Banner Portal
O manual didático para professores da educação infantil pública brasileira e a BNCC
PDF

Palavras-chave

Manual didático
BNCC
Educação infantil
Organização do trabalho didático
PNLD/2019

Como Citar

ALBERNAZ, Anne Luiza Ortiz Dias; CENTENO, Carla Villamaina. O manual didático para professores da educação infantil pública brasileira e a BNCC. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 23, n. 00, p. e023043, 2023. DOI: 10.20396/rho.v23i00.8674000. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8674000. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

Este artigo apresenta resultados de uma pesquisa que investigou a função do manual didático, intitulado Pé de brincadeira, para o professor da Educação Infantil pública. Tem por objetivo discutir a relação entre a BNCC/2017 e o referido manual didático, o qual foi introduzido pelo PNLD/2019. Para tanto, sob a perspectiva do referencial teórico metodológico da ciência da história e da categoria organização do trabalho didático, realiza-se análise da legislação para a Educação Infantil e do instrumento didático. As análises revelaram que o manual didático atua principalmente na promoção da BNCC para a Educação Infantil ao servir de referência para a aplicação de sua estrutura curricular na prática pedagógica e, que a introdução do manual didático, constitui-se em um contrassenso, vez que os próprios documentos curriculares preconizam a criança e a sua experiência, no centro do planejamento pedagógico. Conclui-se, conforme assertivas de Alves (2001), que a centralidade do trabalho docente se remete ao conteúdo delimitado por esse instrumento.

https://doi.org/10.20396/rho.v23i00.8674000
PDF

Referências

AGUIAR, M. A. S. Política educacional e a Base Nacional Comum Curricular: o processo de formulação em questão. Currículo sem Fronteiras, v. 18, p. 722-738, 2018.

ALBERNAZ, A. L. O. D. O manual didático na pré-escola da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande/MS (2019 a 2020). 2021. Dissertação (Mestrado Profissional Educação) –Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2021.

ALVES, G. L. A produção da escola pública contemporânea. Campinas: Autores Associados, 2001.

ALVES, G. L. O trabalho didático na escola moderna: formas históricas. Campinas: Autores Associados, 2005.

BRASIL. Decreto nº 7.611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Brasília, 2011.

BRASIL. Lei 11.114 de 16 de maio de 2005. Altera os arts. 6°, 30, 32 e 87 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, com o objetivo de tornar obrigatório o início do ensino fundamental aos seis anos de idade. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/lei/l11114.htm. Acesso em: 17 mar. 2020.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (LDB). Brasília, 1996. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ldbn1.pdf . Acesso em: 11 maio 2020.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC). Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para Educação Infantil e Ensino Fundamental (homologada). Parecer CNE/CP 15/2017, de 15 de dezembro de 2017. Brasília, 2017a.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC). Edital de Convocação 01/2017/CGPLI. Edital de convocação para o processo de inscrição e avaliação de obras didáticas para o Programa Nacional do Livro e do Material Didático PNLD 2019. MEC/SEB/FNDE. Brasília, 2017b.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. PNLD 2019: Educação Infantil - guia de livros didáticos - Ministério da Educação – Secretária de Educação Básica – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Brasília, DF, 2018. Disponível em: http://www.fnde.gov.br/index.php/programas/programas-do-livro/pnld/guia-do-livro-didatico/item/11986-escolha-pnld-2019. Acesso em: 31 ago. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil / Secretaria de Educação Básica. MEC, SEB, Brasília, 2010.

BRASIL. Parecer CNE/CEB 020/2009; Resolução CNE/CEB N. 5/2009. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília, DF: Conselho Nacional de Educação/Câmara da Educação Básica, 2009.

CAMPO GRANDE/MS. SUPED, SEMED. Educação Infantil – Referencial Curricular REME. Versão preliminar. Campo Grande, 2020.

COMÉNIO, J. A. Didáctica Magna: tratado da arte universal de ensinar tudo a todos. 2. ed. Lisboa: Gulbenkian, 1976.

CORDI, A. Pé de brincadeira - pré-escola: 4 a 5 anos e 11 meses: livro do professor da educação infantil. Ilustrações Beto Zoellner, Daniel Klein, Divo, Flaper, Beatriz Del Vecchio Lima Dalcin, Caetano Moraes Pessoa, Manuela Alves e P. Oliveira. 1. ed. Curitiba: Positivo, 2018.

CORREA, B. C. De que base a educação infantil necessita? In: SILVA, F. de C. T.; XAVIER FILHA, C. (org.). Conhecimentos em disputa na Base Nacional Comum Curricular. Campo Grande: Oeste, 2019.

COSTA, S. A. Educação infantil, legislação e teoria histórico-cultural: algumas reflexões. In: COSTA, S. A. da; MELLO, S. A. (org.). Teoria histórico cultural na educação infantil: conversando com professoras e professores. Curitiba: CRV, 2017.

CURY, C. R. J. A educação básica no Brasil. Educ. Soc., Campinas, v. 23, n. 80, p. 168-200, set. 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/Hj6wG6H4g8q4LLXBcnxRcxD/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 18 abr. 2020.

FILIPIM, P. V. S.; ROSSI, E. R.; RODRIGUES, E. História da institucionalização da educação infantil: dos. espaços de assistência à obrigatoriedade de ensino (1875-2013). Rev. HISTEDBR On-line, Campinas, v. 17, n. 2 [72], p. 605-620, abr./jun. 2017. Disponível em: file:///C:/Users/User/Downloads/Historia_da_institucionalizacao_da_educacao_infant%20(2).pdf. Acesso em: 18 abr. 2020

KUHLMANN JR, M. Histórias da educação infantil brasileira. Revista Brasileira de Educação, n. 14, maio/ago. 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/CNXbjFdfdk9DNwWT5JCHVsJ/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 18 jul. 23.

MACEDO, E. Conhecimentos em disputa na Base Nacional Comum Curricular. In: SILVA, F. de C. T.; XAVIER FILHA, C. (org.). Prefácio. Campo Grande: Oeste, 2019.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. 6. ed. São Paulo: Hucitec, 1979.

OLIVEIRA, P. F. de. Políticas curriculares para educação infantil: o caso da BNCC (2015-2017). 2019. 205 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2019. Disponível em: http://www.ppe.uem.br/teses-e-dissertacoes-1/dissertacoes/2019/2019_poliana.pdf. Acesso em: 30 set. 2020.

PASQUALINI, J. C.; MARTINS, L. M. Currículo por campos de experiência na educação infantil: ainda é possível preservar o ensino desenvolvente? Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 24, n. 2, p. 425-447, maio/ago., 2020. DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v24i2.13312. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/13312. Acesso em: 02 jan. 2021.

SOUZA, G.; MORO, C.; COUTINHO, A. S. Base Nacional Comum Curricular: a educação infantil existe e insiste. In Conhecimentos em disputa na Base Nacional Comum Curricular. In: SILVA, F. de C. T.; XAVIER FILHA, C. (org.). Campo Grande: Oeste, 2019.

VIGOTSKI, L S. A brincadeira e o seu papel no desenvolvimento psíquico da criança. Trad. Zoia Prestes. Revista Virtual de Gestão de iniciativas Sociais, n. 11, 1933/2008. Disponível em: https://atividart.files.wordpress.com/2016/05/a-brincadeira-e-seu-papel-nodesenvolvimento-psiquico-da-crianc3a7a.pdf. Acesso em: 27 dez. 2020.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Anne Albernaz; Carla Centeno

Downloads

Não há dados estatísticos.