O artista e a paisagem

Claude Monet - uma correspondência entre a natureza e a natureza do artista

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24978/mod.v3i2.4144

Palavras-chave:

Artista, paisagem, natureza, Claude Monet, paleta.

Resumo

A partir de uma perspectiva fenomenológica e tendo como foco a relação entre o artista e a paisagem, este artigo tem como objetivo investigar a correspondência entre a natureza e a natureza do artista, que se manifesta entre o espírito e a matéria, inerentes ao artista, à pintura e à natureza. Parte-se do princípio de que o artista se identifica com as paisagens eleitas e é atravessado, afetado e interrogado pela natureza em si, para transformá-la em pintura. Claude Monet foi o artista escolhido para este estudo. Para investigar a transformação que ocorre em seu processo de criação, conforme ele se desloca no espaço geográfico, me propus a estudar sua vida e obra e percorrer os diferentes lugares em que realizou as suas pinturas. Tendo a paleta como objeto de análise, pude perceber a relação entre a eleição das cores de sua pintura e as cores que se manifestam nas paisagens: cor que se desdobra em cor luz e cor matéria.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Carolina Duprat Ruggeri, Fundação Armando Alvares Penteado

Graduada em Educação Artística pela ECA-USP, mestrado em Educação pela FE – UNICAMP, doutora em Poéticas Visuais pelo IA – UNICAMP. Atualmente é professora do Curso de Artes Visuais, Produção Cultural e do Curso de Comunicação e Marketing e Coordenadora do curso de Pós-graduação em História da Arte da Fundação Armando Alvares Penteado.

Referências

ALARCÓ, Paloma. Monet et l’abstraction. Paris: Musée Marmottan Monet, 2010.

ALPHANT, Marianne. Cathédrale(s) de Rouen. Paris: Point de vues, 2010.

ANDERSON, Janice. Monet. Londres: Grange Books, 2003.

BACHELARD, Gaston. O Direito de Sonhar. Rio de Janeiro: Berthand Brasil, 1994.

CAUQUELIN, Anne. A invenção da paisagem. São Paulo: Martins, 2007.

FRANCASTEL, Pierre. O Impressionismo. São Paulo: Martins Fontes, 1974.

GEFFROY, Gustave. Claude Monet, sa vie, sons temps e sa ouvre. Paris: Les Édtions G. Crès et Cie. 1922.

_____. La vie artistique. Paris: E. Dentu, 1892.

GOETHE, Johann Wolfgang von. Doutrina das Cores, seleção e tradução Marco Gianotti, São Paulo: Nova Alexandria, 1993.

GORDON, R, EDDISON, S. Monet, The Gardener. New York: Universe, 2006.

HEINRICH, Christoph. Claude Monet: saisir l’image toujours mouvante de la réalité du monde. Köln: Taschen, 2013.

KANDINSKY, Wassily. O olhar sobre o passado. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

MACHADO, Sônia Maria Farriá. Presença da arte japonesa na obra de Monet. Rio de Janeiro: Vésper Comunicação, 1986.

MAGALHÃES, Ana Gonçalves. A canoa e a ponte. Campinas, SP: Pontes, 2000.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Conversas –1948. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

_____ O olho e o espírito. In: Os Pensadores, São Paulo: Abril Cultural, 1980.

MUSÉE L’ORANGERIE. Disponível em: ˂https://www.musee-orangerie.fr˃. Acesso em: 24 jun. 2018.

PAREYSON, Luigi. Os problemas da estética, tradução de Maria Helena Garcez, São Paulo: Martins Fontes, 1998.

PESSOA, Fernando. O Eu profundo e os outros eus. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

RYCKMANS, Pierre. As anotações sobre pintura do Monge Abóbora-Amarga. Campinas, SP: Unicamp, 2010.

RUGGERI, Maria Carolina Duprat. O artista e a paisagem: uma correspondência entre a natureza e a natureza do artista. Tese (Doutorado em Artes Visuais) Instituto de Artes: UNICAMP, Campinas 2016.

SCHAPIRO, Meyer. Impressionismo: reflexões e percepções. Tradução: Ana Luiza Dantas Borges, São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

SERRES, Michel. Os cinco Sentidos, Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

WILDENSTEIN, Daniel. Monet: O triunfo do impressionismo. Köln: Taschen, 2015.

_____. Monet’s Giverny. In: Monet’s years at Giverny: beyond Impressionism. New Yok: Metropolitan Museum, 1978.

YÁSIGI, Eduardo. Ampliando o conceito de lugar. Disponível em: ˂http://www.cefesp.br/edu/eso/lourdes/ampliandoconceito˃. Acesso em: 10 out. 2001.

Downloads

Publicado

2019-05-20

Como Citar

RUGGERI, M. C. D. O artista e a paisagem: Claude Monet - uma correspondência entre a natureza e a natureza do artista. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 3, n. 2, p. 73–93, 2019. DOI: 10.24978/mod.v3i2.4144. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/mod/article/view/8663002. Acesso em: 10 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Colaborações