O circuito particular de exposições de arte no Rio de Janeiro na década de 1880
PDF

Palavras-chave

Sistema da arte
Século XIX
Salas particulares
Sistema acadêmico
Sistema moderno

Como Citar

CARDOSO, Franciane Canêz; RIBEIRO, Niura Legramante. O circuito particular de exposições de arte no Rio de Janeiro na década de 1880: uma fase de transição do sistema de arte acadêmico para o moderno. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 8, n. 1, p. 106–138, 2024. DOI: 10.20396/modos.v8i1.8674599. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/mod/article/view/8674599. Acesso em: 24 jun. 2024.

Resumo

O artigo constitui parte de uma pesquisa de doutorado que pretende analisar a trajetória de cinco salas particulares de exposições atuantes na década de 1880 no Rio de Janeiro: Salão De Wilde, Glace Élégante, Casa Vieitas, Galeria Moncada e o estúdio de Insley Pacheco. Com base nos dados coletados até então, em textos publicados entre 1880 e 1889, disponíveis na Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional e que citam os espaços do circuito privado, objetiva-se analisar as características que compunham a imagem do artista, a experiência estética, a concepção de arte e a estrutura institucional vigentes durante o recorte temporal e geográfico da investigação. Amparado nas pesquisas de Larry Shiner, em que o filósofo defende uma possível organização sistêmica da arte em diferentes períodos históricos e na contribuição da autora Bruna Fetter, que discute a importância da organização institucional de cada época, este estudo apura as atividades artísticas e as relações entre os agentes do circuito privado do período e busca demonstrar que a década em questão constituiu uma fase de transição do sistema acadêmico para o moderno.

https://doi.org/10.20396/modos.v8i1.8674599
PDF

Referências

AZEVEDO, A. De Palanque. Diário de Notícias, Rio de Janeiro, n. 317, p.1, 20 abr. 1886.

BECKER, H. Mundos da arte. Lisboa: Livros Horizonte, 2010.

BELLAS ARTES. Gazeta de Notícias, Rio de Janeiro, n.142, p.1, 29 ago. 1884.

BELLAS-ARTES. O Mequetrefe, Rio de Janeiro, n. 373, p.3, 30 abr. 1885.

BOURDIEU, P. As regras da arte. Trad. Maria Lúcia Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

BULHÕES, M. A. Artes plásticas, participação e distinção: Brasil anos 60/70. Tese (Doutorado em História Social) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1990. Disponível em: https://www.ufrgs.br/artereflexoes/site/publicacoes/tese/. Acesso em: 08 fev. 2022.

CABRAL, A. C. A profissionalização da mulher no campo artístico. Ícone: Revista Brasileira de História da Arte, Porto Alegre, v. 3, n. 3, p. 86-126, 2018.

CAVALCANTI, A. M. Belmiro de Almeida (1858-1935), Oscar Pereira da Silva (1867-1939) e o polêmico concurso para Prêmio de Viagem de 1887. In: COLÓQUIO DO COMITÊ BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA ARTE, 26., Anais... Belo Horizonte: C/Arte, 2007, p. 261-269. Disponível em: http://www.cbha.art.br/coloquios/2006/anaiscbha2006.html. Acesso em: 12 mar. 2022.

DAZZI, C. Crítica de arte: uma nova forma de escrever o século XIX no Brasil. In: COLÓQUIO DO COMITÊ BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA ARTE, 24., Anais... Belo Horizonte: CBHA, 2004, p.1-8. Disponível em: http://www.cbha.art.br/coloquios/2004/textos/21_camila_dazzi.pdf. Acesso em: 15 mar. 2022.

FERREIRA, F. Belas Artes: estudos e apreciações. Porto Alegre: Editora Zouk, 2012.

FETTER, B. Das reconfigurações contemporâneas do(s) sistema(s) da arte. MODOS. Revista de História da Arte, Campinas, v. 2, n.3, p.102-119, set. 2018.

FETTER, B. Crenças e critérios de valor: alterações nos princípios de legitimidade nos sistemas da arte acadêmico, moderno e contemporâneo. In: X Encontro MODOS Co/laborar: como trabalhar juntos, 2023, Porto Alegre. MARGS/UFRGS, 2023 [palestra].

FRANÇA JR., J. A propósito de artes. Ecos Fluminenses. O Paiz, Rio de Janeiro, ed. 18, p. 2, 19 jan. 1885.

FRANÇA JR., J. Echos Fluminenses. O Paiz, Rio de Janeiro, n. 932, p. 2, 25 abr. 1887.

GAZETA DA TARDE, Rio de Janeiro, n. 335, p. 2, 3 dez. 1891. Disponível em: https://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=226688&pesq=Caron&pasta=ano%20189&hf=memoria.bn.br&pagfis=12760. Acesso em: 13 set. 2023.

GONZAGA DUQUE, L. A arte brasileira. São Paulo: Mercado de Letras, 1995.

MORAIS, F. Cronologia das artes plásticas no Rio de Janeiro, 1816-1994. Rio de Janeiro: Topbooks, 1995.

MOVIMENTO ARTÍSTICO. Gazeta Litteraria, Rio de Janeiro, n. 12, p. 253-255, 31 mar. 1884.

SHINER, L. La invención del arte: una historia cultural. Barcelona: Paidós Ibérica, 2010.

SIMIONI, A. P. Profissão artista: pintoras e escultoras acadêmicas brasileiras. São Paulo: EdUSP, Fapesp, 2008.

SQUEFF, L. Um maldito na Academia: Estevão Silva - algumas notas sobre os caminhos da modernidade no Rio de Janeiro de fins do século XIX. In: BAREL, A. B. D.; PERES, W. (orgs.). Cultura e poder entre o Império e a República: estudos sobre os imaginários brasileiros (1822-1930). São Paulo: Alameda, 2018, p.201-221.

SQUEFF, L. As Exposições Gerais da Academia de Belas Artes: teatro de corte e formação de um mercado de artes no Rio de Janeiro. Arte & ensaios, Revista do PPGAV/EBA/UFRJ, Rio de Janeiro, n. 23, p. 124-133, 2011.

VIÚVA MONCADA & FILHO. Publicações a pedido. Gazeta de Notícias, Rio de Janeiro, n. 243, p. 2, 30 ago. 1884.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2024 Franciane Canêz Cardoso, Niura Legramante Ribeiro

Downloads

Não há dados estatísticos.