Retratos de grupos de artistas no Brasil:

As obras de Arthur Timótheo da Costa e Angelo Bigi

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24978/mod.v3i2.4192

Palavras-chave:

Retratos, Arthur Timótheo da Costa, Angelo Bigi.

Resumo

Apesar do significativo associativismo envolvendo artistas plásticos no Brasil, poucas são as representações de grupos de artistas em pintura.  Neste artigo estudaremos os quadros Alguns colegas (1921), de Arthur Timótheo da Costa, e Artistas da SBAAP (1952), de Angelo Bigi. A pesquisa com retratos de grupos impõe analisar-se não só as relações que estabeleceram os autores dos quadros, seus modelos e o público, mas, igualmente, as redes tecidas pelos artistas representados entre si, no momento de sua criação. Partiremos de algumas questões básicas: Quem são? O que os uniu? Quais as motivações para a elaboração do quadro? Quem está presente ou ausente e por quê? Como foram representados?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maraliz de Castro Vieira Christo, Universidade Federal de Juiz de Fora

Professora de História da Arte da UFJF. Doutorado UNICAMP (Grande Prémio tese CAPES). Membro CBHA. Pesquisadora CNPQ e FAPEMIG.

Referências

AMANCIO, Kleber Antonio de Oliveira. Reflexões sobre a pintura de Arthur Timotheo da Costa. Tese (Doutorado em História Social), FFLCH/USP, São Paulo, 2015.

AMANCIO, Kleber Antonio de Oliveira. Artistas brasileiros e a arte decorativa na Esposizione Internazionale dell'Industria e del Lavoro de 1911. 19&20, Rio de Janeiro, v. VII, n. 3, jul./set. 2012.

AMARAL, Lucas Marques. A Parreiras e seus artistas. Juiz de Fora: FUNALFA Edições, 2004.

A NOITE, Rio de Janeiro, 03 mai. 1952.

ARAUJO, Emanuel. João e Arthur Timótheo da Costa: os dois irmãos pré-modernistas brasileiros. São Paulo: Museu Afro Brasil, 2013.

ARMOND, Geralda. Relatório anual de 1953. Arquivo Museu Mariano Procópio.

BITTENCOURT, Renata. Introdução. Um dândi negro: o retrato de Arthur Timótheo da Costa de Carlos Chambelland. Tese (Doutorado em História da arte), IFCH/UNICAMP. Campinas, 2015

BONNET, Alain, Artistes en groupe. La représentation de la communauté des artistes dans la penture du XIXe siècle. Rennes: Presses Universitaires de Rennes, 2007.

CARDOSO, Rafael, Helios Seelinger, Boemia. In: Idem, A arte brasileira em 25 quadros (1790-1930). Rio de Janeiro: Record, 2008, 132-140.

CHIARELLI, Tadeu. Às margens do modernismo. In: AGUILAR, Nelson (org.). Bienal Brasil século XX. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo. 1994.

CHRISTO, Maraliz de C. V. O mundo das artes nos jornais: Juiz de Fora no séc. XIX. In: VILLALTA, Luiz Carlos e RESENDE, Maria Efigênia Lage de (orgs.). As Minas Oitocentistas. Belo Horizonte: Companhia do Tempo, 2012.

EDMUNDO, Luiz. O Rio de Janeiro do meu tempo. Brasília: Senado Federal, 2003.

FREIRE, Laudelino, Um século de pintura. Apontamentos para a História da pintura na Brasil. Rio de Janeiro: Tipographia Röhe, 1916.

ILLUSTRAÇÃO BRASILEIRA, Rio de Janeiro, 16 ago. 1913.

L’OPERA COMPLETA DI HAYEZ. Milano: Rizzoli Editore, 1971.

LEITE, José Roberto Teixeira. Pintores negros do oitocentos. São Paulo: MWM-IFK, 1988.

LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário Crítico da Pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.

LOTIERZO, Tatiana, Contornos do (in)visível. Racismo e estética na pintura brasileira (1850-1940). São Paulo: EDUSP, 2017.

MAZZOCCA, Fernando. Autoritratto in un gruppo di amici. In: Francesco Hayez. Milano: Silvana Editoriale, 2015.

MOLINA, Ana Heloisa. A influência das artes na civilização. Eliseu D'Ângelo Visconti e modernidade na Primeira República. Tese (Doutorado em História), Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2004.

MORAES, Frederico. Núcleo Bernardelli; arte brasileira nos anos 30 e 40. Rio de Janeiro: Ediões Pinakotheke, 1982.

MUSEU NACIONAL DE BELAS ARTES. Artistas de Juiz de Fora. Rio de Janeiro: MNBA, 1978.

NÓBREGA, Dormevilly. Revendo o passado – (Memória juiz-forana) – 1ª Série. Juiz de Fora: Edições Caminho Novo, 1997.

O GLOBO, Rio de Janeiro, 08 set. 1952.

______. 08 de jan. 1953.

OLIVEIRA, Cristina Teófilo de. A pintura decorativa de Angelo Bigi: uma contribuição à identidade pictórica e cultural de Juiz de Fora. Monografia de bacharelado em História. UFJF, Juiz de Fora: 1998

O PAIZ, Rio de Janeiro, 19 jan. 1921.

______. 05 mar. 1921.

______. 26 ago. 1921.

POPE-HENNESSY, John. Paolo Uccello complete, Paris, Edition Hardcover, 1950.

VALLE, Arthur, Sociabilidade, boêmia e carnaval em ateliês de artistas brasileiros em fins do século XIX e início do XX. In: VALLE, Arthur et at. (orgs.). O ateliê do artista. Rio de Janeiro: CEFET/RJ, 2017, p. 43-56.

Downloads

Publicado

2019-05-18

Como Citar

CHRISTO, M. de C. V. Retratos de grupos de artistas no Brasil: : As obras de Arthur Timótheo da Costa e Angelo Bigi. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 3, n. 2, p. 103–124, 2019. DOI: 10.24978/mod.v3i2.4192. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/mod/article/view/8663030. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê - O artista em representação