2014. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1679-395115007. Acesso em: 09 dez. 2020.

ZANELLA, K. A defesa do ensino e aprendizagem de Arte para a formação omnilateral: uma critica a disciplina de Arte na Política Educacional Brasileira e do Estado do Paraná (1990 a 2018). 2021. 186f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Francisco Beltrão, 2021. Disponível em: https://tede.unioeste.br/bitstream/tede/5487/2/Katerine%20Zanella%202021.pdf. Acesso em: 09 out. 2023.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Katerine Zanella; José Zanella

Downloads

Não há dados estatísticos.