Banner Portal
A questão da diversidade no trabalho educativo à luz da pedagogia histórico-crítica
PDF

Palavras-chave

Diversidade
Emancipação
Trabalho educativo

Como Citar

VIANA, Marta Loula Dourado. A questão da diversidade no trabalho educativo à luz da pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 23, n. 00, p. e023008, 2023. DOI: 10.20396/rho.v23i00.8670202. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8670202. Acesso em: 28 maio. 2024.

Resumo

Este texto pretende analisar as categorias contradição e totalidade na relação entre universal-singular-particular, na perspectiva do materialismo histórico e da pedagogia histórico-crítica, de modo a identificarmos as contribuições desta relação no trabalho educativo para o desenvolvimento da diversidade humana, de acordo com as particularidades de uma sociedade regida pelo capital. O texto se divide em dois momentos. No primeiro momento discute o duplo sentido do trabalho em Marx. O trabalho enquanto atividade fundamental no processo de transformação do mundo exterior e de si mesmo. Mas que, na sociedade dividida em classes, o indivíduo é apartado do acúmulo social e histórico da humanidade, portanto, impedido de manifestar sua diversidade na plenitude. No segundo momento, busca no trabalho educativo a relação universal-singular-particular de acordo com as categorias contradição e totalidade, ou seja, a forma pela qual o gênero humano contém o indivíduo singular, ao mesmo tempo em que este realiza a universalidade. Esta relação resulta na manifestação da particularidade, que se constitui como mediação e se torna responsável pelo desenvolvimento do indivíduo e de sua diversidade. Por fim, conclui-se sobre as ciladas dos discursos sobre diversidade, bem como a necessidade de pensar a emancipação para além das conquistas dos direitos civis e políticos pelos diferentes grupos sociais e culturais, que apesar de necessárias não correspondem a emancipação humana de modo que o indivíduo manifeste sua diversidade na plenitude.

https://doi.org/10.20396/rho.v23i00.8670202
PDF

Referências

ALVES, A. J. Ciência, força produtiva e capital na crítica marxiana da economia política. Projeto História, São Paulo, n. 34, p. 277-288, jun. 2007. Disponível em: https://bityli.com/utQ1Q Acesso em: 20 out. 2022.

BARATA-MOURA, J. Totalidade e contradição: acerca da dialética. 2. ed. Lisboa: Edições Avante, 2012.

CHAGAS, E. F. O indivíduo na teoria de Marx. Revista Dialectus, ano 1, p. 9-24, jul./dez. 2012. Disponível em: https://bityli.com/eDfLD. Acesso em: 18 nov. 2022.

DELLA FONTE, S.; LOUREIRO, R. Educação escolar e o multiculturalismo intercultural: crítica a partir de Simone de Beauvoir. Pro-Posições, Campinas, v. 22, n. 3 (66), p. 177-193, set./dez. 2011.

DUARTE, N. A individualidade para si: contribuições a uma teoria histórico-social da formação do indivíduo. 2. Ed. Campinas, SP: Autores Associados, 1999.

DUARTE, N. Vigotski e o “aprender a aprender”: críticas as apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. 4. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2006.

LEONTIEV, A. O desenvolvimento do psiquismo. Tradução Manuel Dias Duarte. Lisboa, PT: Livros horizontes, 1978.

LUKÁCS, G. Introdução a uma estética marxista: sobre a categoria da particularidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

MANACORDA, M. A. Marx e a pedagogia moderna. Tradução Newton Ramos de Oliveira. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1996.

MARTINS, L. M. A formação social da personalidade do professor: enfoque vigotskiano. Campinas: Autores Associados, 2007.

MARX, K. Contribuições à crítica da economia política. 2. Ed. São Paulo: Expressão Popular, 1989.

MARX, K. Manuscritos econômico – filosóficos. Tradução Jesus Ranieri. São Paulo: Boitempo, 2004a.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. Livro I, Tradução de Reginaldo Sant’ana. 22. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004b.

MARX, K. Sobre a questão judaica. Apresentação [e posfácio] Daniel Bensaïd. Tradução Nélio Schneider [tradução de Daniel Bensaïd, Wanda Caldeira Brant]. São Paulo: Boitempo, 2010.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. Tradução Luis Claudio de Castro Costa. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

PASQUALINI, J. C.; MARTINS, L. M. Dialética singular-particular-universal: implicações do método materialista dialético para a psicologia. Psicologia & Sociedade, Belo Horizonte, v. 27, n. 2, p. 362-371, 2015.

PASQUALINI, J. Dialética singular-particular-universal e sua expressão na pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. Rev. Simbio-Logias, v. 12, n. 17, 2020.

PIERUCCI, A. F. Ciladas da diferença. Tempo social. Revista Social, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 7-33, 2. sem. 1990. Disponível em: https://bityli.com/cFXlm. Acesso em: 05 nov. 2022.

SANTOS, C. E. F. Relativismo e escolanovismo na formação do educador: uma análise histórico-crítica da licenciatura em educação do campo. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal da Bahia, 2011. Disponível em: https://bityli.com/e5NdF. Acesso em: 15 jan. 2022.

SANTOS, S. M. M. Luta de classes e a questão da diversidade humana: debate atual e perspectivas político-teóricas. Trabalho necessário. v. 17, n. 32, jan./abr. 2019. ISSN: 1808-799 X.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 8. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

SAVIANI, D. Sistema Nacional de Educação e Plano Nacional de Educação: significado, controvérsias e perspectivas. Campinas, SP: Autores Associados, 2014.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Marta Viana

Downloads

Não há dados estatísticos.