A pandemia e a educação na escola pública

a dualidade do ensino e a diferença das classes sociais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v21i00.8665300

Palavras-chave:

Educação, Ensino remoto, Políticas educacionais, Pandemia

Resumo

Este artigo busca responder a questões referentes aos impactos do “ensino remoto” em uma escola pública de educação básica na cidade de Ponta Grossa, no Estado do Paraná. Utiliza-se da análise documental nos repositórios da instituição de ensino, levantando, a partir desses documentos, as principais dificuldades dessa nova modalidade de ensino para a educação básica decorrentes da pandemia causada pelo COVID-19. Para alcançar o objetivo traçado referente à análise das contradições existentes na proposta do “ensino remoto", discorre-se sobre questões relacionadas às políticas educacionais aplicadas às escolas para a validação do ano letivo no modelo remoto. Foram tratados alguns dos muitos  desafios impostos aos docentes e à comunidade escolar no processo de ensino e aprendizagens remoto.  Conclui-se que há um descompasso entre as propostas e a realidade emergente da escola para as classes populares em relação às elites sociais que, historicamente, se beneficiam dos serviços prestados pelo Estado, movidas  pelos ideais capitalistas, consolidando o ensino dual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliza Ribas Gracino, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Ponta Grossa. Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.

Rosiane Machado da Silva, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Ponta Grossa. Pedagoga da Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Joana D Arc Vaz, Universidade Estadual do Paraná

Doutorado em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professora do Colegiado de Pedagogia da Universidade Estadual do Paraná.

Sandra do Rocio Ferreira Leal, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Ponta Grossa. Professora aposentada da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Referências

ABRÃO, J, S. Banalização da morte na cidade calada. Porto Alegre: EDPUCRS, 1998.

AZEVEDO, J. M. Lins de. A educação como política pública. Campinas, SP: Autores Associados, 2001. (Coleção Polêmicas do Nosso Tempo, v. 56).

BERTOLLI FILHO, C. A Gripe Espanhola em São Paulo, 1918: epidemia e sociedade. São Paulo: Paz e Terra, 2003.

BEVERIDGE, W. I. B. Influenza: the last great plague. London: Heinemann. 1977.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Notas estatísticas. Censo escolar 2018. Brasília: INEP, 2019. Disponível em: https://bit.ly/3GRhNDe. Acesso em: 10 jan. 2021.

BRASIL. Portaria Nº 343, de 17 de março de 2020. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais enquanto durar a situação de pandemia do Novo Coronavírus - COVID-19. Diário Oficial da União, n. 53, 18.03.2020, Seção 1, p. 39. Brasília, DF, 2020.

CAIC. Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente Escola Reitor Alvaro Augusto Cunha Rocha. Educação Infantil e Ensino Fundamental. Fichas de Conselho de Avaliação. Ponta Grossa, PR, 1º semestre. 2020a.

CAIC. Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente Escola Reitor Alvaro Augusto Cunha Rocha. Educação Infantil e Ensino Fundamental. Livro Ata. 2020b. p. 100.

CAIC. Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente Escola Reitor Alvaro Augusto Cunha Rocha. Educação Infantil e Ensino Fundamental. Projeto de validação. 2020c. p. 80.

CAIC. Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente Escola Reitor Alvaro Augusto Cunha Rocha. Educação Infantil e Ensino Fundamental. Projeto Político Pedagógico. Ponta Grossa, PR, 2015a. p. 63.

CAIC. Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente Escola Reitor Alvaro Augusto Cunha Rocha. Educação Infantil e Ensino Fundamental. Regimento Interno. Ponta Grossa, PR, 2015b. p. 101.

CALIL, G. O governo brasileiro é mesmo o pior do mundo no combate à pandemia? In: Esquerda Online. 2021. Disponível em: https://bit.ly/2YB9XMs. Acesso em: 10 mar. 2021.

COSTA, L. M. C. da. Avaliação do sistema de vigilância epidemiológica da influenza no Brasil, 2010-2013. 233 f. 2015. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) – Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade de Brasília, Brasília, 2015. Disponível em: https://bit.ly/2ZZkRMP. Acesso em: 10 jan. 2021.

EVANGELISTA, O.; FLORES, R. L. B. Quando dói mais o bolso do que a alma, ou a “educação” do capital.Universidade à Esquerda, Jornal Socialista e Independente. Disponível em: https://bit.ly/3k8tnjI. Acesso em: 20 fev. 2021.

FALEIROS, V. P. Infância e Adolescência: trabalhar, educar, assistir, proteger. Revista Agora, ano I, n.1, p. 1-9, out. 2004.

FARIAS, E. A. de. Jornalismo à espanhola: um olhar sobre o noticiário recifense da epidemia de gripe de 1918. 2008. 197 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) − Centro de Artes e Comunicação, Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008. Disponível em: https://bit.ly/3q6YBLH. Acesso em: 10 jan. 2021.

FIOCRUZ. Fundação Oswaldo Cruz. Observatório COVID 19. Impactos sociais economicos, culturais e políticos da pandemia. Disponível em: https://bit.ly/3lr92ao. Acesso em: 20 mar. 2021.

FONTES, V. O capital-imperialismo: algumas características. 2010. Disponível em: https://bit.ly/3ArQQkY. Acesso em: 10 mar. 2021.

FRADA, J. J. C. A Gripe Pneumónica em Portugal Continental -1918. Lisboa: Sete Caminhos, 2005.

GALVÃO, A. C.; SAVIANI, D. Educação na Pandemia: a falácia do “ensino” remoto. Revista Universidade & Sociedade, ano XXXI, n. 67. p. 36-49. Disponível em: https://bit.ly/3ArM2Mw. Acesso em: 10 mar. 2021.

HOBSBAWM, E. Era dos extremos: o breve século XX. 1914-1991. Tradução de Marcos Santana. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

KOLATA, G. Gripe: a história de pandemia de 1918. Rio de Janeiro: Campus, 2002.

LIBÂNEO, J. C.; OLIVEIRA, J. F. de.; TOSCHI, M. S. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

MARCHESI, Á. Mudanças sociais e mudanças educacionais na América Latina. In: Educação na América Latina e no Caribe: análise de perspectivas. Brasília: UNESCO: OREALC, 2002. p. 97-112.

MARX, K.; ENGELS, F. Manuscritos econômicos-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2004.

MÉSZÁROS, I. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2005.

MÉSZÁROS, I. O século XXI: socialismo ou barbárie? São Paulo: Boitempo, 2003.

MONCORVO FILHO, A. A cura pelo sol. Buenos Aires: Las Ciencias, 1924.

PARANÁ. Conselho Estadual de Educação. Deliberação no. 05/20. Normas para o retorno das aulas presenciais no Sistema Estadual de Ensino do Paraná, no ano letivo de 2020a. Disponível em: https://bit.ly/3oQAEro. Acesso em: 19 mar. 2021.

PARANÁ. Decreto nº 4230 /2020. Dispõe sobre as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do Coronavírus - COVID-19. 2020b. Disponível em: https://bit.ly/3mJIMrg. Acesso em: 19 mar. 2021.

PARANÁ. Governo do Estado. Secretaria da educação e do esporte. Resolução n.º 5.003/2020 – enunciado da resolução. 2020c. Disponível em: https://bit.ly/3lq86mo. Acesso em: 20 mar. 2021.

PONTA GROSSA. Prefeitura Municipal. Decreto no. 17.077/2020. Dispõe sobre a suspensão de atividades sujeitas a aglomeração de pessoas no Município de Ponta Grossa e da outras providências. 2020. Disponível em: https://bit.ly/3DrxsXj. Acesso em: 20 mar. 2021.

POTTER, C. W. A history of influenza. Journal of applied Microbiology, v. 91, n. 4, p. 572-579, oct. 2001. Disponível em: https://bit.ly/3GNez3A. Acesso em: 01 abr. 2021.

REDE COVIDA. Ciência, informação e solidariedade. Painel Brasil. Disponível em: https://bit.ly/3AsS0Nk. Acesso em: 22 mar. 2021.

ROSENBERG, C. E. Explaining epidemics and other studies in the History of Medi-cine. New York: Cambridge University Press, 1992.

SAVIANI, D. Escola e democracia. Edição comemorativa. Campinas: Autores Associados, 2008.

SAVIANI, D. Escola e democracia. São Paulo: Cortez, 1986.

SAVIANI, D. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2010.

SAVIANI. D. Pedagogia histórico-crítica: aproximações. 11. ed. ver. Campinas: SP: Autores associados, 2011.

TELAROLLI JUNIOR, R. Epidemias no Brasil: uma abordagem biológica e social. 2. ed. São Paulo: Moderna, 2003.

UNDIME/CONSED (Org.). Retratos da Educação no Contexto da Pandemia do Coronavírus: Perspectivas em Diálogo. 2020.

URT, S. da C. et al. Adoecimento docente e as relações de trabalho do professor: uma articulação com as problemáticas mais amplas da sociedade. In: FACCI, M. G. D.; URT, S. C. (Org.). Quando os professores adoecem: demandas para a psicologia e a educação. Campo Grande, MS: Ed. UFMS, 2020. p. 255-284.

Downloads

Publicado

2021-12-06

Como Citar

GRACINO, E. R.; SILVA, R. M. da .; VAZ, J. D. A. .; LEAL, S. do R. F. . A pandemia e a educação na escola pública: a dualidade do ensino e a diferença das classes sociais. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 21, n. 00, p. e021049, 2021. DOI: 10.20396/rho.v21i00.8665300. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8665300. Acesso em: 19 maio. 2022.