Diagnóstico de Insegurança Alimentar e Nutricional entre beneficiários do Programa Bolsa Família participantes de oficina de intervenção nutricional

Autores

  • Elma Lúcia de Freitas Monteiro Universidade Estadual de Montes Claros
  • Cassília Rodrigues de Souza Universidade Estadual de Montes Claros
  • Lucinéia de Pinho Universidade Estadual de Montes Claros

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v21i2.8634476

Palavras-chave:

Segurança alimentar e nutricional. Bolsa família. Intervenção nutricional.

Resumo

Este estudo buscou descrever a situação de segurança alimentar e nutricional vivenciada por beneficiários do Programa Bolsa Família do Município de Montes Claros (Minas Gerais) participantes de uma oficina de intervenção nutricional. Foram entrevistados 72 beneficiários e obtidas informações sobre idade, renda, escolaridade situação de insegurança alimentar e nutricional, consumo alimentar, avaliação do serviço de saúde, conhecimentos em nutrição e estado nutricional. Foi adotada a Escala Brasileira de Insegurança Alimentar e Nutricional – com 15 questões que refletem a insegurança alimentar em diferentes níveis. Todas as famílias apresentaram algum grau de Insegurança Alimentar, sendo 48,6%, leve, 34,7%, média e 16,7%, grave. A maioria dos beneficiários (53,5%) classificados com insegurança média apresentou estado nutricional inadequado. Foi verificado o consumo inadequado dos grupos das verduras e legumes (52,6%), leguminosas (53,8%) e cereais (51,6) e sua relação com a insegurança alimentar. Estes resultados reforçam a necessidade de implementação de Políticas Públicas que favoreçam a adoção de hábitos alimentares saudáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elma Lúcia de Freitas Monteiro, Universidade Estadual de Montes Claros

Nutricionista, Pós- Graduação em Sistemas e Serviços de Saúde – Universidade Estadual de Montes Claros – MG.

Cassília Rodrigues de Souza, Universidade Estadual de Montes Claros

Assistente Social, Pós- Graduação em Sistemas e Serviços de Saúde – Universidade Estadual de Montes Claros – MG.

Lucinéia de Pinho, Universidade Estadual de Montes Claros

Professora, Universidade Estadual de Montes Claros – MG. Correspondência: Av. Rui Braga, s/n, Vila Mauricéia, Montes Claros, MG, Brasil. CEP: 39401-089. Telefone: (38) 3229-8292.

Referências

Brasil. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 5 out. 1998.

Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (BR). Princípios e diretrizes de uma política de segurança alimentar: textos de referência da II Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Brasília: Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (BR); 2004. 80 p.

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (BR). Plano Brasil Sem Miséria: relatório de informações sociais: Brasília, 2006 [acesso em 14 dez 2013]. Disponível em: http://aplicacoes.mds.gov.br/sagi/RIv3/geral/index.php

Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (BR). III Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional: documento base. Brasília: Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (BR); 2007. 39 p.

Custódio MB, Furquim NR, Santos GM, Cyrillo DC. Segurança Alimentar e Nutricional e a construção de sua política: uma visão histórica. Segur Aliment Nutr. 2011;18(1): 1-10.

Freire P. Pedagogia do oprimido. 47a ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 2005. 213 p.

Segall Corrêa AM (Faculdade de Ciências Médicas, Departamento de Medicina Preventiva e Social, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP). Acompanhamento e avaliação da segurança alimentar de famílias brasileiras: validação de metodologia e de instrumento de coleta de informação: urbano/rural. Campinas: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo; 2004. 35 p.

Shi L, Starfield B, Jihaong X. Validating the adult primary care assessment tool. J Fam Practice. 2001;50(2):161-75.

Ministério da Saúde (BR). Vigilância alimentar e nutricional – Sisvan: orientações básicas para a coleta, processamento, análise de dados e informação em serviços de saúde. Brasília: Ministério da Saúde (BR); 2004. 119 p. (Série A: normas e manuais técnicos)

Ministério da Saúde (BR). Rede Amamenta Brasil: caderno do tutor. Brasília: Ministério da Saúde (BR); 2009. 118 p.

Secretaria Nacional de Renda de Cidadania (BR). Relatório de condicionalidades do Programa Bolsa Família: 1o semestre de 2010. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (BR); 2010. 58p.

Hoffmann R. Determinantes da insegurança alimentar no brasil: análise dos dados da PNAD de 2004. Segur Aliment Nutr. 2008;15(1):49-61.

Monego ET, Peixoto MRG, Cordeiro MM, Costa RM. (In) segurança alimentar de comunidades quilombolas do Tocantins. Segur Aliment Nutr. 2010; 17(1):37-47.

Pereira DA, Vieira VL, Fiore EG, Cervato-Mancuso AM. Insegurança alimentar em região de alta vulnerabilidade social da cidade de São Paulo. Segur Aliment Nutr. 2006; 13(2):34-42.

Nunes TS, Cruz JMG, Pinho L. Avaliação da segurança alimentar e nutricional de famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família. Nutrire. 2014;39(2):233-42.

Segall-Corrêa AM, Marin-Leon L, Pérez-Escamilla RH, Pacheco LMS, Souza RP. A transferência de renda no Brasil e a insegurança alimentar; analisando a PNAD 2004. Rev Nutri. 2008; 21 Supl:39-51.

Radimer K, Olson C, Greene J, Campbell C, Habicht JP. Understanding hunger and developing indicators to assess it in women and children. J Nutr Educ. 1992;24 Supl:36-45.

Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas. Repercussões do Programa Bolsa Família na segurança alimentar e nutricional das famílias beneficiadas: documento síntese. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas; 2008. 20p.

Lima FEL; Rabito EI; Dias MRMG. Estado nutricional de população adulta beneficiária do Programa Bolsa Família no município de Curitiba, PR. Rev Bras Epidemiol. 2011;14(2):198-206.

Santos LAS. O que fazer educação alimentar e nutricional: algumas contribuições para reflexão. Cienc Saude Colet. 2012;17(2);455-62.

Barbosa JM, Cabral PC, Lira PIC, Florêncio TMMT. Fatores socioeconômicos associados ao excesso de peso em população de baixa renda no nordeste brasileiro. Arch Latinoam Nutr. 2009;59(1):22-9.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de orçamentos familiares 2008-2009: antropometria e estado nutricional de crianças, adolescentes e adultos no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística; 2010. 121 p.

Oliveira JS, Lira PIC, Maia SR, Sequeira LAS, Amorim RCA, Filho MB. Insegurança alimentar e estado nutricional de crianças de Gameleira, zona da mata do Nordeste brasileiro. Rev Bras Saude Matern Infant. 2010;10 (2):237-45.

Santos JV, Gigante DP, Domingues MR. Prevalência de insegurança alimentar em Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil, e estado nutricional de indivíduos que vivem nessa condição. Cad Saude Publica. 2010;26(1):41-9.

Coutinho JG; Gentil PC; Toral N. A desnutrição e obesidade no Brasil: o enfrentamento com base na agenda única da nutrição. Cad Saúde Pública. 2008;24 Supl 2:332-40.

Ministério da Saúde (BR). Guia alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável. Brasília: Ministério da Saúde (BR); 2005. 236p. (Série A. Normas e Manuais Técnicos).

Ferreira VA, Silva AE, Rodrigues CAA, Nunes NLA, Vigato TC, Magalhães R. Desigualdade, pobreza e obesidade. Cienc Saude Colet. 2010;15 Supl 1: 1423-32.

Leão CDA, Caldeira AP, Oliveira MMC. Atributos da atenção primária na assistência à saúde da criança: avaliação dos cuidadores. Rev Bras Saude Mater Infant. 2011;11(3):323-34.

Almeida C, Macinko J. Validação de uma metodologia de avaliação rápida das características organizacionais e do desempenho dos serviços de atenção básica do Sistema Único de Saúde (SUS) em nível local. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde (BR); 2006. 215 p. (Técnica Desenvolvimento de Sistemas e Serviços de Saude, 10).

Downloads

Como Citar

1.
Monteiro EL de F, Souza CR de, Pinho L de. Diagnóstico de Insegurança Alimentar e Nutricional entre beneficiários do Programa Bolsa Família participantes de oficina de intervenção nutricional. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 27º de abril de 2015 [citado 5º de dezembro de 2021];21(2):469-80. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8634476

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional