As novas tecnologias da comunicação e as instituições de arte contemporânea

O Videobrasil como estudo de caso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24978/mod.v3i2.4091

Palavras-chave:

Novas tecnologias, Museus, Centros Culturais, Videobrasil, Arte Contemporânea.

Resumo

Este artigo apresenta de forma breve a relação das novas tecnologias da comunicação com os museus, e mais recentemente, com as novas instituições de arte contemporânea. Passando por um breve histórico de grandes modelos museais que romperam paradigmas, criando novas categorias no universo da arte, intentamos apontar a forma como as novas tecnologias incidiram nessas mudanças de práticas, que mudaram muito ao passar dos séculos. Procuraremos entender em que se firma a noção de um centro cultural e em que contexto foi criado, para após trabalharmos a “Associação Cultural Videobrasil”, centro cultural brasileiro eleito para análise. Através dessa instituição apresentaremos algumas possibilidades em pensar uma instituição nos moldes contemporâneo, apresentando seus principais prismas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thamara Venâncio de Almeida, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutoranda e Mestra pelo Programa de Pós-Graduação em Artes, Cultura e Linguagens da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Henrique Grimaldi Figueredo, Universidade Estadual de Campinas

Doutorando em Sociologia pelo instituto de filosofia e ciências humanas da UNICAMP e Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Artes, Cultura e Linguagens da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Referências

ALMEIDA, Thamara Venâncio de. A videoarte no Brasil: uma perspectiva histórica – O Festival Videobrasil e a trajetória de Eder Santos como estudos de caso. Dissertação (Mestrado em Artes, Cultura e Linguagens) - UFJF. Juiz de Fora, 2017.

ARANTES, Priscila. Reescrituras da arte contemporânea: história, arquivo e mídia. Porto Alegre: Sulina, 2015.

ARCHER, Michael. Arte contemporânea: uma história concisa. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

ASSOCIAÇÃO CULTURAL VIDEOBRASIL. Site oficial. Disponível em: <http://site.videobrasil.org.br/>. Acesso em: 13 jul. 2018.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na época da possibilidade de sua reprodução técnica (5ª versão). In: Estética e sociologia da arte. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.

CAUQUELIN, Anne. Arte contemporânea: uma introdução. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

CENTRE POMPIDOU. Site oficial. Disponível em: <https://www.centrepompidou.fr/en>. Acesso em: 29 jul. 2018.

DABUL, Lígia. Museus de grandes novidades: centros culturais e seu público. Revista Horizontes Antropológicos, v. 14, n. 29, jan./jun. 2008, p. 257-278.

FARKAS, Solange. O Videobrasil e o vídeo no Brasil: uma trajetória paralela. In: Made in Brasil: três décadas do vídeo brasileiro. São Paulo: Ed. Iluminuras, 2007, p. 219-223.

FARKAS, Solange. Arquivo vivo: Uma entrevista com Solange Farkas / por Fabio Cypriano. In: Memórias inapagáveis: um olhar histórico no Acervo Videobrasil / Organização de Agustín Pérez Rubio. São Paulo: Edições Sesc São Paulo: Videobrasil, 2014.

GROSSMANN, Martin. Apresentação: Isso não é uma galeria de arte. In: O’DOHERTY, Brian. No interior do cubo branco: a ideologia do espaço da arte. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

LORENTE, J. Pedro. Los museos de arte contemporâneo: noción y desarrollo histórico. Gijón: Ediciones Trea, 2008.

LOUREIRO, Maria Lucia de N. M. Webmuseus de arte: aparatos informacionais no ciberespaço. Revista Ciência da Informação, v. 33, n. 2, mai./ago. 2004. pp. 97-105.

MALRAUX, André. O museu imaginário. Lisboa: Edições 70, 2015.

MELLO, Christine. Extremidades do vídeo. São Paulo: Ed. SENAC, 2008.

MUSEUM OF MODERN ART. Site oficial. Disponível em: <https://www.moma.org/>. Acesso em: 26 jul. 2018.

PINTO, Álvaro Vieira. O conceito de tecnologia. Volume I. Rio de Janeiro: Contraponto, 2005.

POULOT, Dominique. O modelo republicano de museu e sua tradição. In: BORGES, Maria Eliza Linhares (org.). Inovações, coleções, museus. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2011.

SANTAELLA, Lucia. A ecologia pluralista da comunicação: conectividade, mobilidade, ubiqüidade. São Paulo: Paulus Editora, 2010.

SHAPIRO, Roberta. O que é artificação? Sociedade e Estado. Brasília, v. 22, n. 1, jan/jul 2007.

TACCA, Paula Cristina Dolenc Cabral. A “fotografia expandida” nos museus de arte moderna: as experiências do MoMA de Nova Iorque e do MAM de São Paulo. In: Anais do XXVIII Simpósio Nacional de História, Florianópolis, 2015.

Downloads

Publicado

2019-05-20

Como Citar

DE ALMEIDA, T. V.; FIGUEREDO, H. G. As novas tecnologias da comunicação e as instituições de arte contemporânea: O Videobrasil como estudo de caso. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 3, n. 2, p. 55–71, 2019. DOI: 10.24978/mod.v3i2.4091. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/mod/article/view/8663037. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Colaborações

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)