Dar forma a um escultor disforme
PDF

Palavras-chave

Aleijadinho
Henrique Bernardelli
artistas do passado
pintura brasileira do século XIX.

Como Citar

D’ALMEIDA, Fábio. Dar forma a um escultor disforme: O Aleijadinho, de Henrique Bernardelli, e a figuração do primeiro gênio da história da arte brasileira. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 3, n. 2, p. 162–183, 2019. DOI: 10.24978/mod.v3i2.4164. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/mod/article/view/8663033. Acesso em: 12 jul. 2024.

Resumo

Trata-se neste trabalho de analisar a pintura Aleijadinho, o escultor Antônio Francisco Lisboa, de Henrique Bernardelli, primeira imagem conhecida a representar a vida de um mestre colonial do passado latino americano. Interessa, de início, situar a obra no contexto nacional ao lado de outras cujo objeto é também a representação de artistas do presente e do passado. Procede-se a uma discussão introdutória sobre o processo de construção biográfica do Aleijadinho, para se compreender, em seguida, a maneira segundo a qual o quadro de Bernardelli, com a ajuda da primeira biografia do escultor, publicada em meados do século XIX, amplia a ideia de um “gênio” colonial predestinado, mas invertendo-a em algumas partes fundamentais. Em seguida, desenvolve-se uma análise aproximada do quadro, devedora de abordagens de iconografia analítica, a fim de pôr também em relevo algumas das questões de fundo social e cultural que, figuradas na imagem, concernem à leitura que Bernardelli faz do passado colonial brasileiro. Por fim, propõe-se uma discussão sobre a maneira pela qual Bernardelli, representando um escultor pobre e deficiente, subverte de modo significativo as fórmulas usuais praticadas nas representações europeias dedicadas às vidas de mestres do passado, nas quais ele busca, todavia, inspiração.

https://doi.org/10.24978/mod.v3i2.4164
PDF

Referências

BONNET, Alain; JAGOT, Hélène (orgs.). L’artiste en représentation : images des artistes dans l’art du XIXe siècle. Lyon: Fage, 2013.

BRETAS, Rodrigo J. Ferreira; VEIGA, José P. Xavier (org.). Aleijadinho. In: Revista do Arquivo Público Mineiro, 1896 [1858], n. 1, Ouro Preto, Imprensa Official de Minas Gerais.

DUQUE ESTRADA, Luiz Gonzaga. A arte brasileira. São Paulo: Mercado das letras, 1995.

CORSI, Stefano; SISI, C. Michelangelo nell’ottocento. Florença: Charta, 1994.

D’ALMEIDA, Fábio. O jovem Pedro Américo entre arte, ciência do belo e um outro nacional. Tese (Doutorado em Artes Visuais) – ECA/USP, São Paulo, 2016.

DÉMORIS, René. L’Artiste en représentation. Paris: Desjonquères, 1993.

GEORGEL, Pierre. La peinture dans la peinture. Paris: 1982.

GIANNETTI, Ricardo. Henrique Bernardelli em Ouro Preto: contribuição ao trabalho de Celita Vaccani. 19&20, Rio de Janeiro, v. IV, n. 4, out. 2009.

GRAMMONT, G. Aleijadinho e o aeroplano: o paraíso barroco e a construção do herói colonial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

HASKELL, F. Les maîtres anciens dans la peinture française du XIXe siècle. In: ______. De l’art et du goût. Paris: Gallimard, 1989.

JOUVE, Claudine Lebrun. Nicolas-Antoine Taunay, 1755-1830. Paris: Arthena, 2003.

KLEFFMANN, Andrea. Atelierdarstellungen im 18. und 19. Jahrhundert. Essen: Verl. Die Blaue Eule, 2000.

KRIS, Ernst; KURZ, Otto. Lenda, mito e magia na imagem do artista. Lisboa: Editorial Presença Lisboa, 1988.

LAUGÉE, Thierry. Figures du génie dans l’art français. Paris: Presses Universitaires de Paris-Sorbonne, 2016.

LEVEY, Michael. The painter depicted. London: Thames & Hudson, 1981.

MÉROT, Alain. ‘Légende dorée’ d’un peintre: Eustache Lesueur au XIXe siècle. B.S.H.A.F., n. 84, 1982, p. 107–118.

S./A. Henrique Bernardelli. Henrique Bernardelli. Minas Gerais: Orgão oficial dos poderes do Estado, Ouro Preto, 2 abr. 1898.

S./A. Henrique Bernardelli. Henrique Bernardelli. Minas Gerais: Orgão oficial dos poderes do Estado, Ouro Preto, 3 abr. 1898.

McQUEEN, Alison. The rise of the cult of Rembrandt: reinventing an old master in nineteenth-century France. Amsterdam: University Press, 2003.

OLIVEIRA, Myriam Andrade R. O Aleijadinho e sua oficina: catálogo das esculturas devocionais. São Paulo: Editora Capivara, 2002.

PITTA, Fernanda. O jabuti e a paleta: o ateliê e o artista em Almeida Júnior. Concinnitas, v. 1, n. 30, dez. 2017.

PITTA, F.; CAVALCANTI, Ana. Trabalho de artista: imagem e autoimagem (1826-1929) [Catálogo de exposição]. São Paulo: Pinacoteca de São Paulo, 2018.

SAINT-HILAIRE, Auguste de. Voyage dans le district des diamants et sur le littoral du Brésil. Tome Premier. Paris: Librairie Gide, 1833. p. 203-204.

VACCANI, Celita. Trabalho referente aos comentários sobre o ‘Aleijadinho’ escritos por Henrique Bernardelli. 19&20, Rio de Janeiro, v. II, n. 1, jan. 2007.

VALLE, Arthur; DAZZI, Camila (orgs.). Oitocentos: o ateliê do artista. Tomo IV. Rio de Janeiro: CEFET/RJ, 2017.

________. Retratos de Atelier entre Europa y América. In: VALLE, Arthur; DAZZI, Camila (orgs.). Oitocentos: o ateliê do artista. Tomo IV. Rio de Janeiro: CEFET/RJ, 2017

VERDI, Richard. Poussin’s life in nineteenth-century pictures. The Burlington Magazine, vol. 111, n. 801, 1969, p. 741–750.

VERBRAEKEN, Paul. Après & d’après Van Dyck: la récupération romantique au XIXe siècle. Antwerpen: Hessenhuis, 1999.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2019 MODOS

Downloads

Não há dados estatísticos.