Evaluation of security and hygiene of workers in open market in Palmas – Tocantins

Autores

  • Wantiê Teles Adorno Universidade Federal de Santa Catarina
  • Glêndara Aparecida de Souza Martins Universidade Federal do Tocantins
  • Silvana Marques Filgueiras Teixeira Vigilância Sanitária Municipal de Palmas
  • Kássio Renê Dias Wanderley Universidade Federal do Tocantins
  • Denise Gomes Alves Universidade Federal do Tocantins

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v20i2.8634604

Palavras-chave:

Feiras livres. Layout. Mapa de risco. Riscos ambientais.

Resumo

As feiras apresentam graves problemas como falta de higiene, má estrutura das barracas, falta de segurança e desorganização. Tais problemas colocam em risco a sobrevivência da feira, uma vez que contrariam a legislação sanitária. O presente trabalho tem como objetivo mapear os riscos ambientais existentes nas feiras livres mais frequentadas na cidade de Palmas – TO, bem como estabelecer as medidas de controle necessárias à manutenção da saúde e segurança dos trabalhadores e consumidores. O trabalho foi realizado em duas feiras, sendo uma na região sul e região norte. Foram realizadas avaliações qualitativas in loco, utilizando a avaliação em segurança do trabalho para feiras livres. Para estudo quantitativo procedeu-se a medição do nível de ruído, temperatura e iluminância. Os problemas enfrentados pelos feirantes são as temperaturas elevadas, instalações elétricas de má qualidade, aliados ao cansaço físico, psicológico, estresse por efeito do nível elevado de ruído, dor nas pernas e costas, o que coloca em risco à segurança física e psicológica do trabalhador. Constatando-se a necessidade de investimentos do poder público, direcionados a melhorias na estrutura física das feiras. Como mudança de layout, modernização das instalações, agindo na redução de acidentes e incidentes nestes ambientes ocupacionais, e na prevenção de toxinfecções alimentares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wantiê Teles Adorno, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Engenharia de Alimentos pela Universidade Federal do Tocantins (2014) e mestrado em Engenharia de Alimentos pela Universidade Federal de Santa Catarina (2016). Tem experiência na área de Ciência e Tecnologia de Alimentos, com ênfase em Engenharia de Alimentos, atuando principalmente nos seguintes temas: anacardium occidentale, congelamento, abacaxi e acidez.

Glêndara Aparecida de Souza Martins, Universidade Federal do Tocantins

Doutora em Biotecnologia. Professora de Engenharia de Alimentos da Universidade Federal do Tocantins.

Silvana Marques Filgueiras Teixeira, Vigilância Sanitária Municipal de Palmas

Inspetora Sanitária da Vigilância Municipal de Palmas – Tocantins.

Kássio Renê Dias Wanderley, Universidade Federal do Tocantins

Aluno do Curso de Engenharia de Alimentos da Universidade Federal do Tocantins.

Denise Gomes Alves, Universidade Federal do Tocantins

Doutora em Engenharia de Alimentos. Professora de Engenharia de Alimentos da Universidade Federal do Tocantins.

Referências

Oliveira AT et al. Condições de higiene das feiras livres dos municípios de Bananeiras, Solânea e Guarabira. In: X Encontro de Extensão da Universidade Federal da Paraíba; 2007; João Pessoa; BR. João Pessoa: Centro de Formação de Tecnólogos. Departamento de Tecnologia Rural/PROBEX, UFPB; 2007.

Enciclopédia Luso-Brasileira. 1995. v. 8, p. 502.

Dolzani M, Jesus GM. O direito à cidade: cem anos de feira livre na cidade do Rio de Janeiro [internet]. Rio de Janeiro, 2012 [acesso em 12 maio 2012]. Disponível em: http://www.uerj.br

Montelo RO, Martins, GASM, Teixeira, SMF. Avaliação das condições de segurança e higiene do trabalho: estudo de caso na feira livre do agricultor em Palmas – Tocantins. UNOPAR Cient Ciênc Biol Saúde. 2011;13(4):263-70.

Pinheiro, VC. Segurança do trabalho no Brasil [internet]. 2001 [acesso em 24 maio 2012]. Disponível em http://www1.previdencia.gov.br/docs/pdf/inf_outubro01.pdf.

AEPS. Anuário Estatístico da Previdência Social 2010 [acesso em 05 jul 2012]. Disponível em http://www.mpas.gov.br/arquivos/office/3_111202-105619-646.pdf.

Ponzetto G. Mapa de Riscos Ambientais NR-5. 2ª Ed. São Paulo: Editora LTR; 2007.

Garcia JMR, Cremonesi KCP. Programas prevencionistas: subsídios para análise de riscos. Goiânia: AB; 2006.

Brasil. Manuais de Legislação Atlas. Segurança e Medicina do Trabalho. Lei N° 6514, de 22 de dezembro de 1977. Normas Regulamentadoras – NR – 1 a 33, Portaria N° 3.214, de 08 de junho de 1978. Legislação complementar. 63ª ed. São Paulo: Editora Atlas; 2007.

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 216, de 15 de setembro de 2004 [internet]. [acesso em 23 maio 2012]. Disponível em http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/aa0bc300474575dd83f2d73fbc4c6735/rdc_n_216_de_15_de_setembro_de_2004.pdf.

Silva EV, Neto, JFS, Melo, FSN, Araújo, AS. Análise da qualidade microbiológica de maioneses comercializadas em Pombal. Caderno verde de agroecologia e desenvolvimento sustentável. 2011;1(1).

Guerra CB, Miguel DP. Staphylococcus coagulase positiva e coliformes fecais em pratos frios adicionados de molho de maionese. Cadernos de Pós-Graduação da FAZU. 2011;2.

Campos DS, Paiva ZC. Condições higiênico-sanitárias do pescado comercializado em feira no município de Manaus – AM. Cadernos de Pós-Graduação da FAZU. 2011;2.

Germano PML, Germano MIS. Higiene e vigilância sanitária de alimentos. São Paulo: Varela; 2001.

Downloads

Publicado

2013-02-11

Como Citar

1.
Adorno WT, Martins GA de S, Teixeira SMF, Wanderley KRD, Alves DG. Evaluation of security and hygiene of workers in open market in Palmas – Tocantins. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 11º de fevereiro de 2013 [citado 20º de outubro de 2021];20(2):290-6. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8634604

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional